Sessão Solene marcou os 30+5 do IAU-USP

sessão-solene web

- Na última sexta-feira, 14/8, o Instituto de Arquitetura e Urbanismo (IAU) da USP São Carlos realizou Sessão Solene da Congregação no auditório Paulo de Camargo e Almeida, em comemoração aos 30+5: trinta anos de criação do curso de graduação em Arquitetura e Urbanismo e cinco anos de emancipação do Instituto.

A cerimônia contou com a presença do reitor da USP, Marco Antônio Zago, do vice-reitor VahanAgopyan, do pró-reitor de graduação Antônio Carlos Hernandes, da pró-reitora de cultura e extensão Maria Arminda do Nascimento Arruda, do chefe de gabinete da reitoria Osvaldo ShigueruNakao, do secretário geral Ignacio Maria Poveda Velasco e do superintendente de relações institucionais José Roberto Drugovich de Felício.

Também estiveram presentes à sessão professores, docentes aposentados e servidores técnicos administrativos do IAU, assim como os diretores e ex-diretores de outras unidades da USP (EESC, ICMC, IQSC, IFSC e FEARP) e o prefeito do campus de São Carlos, Marco Henrique Terra.

O evento foi aberto pelo diretor do IAU, Carlos Ferreira Martins, que destacou a missão conjunta do Instituto e da USP na formação integral de cidadãos. "Os nossos alunos egressos são a nossa maior contribuição. Já formamos 702 arquitetos na graduação, 549 mestres e 78 doutores na pós-graduação, que hoje atuam no mercado profissional, em órgãos públicos na área de políticas urbanas e em muitas universidades, públicas e privadas, do país e do exterior, muitos deles em posições de liderança", ressaltou Martins.

"Isso é muito importante para nós porque seguimos a lição de Anísio Teixeira, um dos maiores educadores do país, que sempre ensinou que o papel da Universidade é formar profissionais qualificados, mas acima tudo é formar integralmente cidadãos", afirmou o diretor do IAU.

Sobre a criação do Instituto há cinco anos, ele relembrou a votação unânime do Conselho Universitário a favor da emancipação e destacou que "a criação do Instituto só encontra seu sentido pleno na ampliação da atuação da USP em São Carlos para a área de Ciências Humanas e Sociais Aplicadas". Nesse sentido, Martins falou que a implantação do curso de graduação em Geografia permitirá estabelecer uma sinergia com áreas já consolidadas, como Engenharia Ambiental, de Transportes e outras que resultará na transformação do campus numa referencia nacional e internacional na área de políticas públicas urbanas e ambientais.

O presidente da Comissão de Graduação do Instituto, Miguel Antônio Buzzar, lembrou que o curso de graduação em Arquitetura e Urbanismo do IAU está entre os dez mais procurados entre os 111 cursos oferecidos pela USP. Buzzar informou que nos últimos cinco anos foram concedidas aos alunos de graduação, entre todos os programas, 556 bolsas, sendo 400 os bolsistas de iniciação científica. "Em relação aos intercâmbios, recebemos 70 alunos estrangeiros e enviamos 56 de nossos alunos para outras instituições internacionais de ensino superior". Ele ainda lembrou, orgulhosamente, que três ex-alunos do IAU hoje são professores do Instituto, além de outros dois que também são docentes na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da USP São Paulo, além de dezenas espalhados por faculdades e universidades do país e exterior.

Entre os alunos egressos que seguiram com atuações junto ao poder público está Luciana Márcia Gonçalves, integrante da primeira turma do curso de graduação do IAU, à época ainda vinculado à Escola de Engenharia de São Carlos (EESC). Luciana, que foi secretária de habitação da prefeitura de Araraquara, se emocionou ao retornar ao campus e rever após 30 anos amigos, colegas de turma, professores e funcionários. "A formação que recebemos de vocês nos conferiu, principalmente, segurança profissional", elogiou a arquiteta.

Falando em nome dos professores aposentados do IAU, Azael Rangel Camargo, disse que o projeto da criação do curso de graduação fez parte de uma utopia que se realizou e hoje pode ser chamada de "IAUtopia". O ex-diretor da EESC e ex-chefe do então Departamento de Arquitetura e Planejamento, Eugênio Foresti, fez questão de ler uma postagem do diretor do IAU, feita no Facebook: "Todos os amigos, colegas, estudantes e ex-alunos, próximos e distantes, cada um, fez e faz parte dessa história. Cada um em seu momento e do seu jeito nos deu a convicção de que essa bandeira precisava ser levantada e a vontade de levá-la adiante. O Instituto de Arquitetura e Urbanismo é o resultado dos sonhos de mais de um milhar de pessoas em mais de quatro décadas". Para Foresti, ter sido chefe do então Departamento de Arquitetura e Planejamento foi uma das tarefas mais gratificantes de sua trajetória na USP.

O vice-reitor VahanAgopyan, ao avaliar o caráter do IAU, citou a importância da diversidade, multidisciplinaridade e heterogeneidade que torna a USP especial e distinta das demais universidades. Agopyan fez questão de lembrar que a pós-graduação do IAU foi a primeira a ser criada no país na área de Arquitetura em 1971.

Ao finalizar a Sessão Solene, o reitor Marco Antônio Zago rememorou a importância da inter-relação e cooperação entre o IAU e a EESC. Ele disse também que "o sonho e a expectativa se realizou em relação ao Instituto de Arquitetura e Urbanismo, o mesmo sonho quando da criação da própria Universidade de São Paulo". Sobre a diversidade dos alunos egressos do curso de graduação do IAU, o reitor frisou que isso é muito importante porque "a nossa missão é formar lideranças para o desenvolvimento do estado de São Paulo e do Brasil".

O reitor também se comprometeu a continuar apoiando o desenvolvimento do Instituto e já garantiu os recursos para a construção do novo edifício da biblioteca da Unidade.

INAUGURAÇÃO – Após o encerramento da sessão, todos os presentes se dirigiram para a inauguração do Centro de Produção Digital (CPDIg) do IAU-USP, que recebeu investimentos da ordem de R$ 700 mil reais (R$ 450 mil dos quais via Reitoria) para a reforma e readaptação estrutural física e elétrica, além de novos equipamentos de informática, gravação, áudio e vídeo. O CPDIg conta com estúdio, ilha de edição, sala de produção e reuniões/conferência, além de espaço para acesso dos alunos de graduação e pós-graduação do Instituto.

O novo espaço permitirá ao Instituto transmitir seus eventos e programações ao vivo por IPTV (transmissão de TV por internet), assim como produzir material audio-visual tanto para seu acervo como para apoio às atividades didáticas de seus cursos presenciais.