Instituto de Arquitetura e Urbanismo de São Carlos

Manifestação da Congregação do IAU sobre a politica educacional e de pesquisa do Governo Federal

Manifestação--corte-de-bolsas

A Congregação do Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (IAU/USP), reunida em sua 92ª Sessão Ordinária da Congregação, no dia 3 de maio de 2019, vem a público manifestar o seu posicionamento, absolutamente contrário ao conjunto de medidas tomadas pelo atual governo federal, em relação ao desmonte do Sistema de Pesquisa e do Sistema Educacional Brasileiro. Trata-se, assim, de denunciar a política estruturada de destruição das instituições e processos educacionais e de pesquisa para além da necessidade de denunciar a falsidade das informações veiculadas pelas mídias e pelas redes sociais.

O ataque à educação e à pesquisa abrange com igual intensidade todas as suas modalidades, do ensino básico ao superior. Entretanto a inviabilização do sistema superior de ensino e pesquisa ocupa posição estratégica no âmbito da ação do atual Governo em uma guerra declarada à produção do conhecimento .

Sabemos que o ensino público fundamental e médio vêm sendo corroído há décadas no Brasil e as deficiências resultantes desse processo de corrosão são bastante conhecidas. Entretanto, o sistema de ensino e pesquisa público de nível superior se manteve qualitativamente organizado, alcançando resultados reconhecidamente de excelência. A acusação de ineficiência que incide especialmente sobre as áreas reunidas no que se convencionou chamar de Humanidades vem sendo utilizada para deslegitimar todo o sistema público de ensino e pesquisa, transformando-o em ônus ou território a ser vencido ou eliminado, crescentemente visto como perdulário e inútil diante das carências e das urgências do Brasil. A inviabilização do sistema público superior de ensino e de pesquisa aponta ainda para a perspectiva de sua privatização, para sua transformação em nicho de negócio rentável e lucrativo à mercê de fundos de investimento estrangeiros e de grandes conglomerados de empresas que já dominam parte do ensino superior privado do país.

Neste sentido, a Congregação do IAU/USP reafirma a sua posição contrária a essa mesma política, e conclama todos aqueles que defendem a preservação estratégica do ensino e da pesquisa públicos e de qualidade a cerrarem fileiras em sua defesa.

Imagem: Reunião promovida pelos alunos do IAU na última quinta-feira, 9 de maio, para discutir ações contra a política educacional do Governo Federal