Arquitetura moderna: as Casas de Vidro

Renato-Anelli--Casas-de-Vidro--Home

O gosto pela arquitetura italiana sempre foi presente na vida de Renato Luiz Anelli, docente titular do Instituto de Arquitetura e Urbanismo (IAU/USP). Por essa razão, desde os anos 90, ele dedicou grande parte de suas pesquisas à análise de obras e de arquitetos italianos.

Foi durante essa trajetória que a arquiteta italiana, Lina Bo Bardi, que projetou o Museu de Arte de São Paulo (MASP), passou a fazer parte das pesquisas do docente que, em 2006, foi convidado a colaborar com o Instituto Bardi, fundado pela própria Lina, e por seu marido, Pietro. "Quando entrei no Instituto Bardi, auxiliei o conselho por vários anos e, em 2011, tivemos um apoio da FAPESP* de organização de seu acervo", relembra Renato.

A casa de vidro, localizada no bairro Morumbi, em São Paulo (SP), funciona como uma casa museu, que abriga desenhos de projetos e móveis de Lina Bo Bardi, além de diversos outros documentos (fotos, filmes, escritos, livros, etc.) que atestam a importância do casal para a cultura moderna brasileira.

Em 2014, quando foi comemorado o centenário de Lina Bo Bardi, Renato foi um dos coordenadores das comemorações, e organizou exposições sobre o trabalho da arquiteta, que passaram por diversos países do mundo (Alemanha, Itália, Estados Unidos etc.). "Em 2016, fizemos um projeto para a Fundação Getty [Los Angeles- EUA], com uma proposta para um plano de conservação da Casa de Vidro de Lina, e a co-cordenação ficou a cargo de minha pós-doutoranda, Ana Lúcia Cerávolo", conta o docente.

Inspirado por seu novo projeto, Renato fez um "adendo" ao mesmo, e decidiu criar uma exposição que retratasse outras casas de vidro (inclusive, de fora do Brasil). "Fui professor visitante da Columbia University (EUA) e, conversando com um colega de lá, tive a ideia para essa exposição", relembra Renato.

O projeto proposto por Renato (clique aqui para assistir ao breve vídeo explicativo) sugeriu um estudo comparativo entre a casa de vidro Bardi e três casas de vidro estadunidenses (Eames House, Philip Johnson Glass House e Farnworth House), considerando quatro pontos de vista diferentes: conceitual, construtivo, a questão da vivência nessas casas, e o legado deixado por elas. "Nesse projeto, também estudamos a sustentabilidade dessas casas, inclusive no que se refere à parte financeira, visto que há um custo alto para mantê-las", explica o docente. "Essas casas têm características construtivas das casas de vidro e, ao mesmo tempo, são casas museus, ou seja, preservadas e visitáveis".

Renato-Anelli--Casas-de-Vidro-1

Contando com o auxílio financeiro da indústria de vidros AGC** e apoio do IAU e do Instituto Bardi, o projeto, que, além da curadoria de Renato Anelli, teve a co-curadoria de Ana Lúcia Cerávolo e de Sol Camacho (Diretora Cultural do Instituto Bardi), foi viabilizado, e a exposição "Casas de Vidro" passou por três locais diferentes: Casa de Vidro em São Paulo, entre outubro de 2017 e março de 2018, Ealmhurst Art Museum em Chicago (EUA), entre junho e agosto de 2018, e no Centro Carioca de Design no Rio de Janeiro, entre outubro de 2018 e janeiro de 2019.

As exposições contaram com fotos, desenhos e três maquetes de cada casa (12, no total), confeccionadas pelo funcionário José Renato Dibo, e com a participação dos estudantes Luiana Cardoso, Aluisio Teles e Isadora Leoncio.

O resultado e a história do projeto culminaram com a produção de um livro catálogo pela editora Romano Guerra, organizados por Renato Anelli e Sol Camacho, e prefácio de Barry Bergdoll, professor da Columbia University e ex-curador chefe de arquitetura e design do Museum of Modern Art (MoMA- Nova York). O livro conta ainda com os depoimentos dos curadores das quatro casas, apresentados em encontro no auditório do MASP logo após a abertura da exposição em outubro de 2017.

O livro leva o mesmo nome da exposição, e será lançado no IAU no próximo dia 26 de março, às 17 horas, no auditório "Paulo de Camargo e Almeida". 

*Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

** Patrocínio obtido através do programa PROAC da Secretaria Estadual de Cultura.

Imagens:

1- Maquete da Casa de Vidro de Lina Bo Bardi feita pelo funcionário do IAU, José Renato Dibo (créditos: Renato Anelli)

2- Miniatura da Casa de Vidro de Lina Bo Bardi, exposta na própria casa (créditos: Renato Anelli)