Instituto de Arquitetura e Urbanismo de São Carlos

Arquiteta e Urbanista Paula Vilela, formada pelo IAU, obtém Primeiro Lugar em Concurso

 Concurso-Habitacao-Interesse-Sustentavel---Paula-Vilela web

_ A Arquiteta e Urbanista Paula Vilela, formada pelo Instituto de Arquitetura e Urbanismo USP, obteve o 1º LUGAR no CONCURSO HABITAÇÃO INTERESSE SUSTENTÁVEL (SNH – MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO REGIONAL – IAB – GIZ).

Pensar na produção de habitação no Brasil é papel fundamental como solução para problemas sociais e urbanísticos. Iniciativas que vão desde a Fundação Casa Popular, passando pelos IAP ́s, BNHs até chegar no MCMV demonstram ao longo da nossa história o papel fundamental desse tema e suas contradições.

A produção em larga escala sempre esbarrou em questões de qualidade e modelo de urbanização. Programas e projetos que atingiram larga escala, como o MCMV, com mais de 4,3 milhões de unidades habitacionais entregues até 2019, possuem uma arquitetura de baixa qualidade e uma lógica de ocupação de seus conjuntos pautada pelo espraiamento urbano monofuncional. Habitações alocadas longe de centralidades e eixos articuladores, que geram monotonia, insegurança e baixa qualidade urbana.

A sustentabilidade de um projeto de Habitação Social precisa ser encarada de forma holística. Desde o entendimento da produção, tecnologia e replicabilidade da proposta até a implantação de um projeto que rearticule noções de urbanidade, centralidade e convivência.

Diante dessas questões, a habitação se torna chave central e antídoto para diversas problemáticas da cidade contemporânea. Desde a retomada de áreas centrais, adensamento, aproveitamento de infraestrutura existente, até a produção de novas centralidades, Conjuntos Replicáveis e ações para alavancar um modelo de Implantação de um Conjunto Habitacional que seja Sustentável em um projeto que articule tanto as demandas específicas e técnicas da habitação, como também seja um gerador de urbanidade e um articulador de demandas distintas dentro da mesma quadra.

Dessa forma, a implantação permite que habitação, comércio e convivência se misturem e se separem de maneira estratégica e articulada, gerando uma gradação de acessos e usos que potencializem a urbanidade da quadra e do entorno.

Ao pensar na possibilidade de replicação desta quadra, a alternância entre os blocos no lote permite uma dinâmica de rua que garante a vivacidade do quarteirão. Assim, diferentemente dos conjuntos monótonos e murados que cercam as frentes de rua, esse conjunto passa a ter sempre uma quadra com frente mista, podendo ser pensada a implantação de diversas quadras simultâneas, alternando fachadas ativas, moradias e lazer.

O projeto visa garantir que a sustentabilidade seja apresentada em todas as suas frentes. Seja ela como estratégia de implantação, permitindo a geração de urbanidade, convívio e dinamismo de atividades, seja por questões atreladas à tecnologia da construção e recursos relacionados ao conforto ambiental.

Nesse sentido, diante de diversos desafios como viabilidade econômica, técnica construtiva, implantação, programa de necessidades, acessibilidade, mobilidade, conforto ambiental e ecoeficiência, a proposta resulta na articulação entre elementos tradicionais e replicáveis, com estratégias de utilização que permitam sua eficiência em todos esses quesitos.

Atividade aberta, com a comunicação do Prof. Pedro Alarcão da Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP)

atividade-aberta 09 06  web

 

_ Nós, professores da disciplina "Projetos e Leituras", do Programa de Pós-Graduação do Instituto de Arquitetura e Urbanismo da USP, convidamos a comunidade acadêmica para participar da atividade aberta, onde teremos a comunicação do Prof. Pedro Alarcão da Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP) sobre o ensino de projeto que destaca a escola no cenário internacional.

Prof. Joubert Lancha, Prof. Paulo Castral e Profa Simone Vizioli

 

atividade-aberta 09 06 web 

Paulo Archias Mendes da Rocha: Construtor de Ideias

 PMR foto web

_ É com pesar e tristeza que o IAU USP registra o falecimento do grande arquiteto e urbanista Paulo Archias Mendes da Rocha, aos 92 anos de idade. O arquiteto e urbanista Marcelo Suzuki teve a oportunidade de conviver com Paulo, e relembra algumas faces do seu pensamento cultural, que marcaram sua atividade e ficam como um grande legado para todos os profissionais que lutam por uma arquitetura que alie qualidade formal e sentido social.

Paulo Archias Mendes da Rocha

Tive a oportunidade de conviver com intelectuais importantes, de uma geração a qual podemos chamar de Século XX. Viveram, atuaram, agiram de um modo bem característico dessa estirpe, souberam propor e lutar para criar um mundo diferente, buscaram o extraordinário, anteviram algo novo, factível, logo ali, a ser encontrado com alguma naturalidade lógica, contra tudo e todos em sua época.

Ao mesmo tempo prestavam atenção a tudo e a todos com muita acuidade, perscrutando o que pudesse estar por trás do que fosse aparência, buscavam coisas mais profundas e interessantes do que as que estavam flutuando, atrativas, e seguiam em busca do que ainda estava por ser desvelado.

Uma das mais importantes, dentre elas, foi Paulo Mendes da Rocha. Estava constantemente, sempre, em condição de intransigência, no sentido em que Le Corbusier havia colocado. Não havia nada que pudesse passar despercebido, nada que não devesse ser obrigatoriamente questionado, esmiuçado, nada que não pudesse ter outro encaminhamento, outra solução, e, claro: outro projeto!

Essa posição fazia com que, mesmo sendo uma conversa coloquial, de botequim, nos colocasse em atenção, para formulação de ideias com consistência para emitir frases de conversa digna dentre intelectuais, fato que, na verdade, o divertia muito.

Paulo Mendes da Rocha, defendia suas ideias com vigor, sempre em nome de nova proposição, de outra maneira de se enxergar o mundo, portanto, sempre extremamente enriquecedor para trazer novos conteúdos e principalmente para se confrontar com um raciocínio diferenciado, peculiar, específico de seu jeito muito determinado

Personalidade autônoma, assim, fica claro porque nunca formulou sua Arquitetura como "escola", sempre a colocou como absolutamente particular, pessoal, dizendo que cada um deveria desenvolver seu próprio caminho, ninguém deveria segui-lo. Afirmou isso inúmeras vezes, mesmo diante do círculo de arquitetos aficionados e desejosos de fazer parte dessa possível "escola", seguir algum caminho orientado. Por isso é tão perceptível que Paulo, embora muito próximo ao emblemático Vilanova Artigas, mestre e, este sim, formulador de uma possível "escola", tenha mantido uma obra diferenciada e pessoal, marcando distância da obra de Artigas.

Tudo isso traduziu-se em uma obra que muitas vezes foi alcunhada de dura, difícil ou inóspita, além do inevitável adjetivo catalográfico e apressado de brutalista. Se enfocada sob a ótica do confort burguês era, sim, inóspita e dura. Mas suas proposições estruturais e de emprego de materiais são de maestria incomum, a relação entre obra, espaço urbano e território são admiráveis antevisões desse mundo novo, diferente, talvez alcançável um dia, muito atraentes e aconchegante, tal que soa até doméstico e familiar.

As implantações dos projetos sobre o território são a maior demonstração desse domínio sobre o que é desejável humanamente, projetar, construir, edificar, no sentido mais magníficos que estas atitudes possam conter, mesmo que, por enquanto, ainda difícil de ser percebido. Tem coisas que perduram e o aprendizado pode acontecer a qualquer momento, mesmo que muito posterior ao atual.

Marcelo Suzuki
Professor do Instituto de Arquitetura e Urbanismo – USP
São Paulo 23 de maio de 2021

PMR foto1

PMR foto2

PMR foto4

PMR foto3


Fotos: Aula Magna no IAU/2014 | Créditos: Paulo Ceneviva
Vídeo: Aula Magna no IAU/2014 https://www.youtube.com/watch?v=iDnfb3PBpcQ - (DigIAU - Acervo Digital do IAU)

14º Seminário Docomomo Brasil - prazo para envio de artigos prorrogado para 20-06-2021

 14-docomomo-brasil  web

_ A Universidade Federal do Pará, o Programa de Pós graduação em Arquitetura e Urbanismo (PPGAU), a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, e os laboratorios de Historiografia da Arquitetura e Cultura Arquitetônica (LAHCA) e de Memória e Patrimônio Cultural (LAMEMO), e o Núcleo Docomomo_PA, têm a satisfação de apresentar e convidar a todos a participarem do 14o Seminário Docomomo Brasil, que será realizado em Belém do Pará, entre os dias 27 e 29 de outubro de 2021.

Coordenação Geral: Profas. Celma Chaves e Cybelle Miranda

CRONOGRAMA DA CHAMADA DE TRABALHOS
Data da realização do seminário: 27, 28 e 29 de outubro de 2021
Local: Belém – Universidade Federal do Pará – Programa de Pós graduação em Arquitetura e Urbanismo
Data limite para envio de artigos completos: 31/05/2021 - PRORROGADA P/ 20/06/2021.

O artigo deverá conter entre 4000 e 6000 palavras, de acordo com o template a ser divulgado proximamente no site do evento. Cada autor poderá participar em no máximo dois artigos. Cada artigo deverá ter no máximo três autores

Site oficial do evento: www.docomomobr14belem.com
E-mail para contato: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Tema: O MODERNO EM MOVIMENTO: USOS, REUSOS, NOVAS CARTOGRAFIAS. Presente e futuro do legado da arquitetura moderna no Brasil.

As transformações pelas quais passam o planeta atualmente, envolvendo todo o globo e todas suas manifestações de vida e seus hábitats, entre eles, as construções realizadas para as mais diversas atividades humanas, nos colocam dilemas e indagações. Diante de uma pandemia global, é natural que nós, arquitetas e arquitetos, e os demais atores ligados à produção dos espaços, nos perguntemos: qual será o futuro da arquitetura e da cidade? O que teremos que mudar para nos adequarmos à necessidade de novos padrões de concepção e execução de obras de arquitetura, de espaços públicos, e de intervenções, entre elas, nas obras da arquitetura moderna?

Ao considerar a arquitetura como uma ação em que se integram diferentes níveis de atuação do homem no mundo, é imperioso que esses níveis se abram às perspectivas que, na atualidade, impactam as condições de vida dos homens como seres habitantes do planeta.

Nessa direção, faz-se necessário recuperar as digressões pertinentes dos diversos divulgadores, promotores e pensadores do movimento moderno.

Os princípios formulados pelos arquitetos que compunham o movimento moderno, ressoam, por um lado, com as necessidades de retorno a uma cidade saudável, ainda que com uma ruptura radical com o lugar. Por outro lado, é fundamental analisar as casas modernas se queremos entender a arquitetura da modernidade. Tanto a casa como a cidade no movimento moderno operaram com um sentido além de suas "funções": era preciso ser refúgio, mas também ponto de partida para as ações do homem no mundo. Habitar, mas também como diria Le Corbusier quando mencionava a instituição pública, era não apenas uma função privada, mas um prolongamento da casa, pois o homem não habita apenas sua própria casa, mas também habita quando participa em uma comunidade e a instituição torna possível essa participação.

Em que pese as críticas de que o movimento moderno repudiava a natureza, a história e a cidade em prol da máquina, é visível o pensamento integrador entre arquitetura e natureza em obras como a Falling Water de Frank Lloyd Wright, ou a Villa Mairea de Alvar Aalto, ou as torres de Rogelio Salmona em Bogotá. Mas não apenas nos edifícios estão essas ligações, Brasília é um exemplo da interação arquitetura-cidade e natureza.

No atual contexto de revisão de paradigmas e reconhecimento de alternativas filosóficas e construtivas em prol de uma arquitetura humanizada, a abordagem do edifício em conciliação com seu entorno faz-se primordial, especialmente na relação com a paisagem, em que incidem elementos naturais, componentes sociais e culturais. Nessa perspectiva, tipologias diversas que compõem os conjuntos de edifícios do movimento moderno, como os hospitais, oferecem um desafio maior para sua compreensão enquanto fator de modernização na assistência à saúde, em face das constantes reformas por que passam suas instalações, sendo colocados em cheque aspectos como salubridade, sustentabilidade de gestão e reconhecimento de detalhes técnicos que possam lhes conferir identidade.

O projeto cultural e também social, foram fundamentos do movimento moderno como bem nos apontou Anatole Kopp, a causa moderna estava além da estilística ou da forma às quais o moderno passou a ser identificado ao longo do tempo. As mudanças sociais, culturais e políticas pelas quais os países estavam passando nas primeiras décadas do século XX instaram os arquitetos a realizarem novas propostas de espaços de morar, de trabalhar, de atividades de ócio, espaços de saúde etc. Nesse sentido, é evidente a importância dos aspectos relacionados não somente à natureza como ambiente físico, mas também à perspectiva em agregar a essa natureza os valores imprescindíveis para uma melhor vida humana nos espaços inventados pelo homem, que na história recente da humanidade se perderam por ações nocivas às variadas biodiversidades inerentes aos meios físicos.

Passados mais de um século da irrupção das ideias modernas, e dadas as notáveis transformações que o planeta vem atravessando nas últimas décadas, é indiscutível a importância de se retomar os princípios sobre os quais a ideia de um moderno hegemônico se desenvolveu. A noção do conhecimento do passado precisa ser repensada juntamente com uma revisão historiográfica a partir de outras visadas. Uma delas é a interpretação do passado, que embora como fato não possa ser modificado, a visão desse passado sim, na ampla acepção que Marc Bloch nos apresenta: um passado como estrutura em constante movimento.

Nesse sentido, o Docomomo 2021 que será sediado em Belém do Pará, na região amazônica brasileira, território que vem sendo impactado por diversas agressões ao seu meio físico e suas populações, como os desmatamentos, os incêndios e apagões elétricos, e as respostas ineficazes ou inexistentes aos recorrentes problemas sociais como a moradia e suas infraestruturas, nos desafia a pensar respostas a um presente em que ambiente e humanidade correm sérios riscos de destruições irreversíveis. Essas questões demandam respostas urgentes para qualificar o espaço das cidades e seu ambiente construído, incluindo repúdio ao apagamento da historia e da memória local.

Convém apontar também a diversidade da arquitetura moderna em um país continental como o Brasil, que apresenta um panorama heterogêneo e rico, porém ainda de pouca visibilidade, especialmente nas regiões onde a produção dessa arquitetura se deu por razões fora da causalidade industrialização e progressismo, mas que foi decorrência de tramas complexas que compõem a realidade local. Assim, faz-se necessário em um evento de abrangência nacional, escutar outras vozes que nos possibilitam ter um panorama mais inclusivo e rico.

Considerar as questões aqui enunciadas significa revisitar a arquitetura do movimento moderno sob uma perspectiva que inclua os distintos olhares sobre ela e seus fundamentos. Novas possibilidades de pensar o presente e o futuro dessa arquitetura, e formular novas ideias baseadas nas experiências do movimento moderno e seu legado, requer recuperar concepções que estejam de acordo com as necessidades apresentada pela sociedade hoje. Isso nos leva a refletir acerca dos (novos) usos dos edifícios da arquitetura moderna.

Observam-se constantemente intervenções que quase sempre alteram as linhas originais dessas obras, afetando seu valor patrimonial e apagando sua memória e história. É inegável a transformação do património no curso da história que se adaptem aos novos usos e expectativas sociais, porém é imprescindível a atenção aos processos que contribuem à sua valoração ou à negação de sua concepção moderna.

Para contemplar tais questões aqui apresentadas, o seminário propõe 04 eixos temáticos:

1. A arquitetura moderna, cultura e natureza.
Este eixo temático acolherá trabalhos que abordem a natureza na sua relação com o espaço construído em suas várias escalas; experiências de projeto ou de pesquisa que contemplem o sentido da arquitetura moderna e sua interface com a questão da sustentabilidade; a arquitetura moderna como expressão de culturas.

2. Documentar. Preservar. Conservar. O patrimônio moderno e seus usos e reusos.
Esperam-se trabalhos que abordem os processos de documentação, preservação e conservação de obras da arquitetura moderna em seu amplo sentido; registros e acesso aos acervos do patrimônio moderno; práticas de construções e intervenções no existente;

3. Novas cartografias e cronologias da arquitetura e do urbanismo modernos no Brasil.
Este eixo acolhe trabalhos que enfocam a historiografia da arquitetura e do urbanismo modernos no Brasil, contemplando as variadas expressões da arquitetura moderna, deslocando e ampliando as geografias e as cronologias até então usuais na historiografia;

4. Espaços modernos e os novos desafios técnicos, ecológicos e sociais do legado da arquitetura moderna.
Este eixo acolhe trabalhos que tratem dos diferentes espaços modernos que abrigam usos em áreas educacionais, da saúde, institucionais, e os desafios para sua permanência, considerando-se fatores como qualidade e sustentabilidade.

14-docomomo-brasil web

Apresentação de experiências no exterior em 2019/2020: intercâmbio de ensino e pesquisa

 exp intercambio web

_ A Comissão de Cooperação Internacional e a Comissão de Graduação do Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo convidam a todos e a todas para a "Apresentação de experiências no exterior em 2019/2020: intercâmbio de ensino e pesquisa" a realizar-se em 31 de maio de 2021, às 17h, de forma remota, pelo canal do youtube do IAU USP - http://youtube.com/iauusp .

Em Defesa do Patrimônio Cultural de São Carlos

patrimonio-sao-carlos web

_ A preservação do Patrimônio Cultural, e nele incluído o Patrimônio Edificado, representa uma das dimensões sociais que estimula e possibilita uma relação qualificada e identitária da sociedade com a sua história, respeitando a memória coletiva e promovendo o bem-estar de seus cidadãos.

Dada a sua importância para a sociedade, a Constituição Federal no seu artigo 216 conceitua o Patrimônio Cultural, e de forma complementar apresenta algumas de suas manifestações:

Art. 216. Constituem patrimônio cultural brasileiro os bens de natureza material e imaterial, tomados individualmente ou em conjunto, portadores de referência à identidade, à ação, à memória dos diferentes grupos formadores da sociedade brasileira, nos quais se incluem:

I - as formas de expressão;
II - os modos de criar, fazer e viver;
III - as criações científicas, artísticas e tecnológicas;
IV - as obras, objetos, documentos, edificações e demais espaços destinados às manifestações artístico-culturais;
V - os conjuntos urbanos e sítios de valor histórico, paisagístico, artístico, arqueológico, paleontológico, ecológico e científico.

A Constituição, ao definir que o Patrimônio Cultural será protegido pelo Estado em colaboração com a comunidade, informa a sua natureza como um bem difuso:

Art. 216, § 1º. O Poder Público, com a colaboração da comunidade, promoverá e protegerá o patrimônio cultural brasileiro, por meio de inventários, registros, vigilância, tombamento e desapropriação, e de outras formas de cautelamento e preservação.

E estabelece que as ações visando a sua preservação são caracterizadas como concorrentes entre os entes federativos, a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios (Art. 23 e 24).

O Município de São Carlos, com o trabalho realizado durante anos por diversas secretarias e assumido pela Fundação Pró-Memória (FPM), conta com uma política estruturada de Preservação em consonância com a Constituição Federal. Quando da elaboração do Plano Diretor, a Fundação Pró-Memória, criada em 1993, em razão de seu reconhecido trabalho na área de preservação do patrimônio, composta de corpo técnico capacitado e especializado nessa atribuição, foi chamada a colaborar para a elaboração do referido Plano Diretor, realizando o Inventário do patrimônio histórico e arquitetônico do Município que definiu a Poligonal de Interesse Histórico, que abrangeu inúmeras edificações dotadas de expressivos valores históricos, arquitetônicos e culturais para a cidade e identidade de sua população, que é periodicamente objeto de atualização, conforme a publicação no Diário Oficial de São Carlos, ano 13, nº1722, 09/03/2021. Este trabalho, associado a outros, elaborado por profissionais altamente qualificados a partir de critérios consagrados no âmbito das formulações preservacionistas de bens materiais e imateriais, é sustentado atualmente por outros profissionais também capacitados e atualizados em relação ao debate patrimonial.

Além da FPM, o município possui ainda o Conselho Municipal de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico e Ambiental de São Carlos – COMDEPHAASC, criado em 2006, composto por representantes da Prefeitura e de instituições da Sociedade Civil, que discute e delibera sobre várias questões relativas à preservação dos bens materiais e imateriais da cidade. Há, portanto, um sistema de preservação do Patrimônio Cultural formado e constituído há mais de uma década que fundamenta a seriedade e a consistência das ações realizadas.

Desta forma, a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) pretendida pelo Partido Trabalhista Brasileiro, baseada, por um lado, na não conformidade constitucional da legislação municipal que através do Plano Diretor de São Carlos (Lei Municipal 13.691),estabeleceu as áreas especiais de interesse histórico, objeto de proteção, nelas incluída a poligonal de interesse histórico e os imóveis preservados por legislação municipal e, por outro, na ausência de critérios por parte da FPM quanto a definição dos mesmos imóveis é desprovida de veracidade e não encontra amparo legal frente a uma análise histórica e objetiva.

A preservação e a salvaguarda do Patrimônio Cultural representa um avanço social de enorme valor para a cidade de São Carlos, para o Estado e para o país. A suposição da inconstitucionalidade de uma ação preservacionista, porque realizada no âmbito municipal, atenta contra o direito da população à sua própria história, de conhecer a sua realidade, e de exercer a sua cidadania, condição fundamental para uma vida social autônoma e digna.

Diretoria do IAU USP

imagem: Residência Pileggi, projeto de David Cassinelli (s/d). São Carlos, SP. Fonte: Mariana Pane (2020).

IAU.USP em Casa - Ciclo de Palestras (14) - Diálogos

014 iau-usp-em-casa  web

_ 17 maio | 17h | youtube.com/iauusp | Lançamento do livro "LINA BO BARDI: o que eu queria era ter história". com ZEULER R. LIMA (autor, professor Washington University), ALINE Coelho SANCHES (IAU USP) e MIGUEL BUZZAR (IAU USP). 

Com grande satisfação o INSTITUTO DE ARQUITETURA E URBANISMO (IAU-USP) recebe no próximo dia 17 de maio, às 17h, o pesquisador, artista, designer, curador e professor da UNIVERSIDADE DE WASHINGTON, em Saint Louis, ZEULER R. LIMA para apresentação do seu livro Lina Bo Bardi: O que eu queria era ter história. A biografia, publicada pela Companhia das Letras no último dia 07, é resultado de vinte anos de cuidadosa pesquisa sobre a arquiteta. Lina Bo Bardi é esse ano homenageada postumamente, pelo conjunto de sua obra, com o Leão de Ouro Especial da 17ª edição da Bienal de Veneza, cujo tema é "How will we live together?" [Como viveremos juntos?]. O prêmio renova o interesse internacional pelo trabalho e pela vida dessa figura notável da Arquitetura e, como destaca o Instituto Lina Bo e P.M. Bardi, ela é a primeira mulher brasileira e a primeira no mundo com obra construída a receber a honraria. Nesse momento, a biografia acurada e inteligente escrita por Zeuler R. Lima e o seu debate são mais que bem-vindos e necessários. A mesa será composta pelos professores do IAU, ALINE COELHO SANCHES e MIGUEL ANTONIO BUZZAR, visando ampliar o debate e convidar à participação do público por meio de questões via chat do youtube.com/iauusp.

ZEULER R. LIMA é pesquisador, artista, designer, curador e professor da Universidade de Washington, em Saint Louis. Formado em arquitetura e urbanismo pela FAU-USP e com pós-doutorado em literatura comparada pela Universidade Columbia, ele recebeu o prêmio Bruno Zevi de história e crítica da arquitetura em 2007. Publicou o ensaio biográfico Lina Bo Bardi pela Yale Press, em 2013, e livros como Lina Bo Bardi, Drawings (Princeton University Press, 2019), e Lina Bo Bardi Dibuja / Dibuxa (Fondació Joan Miró, 2019), que acompanharam as respectivas exposições com sua curadoria. Site: https://zeulerlima.com/

Aline Coelho Sanches é professora de Teoria e História da Arquitetura e Urbanismo no IAU-USP. É Arquiteta e Urbanista e Mestre pela mesma escola e Doutora pelo Politécnico de Milão. Sobre a obra de Lina Bo Bardi desenvolveu pesquisas e escreveu textos, em especial, Casa de Vidro: um canteiro de contínua experimentação, que nesse ano recebeu o Prêmio Anparq na categoria Artigo em coletânea e foi publicado no livro organizado por Renato Anelli com supervisão de Marcelo Suzuki sobre o Plano de Gestão e Conservação da Casa de Vidro. Artigo da professora: Casa de Vidro - Lina Bo Bardi architect: Conservation Management Plan http://www.getty.edu/foundation/initiatives/current/keeping_it_modern/report_library/casa_de_vidro.html?q={}

Miguel Antonio Buzzar é graduado em Arquitetura e Urbanismo pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (1980), mestre (1996) e doutor (2002) em estruturas ambientais urbanas pela mesma Faculdade. Livre-docente pela Escola de Engenharia de São Carlos / USP (2011). Docente da USP desde 1989 ocupou vários cargos: coordenador do Curso de Arquitetura e Urbanismo e Presidente da Comissão de Graduação do Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo - IAU USP, Diretor do Instituto de Arquitetura e Urbanismo / USP (2016/2020), e atualmente Vice -Diretor (2020-2023). Leciona na graduação e na pós-graduação e pesquisa na área Teoria e à História da Arquitetura e do Urbanismo, principalmente: arquitetura moderna, arquitetura e urbanismo contemporâneo e políticas urbanas e habitacionais. Coordena 2 grupos de pesquisa certificados pelo CNPq: "Arquitec - arquitetura, tecnologia e habitação" e "ArtArqBR - arte e arquitetura, Brasil: diálogos na cidade moderna e contemporânea". Autor de trabalhos acadêmicos, destacando os livros "João Batista Vilanova Artigas: elementos para a compreensão de um caminho da arquitetura brasileira – 1938-1967"; e "Rodrigo Brotero Lefèvre e a Vanguarda da Arquitetura no Brasil"; coordena o Projeto de e pesquisa e extensão Cartilha da Cidade e a pesquisas "Difusão da Arquitetura Moderna no Brasil – o caso do Plano de Ação do Governo do Estado de São Paulo (1959-1963)". É parecerista ad-hoc das agências de fomento, FAPESP e CNPq e pesquisador bolsista em produtividade do CNPq - bp 2

14 cartaz web

IAU.USP em Casa - Ciclo de Palestras (15) - Diálogos

 IAU-EMCASA 15 web

_ O IAU_EM CASA convida para o debate PATRIMÔNIO CULTURAL HOJE: PROBLEMAS E DESAFIOS, com a participação de Maria Rita Amoroso (CICOP BR), Nivaldo Andrade Jr (Fórum de Entidades em Defesa do Patrimônio Cultural Brasileir) e Renato Gama Rosa (DOCOMOMO BR)

O DECRETO-LEI Nº 25, DE 30 DE NOVEMBRO DE 1937, no seu CAPÍTULO I, assim define o PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL: Art. 1º Constitue o patrimônio histórico e artístico nacional o conjunto dos bens móveis e imóveis existentes no país e cuja conservação seja de interêsse público, quer por sua vinculação a fatos memoráveis da história do Brasil, quer por seu excepcional valor arqueológico ou etnográfico, bibliográfico ou artístico.

Ainda que pareça anacrônico e problemático buscar o amparo de um Decreto de 1937 para apresentar o que seria o Patrimônio, a sua menção neste momento se faz necessária. O conceito de Patrimônio evoluiu sua amplitude abrangendo bens materiais e imateriais é demonstrativo disso, da mesma forma, as concepções de preservação integram um profícuo debate conceitual. Do Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (SPHAN) ao atual Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), inúmeros órgãos de preservação, nos âmbitos estaduais e municipais foram criados. Entretanto, nos últimos anos, ao mesmo tempo que os conceitos evoluíram, uma "maré" reacionária em nosso país vem promovendo um desmonte de políticas, instituições impedindo que bens "de interesse público" sejam preservados.

Os casos se avolumam, e são de várias ordens, como por exemplo:

O CONPRESP - Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo , em 2018 - apenas três meses após ter decidido tombar o salão de festas do Esporte Clube Pinheiros, de autoria do arquiteto Gregori Warchavchik, reverteu este ato, por pressão da direção do Clube;

O CONDEPHAAT – Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico, do Estado de São Paulo, em 2020 - rejeitou pedido de tombamento do Conjunto Esportivo Constâncio Vaz Guimarães que abriga o Ginásio do Ibirapuera em São Paulo, este de autoria do arquiteto Ícaro de Castro e Mello. A decisão encontra-se em compasso de espera, por várias razões, mas, caso seja reafirmada, abre caminho para que o Conjunto seja concedido à iniciativa privada, permitindo sua demolição ou descaracterização;

A Fundação Pró-Memória de Indaiatuba, foi extinta através da aprovação do Projeto de Lei tramitado em caráter de urgência na Câmara Municipal da cidade, na data de 22/03/2021, e publicado como lei complementar no dia 24/03/2021, na imprensa oficial da cidade de Indaiatuba, como Lei Complementar 71/2021 , que determinou a extinção, em 90 dias. Um ato que, apesar de legal, só pode ser caracterizado como de exceção.

O Partido Trabalhista Brasileiro, PTB - através de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) pretende anular toda a política e ações preservacionistas impulsionadas pela Fundação Pró-Memória de São Carlos. A ADI suposta e falsamente está baseada, por um lado, na não conformidade constitucional da legislação municipal que através do Plano Diretor de São Carlos (Lei Municipal 13.691),estabeleceu as áreas especiais de interesse histórico, objeto de proteção, nelas incluída a poligonal de interesse histórico e os imóveis preservados por legislação municipal e, por outro, na ausência de critérios por parte da FPM quanto a definição dos mesmos imóveis, sendo ambas fundamentações desprovidas de veracidade, não encontrando amparo legal.

Esses exemplos são demonstrativos da situação de RISCO, na qual o Patrimônio Cultural, e o "excepcional valor arqueológico ou etnográfico, bibliográfico ou artístico", que o constitui, se encontra no país, o que torna necessário, urgente e atual sua discussão.

MARIA RITA AMOROSO é arquiteta urbanista, doutora em Arquitetura ,Tecnologia e Cidade pela Universidade de Campinas UNICAMP-SP. Pesquisadora junto a Universidade de Aveiro – PT na vertente do Patrimônio do Brasil e Portugal na Universidade de Aveiro (UA) ,Coordenadora Geral no Brasil - FIPA- (Fórum Internacional de Patrimônio Arquitetônico Brasil /Portugal), Presidente do CICOP.NET/BRASIL - (CICOP Net Confederation is a Network of International Centers for the Conservation of Architectural Heritage (Florença ,Itália ) ,Consultora CICOP.Itália- GESTAO ,Presidente das Americas -YπIA (Hypatia International Award) ,membro - ICOMOS -Conseil International des Monuments et des Sites ,ex- Diretora de Projetos Especiais da Secretaria de Urbanismo da Prefeitura Municipal de Campinas entre 2008 a 2011, participante do Conselho Gestor da Rede Patrimônio Cultural Paulista.

Links de interesse:
cicop.it https://www.cicop.net/wordpress/brazil/ https://redepatrimoniosp.wixsite.com/menu/quem-somos https://www.fipabrasil.com.br

NIVALDO DE ANDRADE JÚNIOR é arquiteto e urbanista, mestre e doutor em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Realizou pós-doutorado junto à École d'Urbanisme de Paris, com bolsa CAPES. Professor Associado da Faculdade de Arquitetura da UFBA, onde coordena o Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo (PPG-AU) e é professor permanente do Mestrado Profissional em Conservação e Restauração de Monumentos e Núcleos Históricos (MP-CECRE). É coordenador do Fórum de Entidades em Defesa do Patrimônio Cultural Brasileiro, formado por 24 entidades nacionais de diversas áreas, e membro do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural (IPHAN). Foi Presidente Nacional do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB) e Secretário Executivo da Federación Panamericana de Asociaciones de Arquitectos (FPAA), além de ter sido membro do Conselho Deliberativo do ICOMOS Brasil e do Conselho Diretor do DOCOMOMO Brasil.

RENATO DA GAMA-ROSA COSTA possui graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal Fluminense (1987), mestrado em Arquitetura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1998), doutorado em Urbanismo Prourb/Universidade Federal do Rio de Janeiro (2006), doutorado sanduiche no Institut d'Urbanisme de Paris (2004) e Pós-doutorado pelo Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra (2014). É tecnologista senior e pesquisador da Fundação Oswaldo Cruz onde é membro do Núcleo de Estudos de Urbanismo e Arquitetura em Saúde, do Departamento de Patrimônio Histórico da Casa de Oswaldo Cruz. Coordenador do curso de Mestrado Profissional em Preservação e Gestão do Patrimônio Cultural das Ciências e da Saúde, Fundação Oswaldo Cruz/Fiocruz. Professor da subárea Saneamento Ambiental do Curso de Pós-Graduação em Saúde Pública da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP/Fiocruz). Líder do Grupo de Pesquisa no CNPq 'Saúde e Cidade'. Coordenador do Docomomo Brasil. Tem experiência na área de Arquitetura e Urbanismo, com ênfase em História da Arquitetura e Urbanismo, atuando principalmente nos seguintes temas: Rio de Janeiro, história, arquitetura e urbanismo, patrimônio cultural, arquitetura de instituições de saúde-história e história urbana.

Site do MoMove (Brazil) no Docomomo Internacional: http://exhibition.docomomo.com/items/browse?search=brazil&submit_search=Search
Site do Docomomo Brasil: https://docomomo.org.br/sobre-o-docomomo-brasil/
Site do Fórum de Entidades em Defesa do Patrimônio Cultural Brasileiro: https://forumpatrimoniobr.wordpress.com/

MIGUEL BUZZAR é graduado em Arquitetura e Urbanismo pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (1980), mestre (1996) e doutor (2002) em estruturas ambientais urbanas pela mesma Faculdade. Livre-docente pela Escola de Engenharia de São Carlos / USP (2011). Docente da USP desde 1989 ocupou vários cargos: coordenador do Curso de Arquitetura e Urbanismo e Presidente da Comissão de Graduação do Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo - IAU USP, Diretor do Instituto de Arquitetura e Urbanismo / USP (2016/2020), e atualmente Vice -Diretor (2020-2023). Leciona na graduação e na pós-graduação e pesquisa na área Teoria e à História da Arquitetura e do Urbanismo, principalmente: arquitetura moderna, arquitetura e urbanismo contemporâneo e políticas urbanas e habitacionais. Coordena 2 grupos de pesquisa certificados pelo CNPq: "Arquitec - arquitetura, tecnologia e habitação" e "ArtArqBR - arte e arquitetura, Brasil: diálogos na cidade moderna e contemporânea". Autor de trabalhos acadêmicos, destacando os livros "João Batista Vilanova Artigas: elementos para a compreensão de um caminho da arquitetura brasileira – 1938-1967"; e "Rodrigo Brotero Lefèvre e a Vanguarda da Arquitetura no Brasil"; coordena o Projeto de e pesquisa e extensão Cartilha da Cidade e a pesquisas "Difusão da Arquitetura Moderna no Brasil – o caso do Plano de Ação do Governo do Estado de São Paulo (1959-1963)". É parecerista ad-hoc das agências de fomento, FAPESP e CNPq e pesquisador bolsista em produtividade do CNPq - bp 2

IAU-EMCASA 15 cartaz web

IAU.USP em Casa - Ciclo de Palestras (16) - Diálogos

 016 IAU-EMCASA  web

_ TERÇA | 01/06 | 17h30 | Exibição no: youtube.com/iauusp | PAULO MENDES DA ROCHA: conversas sobre arquitetura | com Joubert Lancha - IAU (mediador); Marcelo Suzuki - IAU; Vitor Silva - FAUP-PORTO; Catherine Otondo - FAU - Mackenzie; Fernando M. Franco - FAU - Mackenzie.

A obra de Paulo Mendes da Rocha, desde o Ginásio do Clube Atlético Paulistano em coautoria com João De Gennaro, incluindo o pavilhão brasileiro na Exposição Universal de Osaka em 1970, o Museu Brasileiro da Escultura de 1988, a reforma e intervenção no edifício da Pinacoteca do Estado, concluído em 1998 (com a participação dos arquitetos Eduardo Colonelli e Welliton Torres), até o Museu Nacional dos Coches, em Lisboa de 2015, tem um valor inestimável para a arquitetura brasileira.

Valor este, reconhecido internacionalmente, tendo recebido o Prêmio Mies van der Rohe de arquitetura latino-americana, em duas oportunidade: 1999, pelo projeto do MuBE, e 2000, pelo projeto da Pinacoteca de São Paulo. Em 2006, tornou-se o segundo arquiteto brasileiro — depois de Oscar Niemeyer, em 1988— a vencer o Pritzker, talvez o maior prêmio internacional de arquitetura.

Em 2016, foi agraciado com o Leão de Ouro de Veneza e o Prêmio Imperial do Japão, em 2017, recebeu a medalha de ouro do Riba (Royal Institute of British Architects), e receberá a Medalha de Ouro 2021 da

União Internacional do Arquitetos (UIA), no 27º Congresso Internacional que se realizará este ano no Rio de Janeiro.

Para conversar sobre o arquiteto suas ideias, obras e visões o IAU.EM.CASA convidou os arquitetos, artistas e professores que de diferentes formas conviveram, trabalharam e se relacionaram com o arquiteto.

JOUBERT LANCHA é professor Assoc. Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo - IAU-USP, São Carlos – Brasil; integra a Área de Concentração Teoria e História da Arquitetura e do Urbanismo. Pesquisador CNPq Bolsista Produtividade PQ 2. Membro fundador do (N.ELAC - IAU.USP) Núcleo de Apoio à Pesquisa - Estudos de linguagem em arquitetura e cidade. Diretor do (IAU-USP) Instituto de Arquitetura e Urbanismo da USP (2020-2024).

MARCELO SUZUKI é graduado pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (1980) e Doutor em Arquitetura pela Universidade de São Paulo (2010). Atualmente é Professor Doutor em Regime de Turno Completo do Grupo de Disciplinas de Projeto, junto ao Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, campus São Carlos. Atua como profissional de Arquitetura, em escritório próprio, na cidade de São Paulo. Projetou diversos edifícios, projetou e montou diversas exposições e escreveu textos para periódicos e para a Universidade

VÍTOR SILVA é pintor e docente da FAUP desde 1987. É autor de Ética e Política do Desenho. Teoria e Prática do Desenho na Arte do século XVII (Faup-publicações, 2004), Aby Warburg 1866-1929, uma cartografia da história, da arte e da cultura ( Braço de Ferro, 2010) e Henrique Pousão. Infância, Experiência e História do Desenho (Dafne Editora, 2011) Foi curador da exposição Esperando o Sucesso, Impasse académico e modernismo de Henrique Pousão, Museu Soares dos Reis, Porto. Tem orientado a sua investigação na área do desenho e imagem. É co-editor da Revista Psiax e do Projecto editorial KKYM, Imago/Ymago. Actualmente é membro do Núcleo de Desenho, do Instituto de Investigação em Artes, Design e Sociedade, I2ADS, da FBAUP, fazendo parte do Projecto Desenho na Universidade Hoje / Drawing in the University Today e do Projecto Atlas & Vocabulário do Desenho. Expõe regularmente desde 2000 na Galeria Extéril, Porto.

CATHERINE OTONDO é arquiteta graduada pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP) em 1994. Em 2013, recebeu o título de doutora pela mesma instituição com a apresentação da tese: "Desenho e espaço construído; relações entre pensar e fazer na obra de Paulo Mendes da Rocha". Sobre a obra do arquiteto publicou ainda os livros: Maquetes de Papel, Itinerários de Arquitetura – Paulo Mendes da Rocha e o curta metragem 29 minutos com PMR. Atualmente é sócia do escritório base urbana em parceria com a arquiteta Marina Grinover. O escritório desenvolve projetos nas várias escalas da arquitetura e do desenho urbano, com foco no processo completo de projeção desde os primeiros desenhos até a execução da obra. Foi professora de Projeto no Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (IAU-USP), e atualmente leciona a mesma disciplina na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie. Em 2020 foi eleita juntamente com um grupo de 156 mulheres, Presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado de São Paulo, CAU/SP, para a gestão do triênio 2021-2023.

FERNANDO DE MELLO FRANCO possui graduação em Arquitetura e Urbanismo (1986) e doutorado em Estruturas Ambientais Urbanas (2005) pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU USP). Professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie (FAU UPM) Consultor Especialista Urbano do Banco Mundial. Professor do Curso de Arquitetura e Urbanismo da Escola de Engenharia de São Carlos da USP (1992 a 2005). Professor do Curso de Pós-Graduação latu senso da Universidade Mackenzie (2010 a 2011) . Professor do Curso da USJT (2005 a 2011). Professor visitante da Graduate School of Design em Harvard (2009). Secretário de Desenvolvimento Urbano do Município de São Paulo (2013-2016), responsável pela coordenação dos trabalhos do poder executivo na revisão do marco regulatório da política urbana do município. Presidente da SP Urbanismo, empresa pública de urbanização (2013-2016), responsável pela coordenação dos projetos urbanos elaborados para a cidade durante o período. Diretor do URBEM, Instituto de Urbanismo e Estudos para a Metrópole (2011-2013 e 2017-2019). Sócio-fundador do escritório MMBB Arquitetos. Colaborador do Arquiteto Paulo Mendes da Rocha (1996 a 2012).

#IAU.USP.EMCASA
Comissão de Cultura e Extensão - CCEx IAU
Instituto de Arquitetura e Urbanismo
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

 

016 IAU-EMCASA cartaz web

Aula Inaugural do Curso de Arquitetura e Urbanismo IAU com a arquiteta e urbanista Catherine Otondo - 2021

 aula-inaugural-graduacao 2021  web

_ O Instituto de Arquitetura e Urbanismo (IAU) da USP, em São Carlos, tem a satisfação de convidar toda a comunidade para a Aula Inaugural do Curso de Arquitetura e Urbanismo, intitulada "Ninguém estranhou o minhocão ficar fora do chão? Hai-kai de André Stolarski", a ser ministrada pela arquiteta e urbanista Catherine Otondo, no dia 5 de maio, quarta-feira, às 14 horas, por videoconferência.

Catherine Otondo é arquiteta graduada pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP) em 1994. Em 2013, recebeu o título de doutora pela mesma instituição com a apresentação da tese: "Desenho e espaço construído; relações entre pensar e fazer na obra de Paulo Mendes da Rocha". Sobre a obra do arquiteto publicou ainda os livros: Maquetes de Papel, Itinerários de Arquitetura – Paulo Mendes da Rocha e o curta metragem 29 minutos com PMR.

Atualmente é sócia do escritório base urbana em parceria com a arquiteta Marina Grinover. O escritório desenvolve projetos nas várias escalas da arquitetura e do desenho urbano, com foco no processo completo de projeção desde os primeiros desenhos até a execução da obra.

Foi professora de Projeto no Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (IAU-USP), e atualmente leciona a mesma disciplina na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Em 2020 foi eleita juntamente com um grupo de 156 mulheres, Presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado de São Paulo, CAU/SP, para a gestão do triênio 2021-2023.

Link do evento: https://www.youtube.com/iauusp

IAU.USP em Casa - Ciclo de Palestras (13) - Diálogos

 013 IAU-EMCASA para-o-SITE web

_ QUARTA | 28 / 04 | 15h | Sérgio Ferro, Silke Kapp (UFMG), João Marcos Lopes (IAU-USP) | Exibição no: youtube.com/iauusp

Desde sua publicação na década de 1970, O canteiro e o desenho provocou apressadas conclusões sobre a impertinência das críticas de Sérgio Ferro ao desenho da arquitetura: por que o desenho, concebido a partir de referências da 'alta arquitetura' e autorizado como representação do projeto a executar, seria mero prestador de serviços no processo de produção capitalista do valor? Por que ele seria apenas um coadjuvante da expropriação violenta da força de trabalho nos canteiros?

Os incômodos se estenderam por mais de quarenta anos, e chegamos agora a um amplo reconhecimento de que a teoria crítica elaborada por Sérgio Ferro não se põe contra o desenho de forma genérica. Sua crítica se debruça sobre o desenho funcionalizado, submetido, separado do contexto da produção e de seus produtores. Trata-se de colocar em julgamento aquele desenho que tem "um passado traumático e traumatizante, reativado constantemente pela prática da subordinação formal na manufatura", aquele desenho que "nasce com a destruição da autonomia do canteiro do qual sai como escória dessa perda", substituindo "com seu enfezamento autista a autonomia produtiva autêntica que ajuda a castrar".

No lugar desse desenho separado, Sérgio aponta a reinvenção de um "desenho imerso no retorno da autonomia produtiva", reconhecendo que "a dignidade sóbria do desenho integrado como momento da produção é o oposto contraditório da indignidade do desenho escravizador a serviço do capital".

Todas essas citações foram extraídas de Construção do desenho clássico, o novo livro de Sérgio Ferro, que está sendo produzido e editado pelo selo MOM Edições, uma iniciativa do Grupo de Pesquisa MOM, vinculada à Editora da Escola de Arquitetura da UFMG.

O IAU EMCASA, um evento promovido pela Comissão de Cultura e Extensão do Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, CCEx-IAU, traz, no próximo dia 28 de abril, uma conversa entre Sérgio Ferro e Silke Kapp – professora da EA-UFMG e responsável pela edição de Construção do desenho clássico –, mediada pelo professor João Marcos Lopes, do IAUUSP.

A iniciativa dialoga com a difusão da obra de Sérgio Ferro em língua inglesa, mobilizada pelo projeto Traduzindo Ferro / Transformando Conhecimentos em Arquitetura, Projeto e Trabalho para o Novo Campo de Estudos de Produção, que é coordenado pelo professores João Marcos Lopes e Katie Lloyd Thomas (Newcastle University), apoiado por um acordo de cooperação entre a FAPESP e a agência britânica Arts & Humanities Research Council (AHRC).


Since its publication in the 1970s, O canteiro e o desenho has prompted hasty conclusions on the impertinence of Sérgio Ferro's criticism of architectural design: why would design, conceived upon references from 'high architecture' and authorised as representation of a plan to be carried out, be a mere service provider in the process of capitalist production of value? Why should it be just an accomplice in the violent expropriation of labour power on building sites?

Such uneasiness has persisted for over forty years, and we have now reached a broad recognition that the critical theory developed by Sérgio Ferro is not directed against design as such. His critique focuses on design as functionalized, submitted, separated from the context of production and its producers. It is a matter of putting on trial the design which has "a traumatic and traumatizing past, constantly reactivated by the practice of formal subsumption in manufacture", a design "born with the destruction of the autonomy of the building site from which it emerges as the dregs of this loss", replacing "with its autistic madness the authentic productive autonomy that it helps to castrate".

In lieu of this separated design, Sérgio points to the reinvention of a "design immersed in the return of productive autonomy", recognizing that "the sober dignity of integrated design as a moment of production is the contradictory opposite of the indignity of enslaving design at the service of capital".

All these quotes are taken from Construção do desenho clássico (Construction of Classical Design), Sérgio Ferro's new book, which is being produced and edited by MOM Edições, an initiative of Research Group MOM, linked to the School of Architecture Press.

IAU EMCASA, an event promoted by the Commission on Culture and Extension of the Institute of Architecture and Urbanism of the University of São Paulo, brings on April 28, a conversation between Sérgio Ferro and Silke Kapp – professor at EA-UFMG and responsible for the edition of Construção do desenho clássico –, mediated by Professor João Marcos Lopes, of IAUUSP.

The initiative is linked to the dissemination of Sérgio Ferro's work in English, mobilized by the project Translating Ferro / Transforming Knowledge in Architecture, Design and Labour for the New Field of Production Studies, led by Professors João Marcos Lopes and Katie Lloyd Thomas (Newcastle University), and supported by a cooperation agreement between FAPESP and the British Arts & Humanities Research Council (AHRC).


SÉRGIO FERRO PEREIRA é pintor, desenhista, arquiteto e professor. Formou-se arquiteto pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo - FAU/USP, em 1962. Três anos depois, faz pós-graduação em museologia e evolução urbana, na mesma faculdade. Em 1965, participa da organização da mostra Opinião 65, no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro - MAM/RJ, onde também expõe. Cursou semiologia na Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, em 1966. Na década de 1960, integra com Flávio Império (1935 - 1985) e Rodrigo Lèfevre (1938 - 1984) o Grupo Arquitetura Nova. É professor da Escola de Formação Superior de Desenho, entre 1962 e 1968; do curso de história da arte e de estética da FAU/USP, de 1962 a 1970; e do curso de arquitetura da Universidade de Brasília - UnB, entre 1969 e 1970. Por causa da ditadura militar no Brasil, mudou-se para a França, em 1972. De 1972 a 2003, lecionou na École Nationale Supérieure d'Architecture de Grenoble [Escola Nacional Superior de Arquitetura de Grenoble], na Suíça, e, na mesma universidade, funda o laboratório Dessin/Chantier [desenho/canteiro] e o dirige de 1982 a 1997. Realiza pinturas figurativas, inspirando-se principalmente em figuras presentes nos desenhos e pinturas de Michelangelo Buonarroti (1475 - 1564). Recebeu o prêmio de melhor pintor da Associação Paulista de Críticos de Arte - APCA, em 1987. Publicou, entre outros, os livros O Canteiro e o Desenho, 1979, Michelangelo: Notas por Sérgio Ferro, 1981, e Michel-Angel, Architecte et Sculpteur, 1998. Realiza murais para várias instituições na França e no Brasil, como o Memorial da América Latina, em 1990, e o Memorial de Curitiba, em 1996 e em 2002.

SILKE KAPP é arquiteta, com mestrado e doutorado em Filosofia (UFMG, 1994 e 1999) e pós-doutorado na área de sociologia urbana (Bauhaus Universität Weimar/ Capes, 2015). Atualmente é professora associada da Escola de Arquitetura da UFMG e líder do Grupo de Pesquisa MOM (Morar de Outras Maneiras). Tem experiência nas áreas de Arquitetura, Urbanismo e Planejamento, atuando principalmente nos seguintes temas: estudos de produção, teoria crítica da arquitetura e da cidade, espaço cotidiano, interfaces para a autonomia, metodologia da pesquisa sócio-espacial.

Grupo de pesquisa MOM: www.mom.arq.ufmg.br
Selo editorial: http://www.mom.arq.ufmg.br/mom/selo/index.html

JOÃO MARCOS DE ALMEIDA LOPES é Professor Titular no Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, IAU-USP, em São Carlos/SP. Integra o Grupo de Pesquisa em Habitação e Sustentabilidade - HABIS, do qual é um dos coordenadores. Foi Pró-reitor Adjunto de Cultura da Pró-reitoria de Cultura e Extensão da Universidade de São Paulo entre março de 2014 e março de 2016. Doutor em Filosofia e Metodologia das Ciências pelo Programa de Pós-Graduação em Filosofia da Universidade Federal de São Carlos (2006) e Mestre em Arquitetura e Urbanismo pelo Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da Escola de Engenharia de São Carlos - Universidade de São Paulo (1999), graduou-se Arquiteto e Urbanista pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo em 1982. Desde o início de 2018 é bolsista Produtividade em Pesquisa do CNPq categoria/nível 2. É associado da USINA Centro de Trabalhos para o Ambiente Habitado - da qual foi coordenador geral no período de 1990 até 2005.

013 IAU-EMCASA 28.04 web

Urbanicidades 2021 - Série Cidades Brasileiras

 Urbanicidades-2021 web

_ O Urbanicidades dá continuidade em abril de 2021 a nossa série temática de três ciclos semestrais de cinema intitulada "Cidades brasileiras: narrativas, imaginários e limiaridades". A proposta da série é apresentar curtas, filmes e documentários que abordem culturas urbanas regionais brasileiras a partir de seus próprios registros cinematográficos. Para a seleção das películas, a curadoria considerou o retrato da produção e das representações do imaginário da cidade e de seus territórios culturais no Brasil.

Neste semestre, o tema do Urbanicidades será "Patrimônio Cultural e Ambiental de Minas Gerais", que será apresentado em três sessões. Na primeira sessão do ciclo discutiremos sobre o patrimônio ambiental a partir das consequências causadas pelo rompimento da barragem de Mariana e da Mina do Córrego do Feijão ("Quando a Terra Treme" e "Vale uma aldeia?"). Na segunda sessão do ciclo vamos debater sobre as transformações da cidade histórica de Tiradentes e da luta de seus moradores pela preservação do seu patrimônio cultural ("Alma da Cidade"). Na terceira sessão do ciclo serão debatidas questões acerca da composição do patrimônio cultural a partir de aspectos simbólicos relacionados ao legado de Chico Rei e da resistência negra na conformação da cidade de Ouro Preto ("Chico Rei entre nós"). Cada sessão oferece a exibição da película seguida de um debate com nossos convidados.

Serão oferecidos certificados de participação para aqueles que estiverem presentes em duas das três sessões do ciclo.

Sessão 3, de 02/06/2021:

urbanicidades-2021 Sessao3-CARTAZ web


Sessão 2, de 15/05/2021:

 SESSAO-02-CARTAZ web


Sessão 1, de 28/04/2021:

SESSAO-01 web

 

Sessões 1 a 3:

Urbanicidades-2021 CARTAZ-GERAL web

Manifesto ANPARQ em defesa da CAPES

manifesto em-defesa-da-capes web

_ A pesquisa científica no Brasil ganhou vulto indiscutível nas últimas décadas. Esse quadro não seria possível sem a ação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES. Seu papel como agência de regulação da pós-graduação nacional é, desde 1951 com Anísio Teixeira, patrimônio da ciência brasileira, orientando suas políticas de forma estratégica.

Sua trajetória, exitosa ao longo dos anos, é fruto do esforço de dirigentes, técnicos e pesquisadores com grande comprometimento público e científico, e, por sua vez, formadores de recursos humanos de altíssimo nível, promovendo a atualização permanente do conhecimento em diferentes esferas no país, articulando a pesquisa e o ensino às ações de extensão das Universidades.

Graças a este seu perfil o Sistema Nacional de Pós-graduação brasileiro é, hoje, formado por centenas de cursos acadêmicos e profissionais, de todas as áreas de conhecimento, com notável visibilidade nacional e internacional, inclusive nas áreas de Arquitetura, Urbanismo.

Nestes termos, e em momento de grandes dificuldades impostas pela pandemia que assola o país, a Associação Nacional de Pesquisa em Arquitetura - ANPARQ -, como inúmeras associações científicas, vê a súbita mudança na Presidência da CAPES com grande preocupação. Causa-nos espanto a exoneração intempestiva de um Presidente da CAPES com pouco mais de um ano de cargo, em meio à Coleta de um Relatório Quadrienal e a designação, igualmente surpreendente, para presidi-la de dirigente com ainda tão inexpressiva experiência para a representação e execução das atividades historicamente desempenhadas pela instituição com a complexidade e, com o consequente conhecimento da comunidade científica que o cargo requer.

Chamando a atenção para estas questões a Direção da ANPARQ enseja que as autoridades competentes avaliem as decisões tomadas de forma a não comprometer esforços de décadas no sentido de valorizar o conhecimento científico do país para o máximo benefício da sociedade brasileira.

Brasília, 17 de abril de 2021.

ANPARQ
Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo

Portaria DIR.IAU nº 12/2021 - Eleição Docente para Conselho Gestor

 logo iau noticias

_ De acordo com a Portaria DIR.IAU nº 12 de 13 de abril de 2021, estão abertas as inscrições de chapa titular-suplente para a eleição de um representante docente do IAU junto ao Conselho Gestor do Campus USP São Carlos, com mandato de dois anos, a partir de 01/06/2021.

As inscrições deverão ser feitas por meio do preenchimento e assinatura da Ficha de Inscrição e enviada até 14 de maio de 2021 para o email da Assistência Acadêmica (O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.). Não poderão votar e ser votados os professores temporários, colaboradores e visitantes.

A eleição ocorrerá das 09 às 17 hs do dia 20/05.

Portaria DIR IAU 12-2021
Ficha de Inscrição

Simpósio Highrise: Conferencia 2 e Painel 4

symposium-higrise

 

_ Nesta terça-feira, 13 de abril, teremos o penúltimo dia de atividades do Simpósio Highrise:

- 9:00hs: Conferência "Buenos Aires, a dewesterinized gaze to verticalization processes?" / Julio Arroyo

- 13:00hs: Painel 4 "Reading the Vertical City: cartographies, narratives and infographics" / Bianca Botea, Loic Bonneval, Luciano Costa, Manoel Rodrigues Alves e Marcel Fantin

 

highrise conference-2 julio-arroyo web

highrise panel-4 web

Simpósio Highrise: Mesas 1 e 2 + Website Presentation

symposium-higrise

 

_ Nesta quinta-feira, 15 de abril, teremos o último dia de atividades do Simpósio Highrise com duas Mesas Redondas:

- 9:00hs: Mesa Redonda 1 - "Living the (vertical) City after Covid 19m anything new?" Nadia Somekh, Paula Barros e Vinicus Netto - moderação Christian Montès

- 13:00hs: Mesa Redonda 2 - Producing the Vertical City, inclusiveness or 'build-high' gentrification?" Cesar Simoni, Júlio Pedrassoli e Manuel Appert - moderação Manoel Rodrigues Alves

- Encerramento e apresentação do Highrise Website

 013b highrise roundtable-1 web

014 highrise round-table-2 web

015 highrise websitepresentation web

 

Aluno do IAU recebe Menção Honrosa no 28º SIICUSP

 28-siicusp mencao-honrosa web

_ O aluno Felipe Leme de Andrade, recebeu a Menção Honrosa na Etapa Internacional do 28º SIICUSP, autor do trabalho "Critical Artistic Practices: ocupação Prestes Maia and A Batata Precisa de Você" sob a orientação do Prof. Dr. Fábio Lopes de Souza Santos.

Parabenizamos o aluno e o orientador pela menção honrosa !

A Etapa Internacional do 28º SIICUSP ocorreu on-line entre os dias 22 e 26 de março. Foram organizadas sessões de apresentação e arguição oral com 6 ou 7 trabalhos, divididos por grande área do conhecimento. Cada sessão teve até duas horas de duração, sendo 5 minutos para cada apresentação, seguida de outros dez minutos de arguição. Cada sessão teve um indicado para menção honrosa pelos avaliadores.

10+35+50_Colação de grau do curso de Arquitetura e Urbanismo do IAU

 colacao iau 2021  web

_ O Instituto de Arquitetura e Urbanismo (IAU) da USP realizou, na última sexta-feira, a cerimônia de colação de grau virtual dos egressos que concluíram o curso de Arquitetura e Urbanismo no 2º semestre de 2020. Familiares e amigos dos 28 formandos acompanharam o evento de forma virtual pelo canal do Youtube do IAU, que contou com homenagens, entrega de prêmios e certificados e a presença de Guilherme Castro Boulos, professor, bacharel em filosofia, psicanalista, ativista, político e escritor brasileiro, que foi o patrono da turma, que é a décima formada pelo IAU e a trigésima segunda do curso da USP São Carlos.

A professora Cibele Saliba Rizek foi a escolhida para ser a paraninfa da turma. As professoras Aline Coelho Sanches e Luciana Bongiovanni Martins Schenk foram as docentes homenageadas pela turma. Já entre os funcionários, receberam homenagens os servidores José Renato Dibo e Valmir Bispo dos Santos.

Participaram também da cerimônia, compondo a mesa de honra, os professores Sylvio Roberto Accioly Canuto, pró-reitor de Pesquisa da USP, Joubert José Lancha, diretor do IAU, Miguel Antonio Buzzar, vice-diretor do IAU, Fábio Lopes de Souza Santos, presidente da Comissão de Graduação do IAU, e a professora Ana Lúcia Cerávolo, coordenadora da Comissão de Ensino e Formação do Conselho de Arquitetura e Urbanismo, regional São Paulo; e compondo a mesa estendida, o professor Sérgio Paulo Campana Filho, prefeito do campus USP São Carlos, e a professora Eulalia Portela Negrelos, vice-presidente da Comissão de Pesquisa do IAU.

Durante a cerimônia, receberam a Láurea de Excelência Acadêmica as egressas: Bárbara Barbosa Machado, Isabela Andriani Roma e Marcela Cordeiro Carneiro. A egressa Bárbara Barbosa Machado também foi agraciada com o Certificado de Destaque Acadêmico, concedido pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo de São Paulo (CAU/SP).

Em reconhecimento aos melhores Trabalhos de Graduação Integrados (TGIs) do curso de graduação em Arquitetura e Urbanismo no ano de 2020, também foi entregue, durante a cerimônia, o "Prêmio Mayumi Watanabe De Souza Lima" às seguintes autoras: a egressa Ana Moreira Borelli, pelo trabalho intitulado "A urbanização de favelas como ressarcimento de direitos: intervenções na favela do córrego Freitas"; a egressa Beatriz Sousa Borges, pelo trabalho intitulado "Cabedelo: linhas entre paisagem e memória. Geopolíticas e geopoéticas"; a discente Lívia de Magalhães Calsavara, pelo trabalho intitulado "Cidade, arte e arquitetura: o legado de Campinas"; e a egressa Letícia Lotério Ribas, pelo trabalho intitulado "Diáspora Venezuelana: desdobramentos do êxodo venezuelano no Norte do Brasil e a cidade fronteiriça de Boa Vista-Roraima".

Confira o vídeo da cerimônia de colação de grau virtual no canal do YouTube do IAU! - https://www.youtube.com/watch?v=7XsRkLIgWTw

Chamada de trabalhos para a Edição Temática da Revista Risco sobre Jorge Caron

risco jorge-caron  web

_ A Revista Risco lança chamada para artigos que serão publicados em sua Edição Temática dedicada ao arquiteto Jorge Caron (1936-2000).

Profissional polivalente – arquiteto, designer, cenógrafo, artista plástico, educador – Caron, assim como outros arquitetos da geração pós-Brasília, teve produção significativa e relevante e ainda tem sua obra pouco estudada. É assim que a Edição Temática da Risco pretende divulgar parte de sua produção, de escritos a desenhos e projetos, reunindo textos e depoimentos de colaboradores das mais diversas áreas, para a qual convidamos estudiosos e pesquisadores da Arquitetura brasileira que enviem seus trabalhos.

Como parte das comemorações do biênio 2020-2021, que celebra os 10 anos do Instituto de Arquitetura e Urbanismo da USP, 35 anos do seu curso de graduação e 50 anos do seu programa de pós-graduação, o IAU-USP realizou em agosto de 2020 o "Colóquio Arquiteto Jorge Osvaldo Caron", que permitiu a revisão de seu perfil profissional interdisciplinar, bem como seu legado amplo e diverso, ao rememorá-lo nos 20 anos de seu falecimento. Dando continuidade aos trabalhos, depoimentos e reflexões que então foram apresentados por ex-colegas, ex-alunos e pesquisadores, a Edição Temática da Revista Risco sobre Caron pretende não apenas se debruçar sobre sua produção múltipla, mas também situá-la no contexto cultural e político dos anos 1960 a 2000, contrapondo-a a outras produções nos campos da Arquitetura e do Urbanismo e de seu ensino, como também em relação à cenografia e às artes plásticas.

O experimentalismo foi característica presente nos múltiplos projetos de Caron, em seus figurinos e cenários, nas suas soluções construtivas, no design de objetos e mobiliário, em suas residências e, em especial, no projeto da Torre da TV Cultura na cidade de São Paulo, importante marco na paisagem paulistana, além do monumento ao ex-combatente instalado na Praça Carlos Gardel, próximo ao Parque do Ibirapuera, também na cidade de São Paulo. Em sua atuação político-cultural junto a instituições profissionais, em especial o Sindicato dos Arquitetos e Urbanistas do Estado de São Paulo, Caron dedicará parte importante de sua trajetória profissional ao ensino de Arquitetura e Urbanismo, tendo se destacado como idealizador de experiência pedagógica inovadora na formação de arquitetos e urbanistas, como no curso que criou junto à Faculdade de Belas Artes de São Paulo, no período 1979-1984.

Parte da Edição Temática, cujo lançamento está previsto para o primeiro quadrimestre de 2022, consistirá na reunião de textos e projetos de Caron, publicados em revistas, jornais e boletins, além de material inédito de seu acervo, que está sob os cuidados da Biblioteca do IAU-USP. Outra parte consistirá em depoimentos e ensaios apresentados durante o Colóquio de agosto de 2020. Das contribuições esperam-se estudos e reflexões acerca da produção arquitetônica do período histórico vivenciado pelo arquiteto, buscando-se a construção de um quadro que contribua para contextualizar sua obra, contemplando diálogos, conflitos e debates ao longo de sua trajetória.

Da produção de Caron, pretendemos publicar uma pequena coletânea de seus textos, projetos de arquitetura, de cenografia e figurino, de mobiliário, o plano do campus universitário da Unesp em Botucatu, desenhos, gravuras e pinturas. Também serão incluídos depoimentos e artigos sobre aspectos da trajetória profissional de Caron escritos por participantes do Colóquio. Além de artigos sobre a trajetória profissional de Caron e seu contexto político-cultural, objetos desta chamada, resenhas de livros sobre outros arquitetos do período serão bem-vindos.

Com a Edição Temática da Revista Risco sobre Jorge Caron espera-se não apenas a divulgação de sua obra, suscitando novos estudos a respeito, mas também a divulgação de estudos e pesquisas em andamento ou já concluídos, de modo a colocar em evidência um arquiteto, urbanista e professor com uma trajetória profissional ímpar e criativa, engajada politicamente em uma perspectiva crítica, humanista e transformadora.

Data limite para envio de artigos conforme as normas da Revista Risco:
30 de junho de 2021

Amanda Saba Ruggiero e Carlos Roberto M. de Andrade – Editores Associados da Edição Temática da Revista Risco sobre Jorge Caron
São Carlos, 29 de março de 2021.

cartaz 1
cartaz 2

Flavio Villaça: O Brasil perde um grande arquiteto e urbanista

flavio-vilaca  web

_ O IAU USP lamenta registrar o falecimento do arquiteto e urbanista e professor Flávio Villaça, aos 91 anos de idade, ocorrido em São Paulo, na segunda feira, 29 de março. Professor da FAU USP, Villaça formou gerações de arquitetos e urbanistas, incluindo vários docentes do IAU, tendo um papel fundamental para renovação das concepções urbanas. Autor de inúmeros trabalhos, vários deles referências obrigatórias para a análise da produção dos espaços urbanos. Particularmente, o livro Espaço Intra-urbano é fundamental para acompreensão do processo de segregação sócio-espacial constituinte das cidades brasileiras.

No início de 2015 o IAU teve o prazer de recebe-lo para a Aula Inaugural do Curso de Graduação em Arquitetura e Urbanismo, quando proferiu a palestra O Plano Diretor em Questão. Na ocasião, a força do seu pensamento crítico iluminou a todos, ao demonstrar as ligações entre concepções teóricas, formulação de políticas urbanas e atuação social.

Não por acaso, os formandos de 2015 elegeram-no Patrono da Turma. Na colação de grau ocorrida em 29 de janeiro de 2016, novamente, na sua fala realçou os compromissos sociais presentes na atuação dos arquitetos urbanistas.

O seu pensamento crítico certamente permanecerá como um legado ativo, para todos que se interessam pela compreensão dos processos urbanos.

Diretoria do IAU

Textos:
texto de Sarah Feldman
. texto de Eulália Negrelos e Carlos R. M. de Andrade
. texto de Tomás Moreira
texto do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil

 

 

flavio-vilaca cartaz web

flavio-vilaca plateia web

Legenda das imagens:

1) Flávio Villaça discursando como Patrono da 27ª turma do Curso de Arquitetura e Urbanismo / 5ª Turma formada pelo IAU USP.
2) Cartaz da Aula Inaugural de 2015.
3) Aula Inaugural de 2015.

Congregação do IAU aderiu ao Manifesto do Colegiado de Professores Titulares da FMUSP

 manifesto fmusp web

_ Pandemia de COVID-19: é urgente agirmos juntos e já - Manifesto do Colegiado dos Professores Titulares da FMUSP.

"O colegiado dos Professores Titulares da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) vem manifestar publicamente sua preocupação com o grave momento que atravessamos no Brasil. Enfrentamos uma das maiores crises sanitárias e humanitárias de nossa história. Vivemos um recrudescimento assustador do número de casos notificados de adoecimento pela COVID-19 e já alcançamos o patamar trágico de mais de 2.000 mortes diárias pela doença..."

. ver o Manifesto na íntegra

USP no combate à Pandemia. A importância de não se contingenciar os recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT)

logo FNDCT web

Nota da Reitoria sobre o desenvolvimento de vacinas e a importância dos recursos para a ciência:

Desde fevereiro do ano passado, quando a pandemia atingiu nosso país, a comunidade da USP reuniu todos os seus esforços em estudos que pudessem compreender, combater e minimizar os danos da covid-19 à população. Mais de 250 projetos foram iniciados e adaptados a esses temas e muitos dos resultados já estão sendo usufruídos pela sociedade, tendo inclusive aumentado, em 2020, a produção científica da Universidade em relação aos anos anteriores.

Dentre esses estudos, há alguns buscando o desenvolvimento de vacinas, com abordagens distintas, sempre com muita interação entre os grupos de trabalho e grupos de outras instituições nacionais e estrangeiras.

Sete desses estudos de vacina estão em estágio mais avançado, incluindo a denominada Versamune, que está sendo estudada na Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP), juntamente com uma startup brasileira (Farmacore) e uma empresa norte-americana (PDS Biotechnology), com o uso da nanotecnologia no desenvolvimento.

A Reitoria da USP expressa sua satisfação de que essas pesquisas tenham sensibilizado o Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovações a apoiar financeiramente os estudos clínicos, e ressalta que, se os recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT), cuja arrecadação prevista para 2021 é cerca de R$ 5,3 bilhões, forem liberados integralmente (nos dois anos anteriores o contingenciamento foi superior a 80% do montante), os cientistas nacionais poderão atender mais adequadamente às demandas da sociedade.

Vahan Agopyan, reitor

Nota sobre a transformação do Museu Nacional em Centro dedicado à Família Imperial

Museu Nacional antiga-1 web

_ ver Nota (anexa) do Forum de Entidades em Defesa do Patrimônio Cultural Brasileiro, de 27 de março de 2021.

crédito da imagem: https://images.app.goo.gl/Xn8791pBcqSe6yLs9

10+35+50_Aula Inaugural do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo de 2021

 aula-inaugural-2021 cartaz  web

_ A Comissão de Pós-Graduação do Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, tem a honra de convidar a todas(os) para a Aula Inaugural do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo de 2021, intitulada Dimensão Racial e Territorial, que será ministrada conjuntamente pelos Professores Ana Maria Fernandes (PPGAU-UFBA) e Renato Emerson Nascimento dos Santos (IPPUR-UFRJ), com mediação da Profa. Cibele Saliba Rizek (IAU-USP).

A aula ocorrerá no dia 14 de abril de 2021, às 16h, e terá transmissão pelo youtube.com/iauusp 

cartaz

 

 

Matrícula dos ingressantes 2021 – FUVEST E SISU

 semana-calouros-iau-2021 web

_ O Instituto de Arquitetura e Urbanismo da USP parabeniza e dá boas-vindas aos ingressantes 2021.

Informações sobre a matrícula:

A matrícula será realizada em duas etapas virtuais obrigatórias, sendo a primeira de preenchimento do formulário de matrícula na parte pública do Sistema Júpiter da USP, no menu chamado: Etapa virtual de matrícula - ingressantes ( https://uspdigital.usp.br/jupiterweb/graduacaoMatriculaIngressante?codmnu=9928 ) e submissão de uma fotografia recente, de cópia digitalizada de um documento de identidade oficial, do Certificado de Conclusão do Ensino Médio e histórico escolar ou declaração expedida em papel timbrado e assinada pelo diretor ou responsável da instituição de ensino contendo a informação de que o aprovado se matriculou no último ano do ensino médio no ano de 2020. Já a segunda etapa virtual consiste em confirmação da matrícula pelo candidato.

As duas etapas virtuais de matrícula serão consolidadas apenas após a validação dos documentos pela Central Unificada de Matrículas da Pró-Reitoria de Graduação da USP.

Mais informações, acesse: 

Página da Pró-Reitoria de Graduação: https://www5.usp.br/ensino/graduacao/graduacao-ingresso-2021/
FUVEST: https://www.fuvest.br/vestibular-da-usp/
Sistema de Seleção Unificada (SISU): https://sisu.mec.gov.br/#/
Notícia do Jornal da USP sobre o SISU 2021: https://jornal.usp.br/universidade/sisu-2021-cursos-de-graduacao-da-usp-recebem-inscricoes-para-ingresso-com-nota-do-enem/
Site da Graduação do IAU: https://www.iau.usp.br/graduacao/index.php/a-graduacao/formas-de-ingresso

Dúvidas ou problemas com a matrícula virtual:

Entre em contato pelos telefones: (11) 3091-3403 / (11) 3091-3442
E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Horário de atendimento: das 8h00 às 18h00, de segunda a sexta-feira (excepcionalmente, nos dias 20 e 21/03/2021, também haverá
atendimento nesse mesmo horário).

Semana de Recepão aos Calouros do IAU: 

De 12 a 16 de abril será realizada a Semana de Recepção dos Calouros Virtual.

Para ver a programação clique aqui.

Em caso de dúvida, escreva para o Serviço de Graduação: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Comunidade & Universidade - Projeto de Extensão Universitária - Encontro de Apresentação

 comunidade-e-universidade web

 

_ No dia 20 de março de 2021, as 9h00, acontece o Encontro de Apresentação do Projeto de Extensão Universitária "Comunidade & Universidade - Direito á cidade como condição de cidadania", com a participação do professor do IAU Tomás Antonio Moreira. 

transmissão online pela Unicamp: nepo.unicamp.br/aovivo 

 

210318 Cartaz web

10+35+50_Simpósio Internacional "Highrise Living and the Inclusive City"

 symposium-higrise

_ Nos dias 5, 6, 8, 13 e 15 de abril de 2021, o IAU-USP promoverá o Simpósio Internacional Highrise, desdobramento do projeto de pesquisa Highrise Living and the Inclusive City – projeto binacional liderado pelo Instituto de Arquitetura e Urbanismo-USP e o Institut de Recherches Géographiques da Université Lyon2.

Interrogando criticamente aspectos de processos de verticalização residencial, por meio de distintos olhares e tendo como referência estudos de caso, o Simpósio Highrise, com a participação de pesquisadores de diferentes países e de distintas áreas relacionadas ao pensamento urbano, propõe o debate das relações entre verticalização e produção do meio ambiente urbano.

Estruturado em conferências, painéis e sessões de debate, o Simpósio será realizado de forma remota. Todas as sessões e video-conferências serão transmitidas pelo You.tube do IAU: http://youtube.com/iauusp.

As inscrições para participação no Simpósio são gratuitas. Para maiores informações clique no QRCode do Cartaz ou acesse a página do Simpósio: https://symposiumhighrise.wixsite.com/symposiumhighrise

Manoel Rodrigues Alves | Christian Montès
Coordenadores Projeto Highrise

Para mais informações sobre o Projeto "Highrise" (página web em construção):
https://highriseproject.net/ 
https://jornal.usp.br/ciencias/ciencias-humanas/pesquisa-questiona-se-construir-mais-predios-faz-cidades-mais-inclusivas/


cartazes:

SymposiumOpening Session | Panel 1 | Panel 2 | Panel 3 | Panel 4 | Questions | Conference 1 | Conference 2 ! Round Table 1 | Round Table 2

symposium-higrise Republica web

symposium-higrise Morumbi web

10+35+50_Resultado da 3ª edição do Prêmio Mayumi Watanabe de Souza Lima

premio-mayumi-2020 resultado web

 

_ Trabalhos vencedores do ano de 2020, títulos em ordem alfabética:

Título: A urbanização de favelas como ressarcimento de direitos: intervenções na favela do córrego Freitas.
Autora: Ana Moreira Borelli

Título: Cabedelo: linhas entre paisagem e memória. Geopolíticas e geopoéticas.
Autora: Beatriz Sousa Borges

Título: Cidade, arte e arquitetura: o legado de Campinas.
Autora: Lívia de Magalhães Calsavara

Título: Diáspora Venezuelana: desdobramentos do êxodo venezuelano no Norte do Brasil e a cidade fronteiriça de Boa Vista-Roraima.
Autora: Letícia Lotério Ribas

A entrega do prêmio ocorrerá durante a cerimônia de Colação de Grau das Formandas e dos Formandos em Arquitetura e Urbanismo de 2020, a realizar-se em 26 de março de 2021, às 9h30min, por videoconferência.

 

. sobre o Prêmio:

O Prêmio Mayumi Watanabe de Souza Lima é concedido aos melhores Trabalhos de Graduação Integrados (TGIs) do Curso de Graduação em Arquitetura e Urbanismo do IAU-USP, por votação de sua comunidade, alunas/os, professoras/es e funcionárias/os.

Ressaltamos que o prêmio constitui uma importante homenagem a esta estimada professora que, a partir de sua vinculação à escola entre 1987 a 1994 e de seu compromisso inequívoco com a educação, teve um papel extremamente relevante no cenário da arquitetura brasileira. Em sua terceira edição, o Prêmio compõe as atividades do biênio comemorativo 10+35+50 do IAU-USP.

Para visitar a exposição dos trabalhos realizados ao longo de 2020 e saber mais sobre o Prêmio, acesse https://instagram.com/tgi.iauusp

. sobre Mayumi Watanabe de Souza Lima (1934-1994)

ações para conter a epidemia causada pelo Covid-19

coronavirus web

Brasil ultrapassa 500.000 mortes

O Brasil ultrapassou o número de 500.000 mortes causadas pela Covid 19. No dia 10/03/2021, com 2.349 óbitos foi ultrapassada pela primeira vez a marca de 2.000 vítimas na pandemia, um recorde macabro que poderia ter sido evitado. Falamos que o país ultrapassou e não nós ultrapassamos, porque o único e grande responsável por essa tragédia é o governo federal. O presidente que deveria proteger a população do Brasil, contra o vírus, menosprezou a pandemia, negou a ciência e a medicina e tripudiou as mortes, os doentes e seus familiares. Na verdade, não agiu por ignorância. Ele e sua choldra aproveitaram a situação caótica para aprofundar a desigualdade social, aumentar os ataques aos direitos e destruir o meio ambiente. Não ultrapassamos, nós resistimos a esse governo e a sua tragédia, e lutamos para que a maioria da população conscientize-se que a superação deste caos sanitário e político encontra-se em sua capacidade de lutar pelos seus direitos, sobretudo, o direito à vida..

. (01/06/2021) PLANO USP (DÉCIMO SEXTO DOCUMENTO)

. (05/05/2021) PLANO USP (DÉCIMO QUINTO DOCUMENTO)

. (06/04/2021) PLANO USP (DÉCIMO QUARTO DOCUMENTO)

. (22/03/2021) PLANO USP (DÉCIMO TERCEIRO DOCUMENTO)

. (13/03/2021) PLANO USP (DÉCIMO SEGUNDO DOCUMENTO)

. (12/02/2021) PLANO USP (DÉCIMO PRIMEIRO DOCUMENTO)

. (17/11/2020) PLANO USP (NONO DOCUMENTO) 

. (06/11/2020) PLANO USP (OITAVO DOCUMENTO)

. (27/10/2020) PLANO USP (SÉTIMO DOCUMENTO)

. (08/09/2020) PLANO USP (SEXTO DOCUMENTO)

. (24/08/2020) PLANO USP (QUINTO DOCUMENTO)

. (18/08) PLANO USP (QUARTO DOCUMENTO)

. (01/09/2020) COMUNICADO IAU/BIBLIOTECA  

. (16/07/2020) OITAVA MENSAGEM DO REITOR À COMUNIDADE ACADÊMICA

. 27/05/2020) SÉTIMA MENSAGEM DO REITOR À COMUNIDADE ACADÊMICA

. (27/04)/2020 SEXTA MENSAGEM DO REITOR À COMUNIDADE ACADÊMICA

. (09/04/2020) Nota de Esclarecimento à Comunidade Acadêmica (DIRETORIA DO IAU)

. (09/04/2020) TERCEIRO COMUNICADO DA DIRETORIA DO IAU

. (08/04/2020) Lista com as pesquisas relacionadas à covid-19 em andamento nas Unidades da USP e outras ações de divulgação de informações e treinamentos

. (06/04/2020) QUINTA MENSAGEM DO REITOR À COMUNIDADE ACADÊMICA

(31/03/2020) APELO À COMUNIDADE DE SÃO CARLOS E REGIÃO POR PARTE DOS CIENTISTAS DA CIDADE

(30/03/2020) Carta aberta à Prefeitura Municipal de São Carlos, à Secretaria Municipal de Saúde e demais autoridades de saúde pública e vigilância epidemiológica de São Carlos e região (novas adesões)

- (30/03/2020) SEGUNDO COMUNICADO DA DIRETORIA E DA COMISSÃO DE GRADUAÇÃO DO IAU

- (28/03/2020) Publicação no D.O sobre a resolução 7.945 de 27.03.2020 que regulamente a realização de reuniões de colegiados por meio eletrônico e videoconferencia. 

- (26/03/2020) Nota à Imprensa da Congregação da Faculdade de Saúde Pública da USP sobre a evolução da pandemia de Covid-19 no Brasil

. (24/03/2020) COMUNICADO CRUESP

. (24/03/2020) ATUALIZAÇÃO: FUNCIONAMENTO DO IAU E SERVIDORES EM ATIVIDADE (RODÍZIO E TELETRABALHO)

. (23/03/2020) FUNCIONAMENTO DO IAU E SERVIDORES EM ATIVIDADE (RODÍZIO E TELETRABALHO)

. (23/03/2020) QUARTA MENSAGEM DO REITOR À COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA SOBRE O CORONAVÍRUS 

. (23/03) Acesso restrito ao Campus USP São Carlos 

. CODAGE - Diretrizes

. PRP - Diretrizes

. PRPG - Diretrizes

. PRG - Diretrizes

- PRCEU - Diretrizes

. (20/03/2020) TERCEIRA MENSAGEM DO REITOR À COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA SOBRE O CORONAVIRUS 

. (16/03/2020) SEGUNDA MENSAGEM DO REITOR À COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA SOBRE O CORONAVIRUS 

- (13/03/2020) PRIMEIRA MENSAGEM DO REITOR À COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA SOBRE O CORONAVIRUS  

Luto pela vida

campanha-luto-pela-vida usp logo-iau web

_ Diante da pandemia que acomete o país desde o fim de fevereiro de 2020, a universidade vem enfrentando o desafio de manter as atividades de ensino, pesquisa e extensão remotamente, à exceção dos projetos científicos que exigem trabalhos presenciais. São diversos os exemplos de estudos realizados pelos pesquisadores que já estão contribuindo para o combate da pandemia.

Diante do agravamento da situação sanitária no Brasil e do contexto em que vivemos, marcado pelo negacionismo e obscurantismo, a universidade declara que está em "Luto pela Vida".

O Instituto de Arquitetura e Urbanismo (IAU) da USP, em São Carlos, se solidariza com as famílias vítimas da covid-19 e com toda a população brasileira que enfrenta este momento difícil. Estamos juntos, em luta e em luto pela vida!

campanha "Moradias estudantis sem violência de gênero"

moradias-estudantis  web

_ O Escritório USP Mulheres e a Superintendência de Assistência Social (SAS) lançam neste mês de março a  campanha Moradias estudantis sem violência de gênero que visa desvelar, nomear e dar visibilidade às diferentes formas de violências de gênero que podem ocorrer no âmbito das moradias estudantis, sejam elas institucionais ou nas repúblicas de estudantes que se formam no entorno de cidades universitárias. Assim como na sociedade em geral, as moradias estudantis e demais espaços comuns na universidade são ambientes nos quais essas formas de violência, suas desigualdades e assimetrias podem se manifestar.

Com caráter informativo e educativo, a campanha conta com seis peças que retratam diferentes violências de gênero com o pano de fundo das moradias estudantis, seguidas da identificação da violência representada em cada história e de orientações de onde buscar ajuda.

Contextualização

A presente campanha se localiza como um desdobramento da criação do Protocolo de atendimento da SAS para casos de violência de gênero contra mulheres na Universidade, elaborado ao longo do ano de 2020, no contexto da pandemia da covid-19, a partir da leitura de referenciais técnicos e discussões entre a equipe da SAS e a área de Programas do Escritório USP Mulheres, contando com contribuições fundamentais das assistentes sociais de outros campi da USP. A portaria que institui o protocolo foi assinada pelo Reitor Vahan Agopyan ( Portaria GR Nº 7653 ), em dezembro de 2020.

Para dar visibilidade às mudanças e impactos na vida das mulheres com a pandemia de covid-19, o Escritório USP Mulheres realizou duas campanhas em 2020: a primeira "A USP unida pela igualdade de gênero" procurou conscientizar a comunidade universitária sobre a necessidade de uma justa divisão de tarefas domésticas e de cuidados com familiares, durante (e após) o período de isolamento social e a segunda, "A USP 'mete a colher' na violência doméstica", visava incentivar a comunidade universitária a identificar esse grave problema social, oferecer ajuda e intervenção adequadas, ampliando o debate e o conhecimento de recursos disponíveis em sua região.

Para saber mais sobre a campanha Moradias estudantis sem violência de gênero,  clique aqui.

Para acessar informações sobre o protocolo e agendamento com as assistentes sociais da SAS, clique aqui

Profa. Maria Arminda do Nascimento Arruda
Coordenadora do Escritório USP Mulheres
Universidade de São Paulo

Prof. Gerson Yukio Tomanari
Superintendente de Assistência Social
Universidade de São Paulo 

USP Mulheres
Av. Profº Lúcio Martins Rodrigues, 310
bloco B - 2º andar - Sala 03.
CEP: 05508-020
Cidade Universitária
São Paulo - SP | Brasil.

Telefones: (11) 2648-1371
Facebook: facebook.com/uspmulheres
Instagram: @uspmulheres
Site: uspmulheres.usp.br

moradias-estudantis cartazes

Professoras e professores do IAU-USP no prêmio ANPARQ

 premio ANPARQ-2020  web

_ Em 01/03/2021, na abertura do VI ENANPARQ, foram anunciados os resultados do PRÊMIO ANPARQ 2020, concedido pela Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo (ANPARQ), cuja finalidade é valorizar a produção científica e inovação na área, publicizar as melhores produções dos Programas de Pós-Graduação filiados e associados institucionais, bem como os sócios individuais associados à ANPARQ.

Foram premiadas as modalidades TESE, DISSERTAÇÃO, LIVRO AUTORAL, LIVRO COLETÂNEA, ARTIGO EM LIVRO, ARTIGO EM PERIÓDICO e, pioneiramente, nesse ano foi introduzida e modalidade PROJETO DE EXTENSÃO. Foram analisados 207 trabalhos homologados em todas as categorias, envolvendo grande número de pareceristas.

O IAU-USP compareceu no prêmio em diversas modalidades:

. A professora Aline Coelho Sanches recebeu premiação de melhor ARTIGO EM LIVRO com o capítulo A Casa de Vidro: um canteiro de contínua experimentação, publicado em Casa de Vidro: arquiteta Lina Bo Bardi: plano de gestão e conservação, da editora Instituto Bardi Casa de Vidro, livro organizado por Renato Anelli com supervisão de Marcelo Suzuki e fruto de pesquisa financiada pela The Getty Foundation, em convênio entre o IAU-USP e o Instituto Bardi.

. O professor Francisco Sales Trajano Filho recebeu menção honrosa na modalidade ARTIGO EM PERIÓDICO pelo trabalho Ensaios de pretensa vanguarda: revistas e cultura arquitetônica moderna no Brasil (1928 1933), publicado na revista Óculum Ensaios.

. A professora Joana D'Arc de Oliveira foi finalista na categoria LIVRO AUTORAL com o trabalho Da Senzala para Onde? Negros e negras no Pós-Abolição em São Carlos-SP (1880-1910), publicado pela Fundação Pró-Memória de São Carlos.

. Na categoria PROJETO DE EXTENSÃO, foi finalista o Plano de Urbanização e Regularização Fundiária do Banhado, desenvolvido sob coordenação dos professores Jeferson Tavares e Marcel Fantin.

Mais informações sobre o prêmio podem ser conferidas no documento abaixo:

Prêmio ANPARQ 2020 - RESULTADO FINAL

Moção da ANPARQ em defesa da Saude, da Ciência e da Educação

 anparq web

_ Os delegados das instituições e dos pesquisadores credenciados junto à 6ª Assembleia Geral Extraordinária da ANPARQ – Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo – reunida virtualmente por ocasião da realização do VI Encontro Nacional da entidade, em 05 de março de 2021, aprovaram por aclamação a seguinte moção: 

Moção Anparq_Brasilia/2021

10+35+50_Afirmar a Vida - Dia Internacional da Mulher - 08.03.2021

DIA-DA-MULHER FINAL web

DIA-DA-MULHER FINAL texto web

. arquivo pdf

 

Concurso para Professor Livre Docente junto ao IAU - inscrições abertas de 01 a 31/03/2021

 livre-docencia

_ Documentos anexos:

. Edital_IAU_ATAC_01_2021

Requerimento de Inscrição

10+35+50_Exposição TGI 2020 e Prêmio Mayumi Watanabe de Souza Lima

 tgi2020 premio-mayumi-2020 web

_ De 22 de fevereiro a 8 de março de 2021 acontecerá a Mostra Virtual de Trabalhos de Graduação Integrados (TGIs) do Curso de Graduação em Arquitetura e Urbanismo do IAU-USP das turmas de 2020.

Os trabalhos que os alunos desenvolveram ao longo do ano ficarão organizados e expostos no Instagram da mostra <tgi.iauusp>. 

- Prêmio Mayumi Watanabe de Souza Lima

O Prêmio Mayumi Watanabe de Souza Lima é concedido aos melhores Trabalhos de Graduação Integrados (TGIs) do Curso de Graduação em Arquitetura e Urbanismo do IAU-USP, por votação de sua comunidade, alunas/os, professoras/es e funcionárias/os.

A partir de link enviado por email para a comunidade IAU-USP, pode-se votar uma única vez, escolhendo-se três (03) trabalhos. Na premiação serão outorgados três prêmios, respeitando-se a ordem decrescente de votos recebidos, além de haver a possibilidade da Comissão de Apoio Permanente (CAP) do TGI e da Comissão de Graduação (CG), conjuntamente, outorgarem um prêmio extra.

Ressaltamos que o prêmio constitui uma importante homenagem a esta estimada professora que, a partir de sua vinculação à escola entre 1987 a 1994 e de seu compromisso inequívoco com a educação, teve um papel extremamente relevante no cenário da arquitetura brasileira. Em sua terceira edição, o Prêmio compõe as atividades do biênio comemorativo 10+35+50 do IAU-USP.

Período de votação: 22/02 a 08/03/2021

Para visitar a exposição dos trabalhos realizados ao longo de 2020 e saber mais sobre o Prêmio, acesse https://instagram.com/tgi.iauusp

cartaz Mostra Virtual TGI 2020 e Prêmio Mayumi Watanabe de Souza Lima

sobre Mayumi Watanabe de Souza Lima (1934-1994)

Revista Posto 68 número 3 - chamada aberta

 posto-68-n3 chamada-aberta web

_ Nós da POSTO68 gostaríamos de divulgar a chamada aberta do número 03 da revista!

Com a temática "TECNOPARADOXOS - tecnologias, acirramento neoliberal e distopia", vamos discutir os cruzamentos, disputas e contradições na relação entre a sociedade contemporânea e as tecnologias, em especial no que concerne ao ambiente digital e às mais recentes tecnologias que impactam de diversas formas nossas dinâmicas de vida, relações sociais, ensino, trabalho, formas de apreensão e ocupação da cidade, produção artística, etc.

A proposta de discussão a partir de um Tecnoparadoxo vem da ideia de se pensar a tecnologia a partir de suas contradições: a contraposição entre avanço e retrocesso; a capacidade das tecnologias digitais de, simultaneamente, encurtar e aumentar distâncias na relações sociais a capacidade dos meios digitais - mediados pelas dinâmicas neoliberais - de responder demandas e de criar dependência; a capacidade de criação de redes de cooperativismo e condições materiais de poder que se concentram nas mãos de parcelas reduzidas da população.

Acesse a chamada aberta pelo site:

www.posto68.com.br

e divulgue para todas, todes e todos!

site | instagram | facebook | youtube | revistas digitais | apoia.se

posto-68-n3 web

Oficinas VI ENANPARQ

Calendario-Oficinas-Enanparq web

_ Dias 18 e 19/02/2021 ocorrerão as oficinas do VI ENANPARQ, sendo que a programação restante com a apresentação de trabalhos será de 01 a 05/03/2021.

poster principal

posters das oficinas:

oficinas 1 a 6

oficinas 7 a 12

oficinas 13 a 20

oficinas vi-enanparq-todas web

VI ENANPARQ & Diálogos Internacionais

vi-enanparq web

_ O tema escolhido para o VI ENANPARQ & Diálogos Internacionais é "Limiaridade: processos e práticas em Arquitetura e Urbanismo". Limiar é um começo, uma circunstância de limites ou fronteiras. Limiaridade é transição, deslocamento, movimento. Limiaridade é uma demarcação – real, imaginária ou provisória – que possibilita pensar sobre cada um dos lados e, também, o que está entre eles. Limiaridade é um termo oportuno para instigar reflexões sobre processos e práticas em Arquitetura e Urbanismo nas circunstâncias contemporâneas, quando objetos, valores e categorias estão postos em xeque. Quando é cada vez mais difícil encontrar certezas, quando nada mais se parece com o que era antes.

Tomar o tempo presente parece não ser tarefa simples. Em tempos de instabilidade de parâmetros e crises de paradigmas, os deslocamentos, as transições, as permutas podem e devem ser explorados. Neste transe, tudo parece instável. As zonas limítrofes, as zonas de passagem, as zonas intermediárias são umbrais, são limiares que podem ser tensionados por forças, intensidades, experimentações de distintas gradações. As alterações se dão em diferentes tempos e espaços mediante uso dos mais diversos meios – narrativas, documentações, diálogos, tecnologias, encontros etc. Travessias. Na voracidade da comunicação e do império dos algoritmos, a passagem entre o local, o regional, o nacional, o transnacional e o internacional se relativiza. Nesses interstícios, nesses "nem lá, nem cá", miríades de possibilidades estão abertas para abordar processos e práticas na arquitetura e no urbanismo.

Pesquisar, projetar, planejar e intervir são ações intrínsecas à Arquitetura e ao Urbanismo. Pesquisar, projetar, planejar e intervir também são ações de transformação, de especulação e de produção de conhecimento. A pesquisa, o projeto, o planejamento e a intervenção detêm potencial crítico sobre o ambiente natural e/ou construído e seus usos e apropriações, diante das múltiplas dimensões da espacialidade da paisagem, do território, da cidade, do edifício e de seu interior. A pesquisa, o projeto, o planejamento e a intervenção são parte dos processos sociais, históricos e culturais de que participam diversos agentes e instituições em constantes intercâmbios e por distintos meios.

O VI ENANPARQ e Diálogos Internacionais almejam perpassar as abrangentes escalas da Arquitetura e do Urbanismo para instigar reflexões, a partir de limiares, travessias, transições, deslocamentos e permutas, de um campo disciplinar autônomo e consolidado, tendo contextos nacionais e estrangeiros como suporte, especialmente os latino-americanos. O edifício, o urbano, o rural, o território ou a paisagem podem ser tomados como objetos e/ou suportes para interlocuções de saberes, meios, usos, práticas e técnicas nos intercâmbios com Engenharia, Arte, História, Sociologia, Antropologia, Psicologia, Filosofia, Geografia, Economia, Direito, Comunicação.

vídeo de apresentação

Diretoria ENANPARQ gestão 2021-2022

www.enanparq2020.com.br

Projeto "Nos Trilhos do Samba Paulista"

 nos-trilhos-do-samba-paulista web

_ Programa Matchfunding BNDES 2021. Financiamento coletivo: captações abertas até as 23h59 do dia 25/02/2021.

informações completas em www.benfeitoria.com/nostrilhosdosamba

apresentação em arquivo powerpoint

vídeo em https://youtu.be/DB1pS6YNhVc

Novas direções no CAU SP e CAU BR

 cau-sp-e-cau-br web

_ O Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado de São Paulo, conheceu nas suas últimas eleições realizadas em 2020 uma renovação sem precedentes. Sagrou-se vencedora a Chapa 3 composta exclusivamente por profissionais arquitetas urbanistas. Com esse resultado, a colega Catherine Otondo já na primeira plenária em janeiro foi eleita Presidente do CAU SP. Além dos laços que Catherine possui com o Instituto, como professora por 2 anos e como coautora do novo projeto do IAU USP, sua eleição representa a possibilidade do Conselho atuar de fato em defesa do Direito da Arquitetura e do Urbanismo à toda população e, desta forma, atuar em prol da categoria.

Completando a renovação do Conselho, a colega Nádia Someck, Conselheira Federal por São Paulo, foi eleita, também, no início do ano Presidente do CAU BR, o que reforça a mudança de rumos na atuação do Conselho, aproximando-o tanto a categoria, como da sociedade.

O Instituto de Arquitetura e Urbanismo parabeniza as colegas, deseja a ambas ótimas gestões e se coloca à disposição para auxiliar os CAU (SP e BR) na renovação de suas atuações.

Carta para Catherine Otondo

Carta para Nadia Somekh

Resolução CGSIM n. 64, de 11 de dezembro de 2020

 resolucao-CGSIM-n64 web

_ O Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo soma-se a várias entidades que se manifestam de forma contrária a Resolução CGSIM n. 64, de 11 de dezembro de 2020, do Ministério da Economia, que "versa sobre a classificação de risco no direito urbanístico", impacta diretamente a gestão municipal no que concerne ao licenciamento urbano e a atividade profissional dos arquitetos urbanistas.

documento anexo

Relação dos discentes selecionados para a Etapa Internacional do 28º SIICUSP

28 siicusp iau web

Segue a relação dos discentes selecionados:

-Marina Spadoti Dantas - "Arte e Mercado: Young British Artists (YBA)" - orientador Ruy Sardinha Lopes;

-Tomás Carrera Massabki (autor), Aline Vicente Cavanus e Renan Santos Gomes (colaboradores) - "Cidade em disputa, realidade social urbana de Florianópolis-SC: conflitos e política de planejamento na cidade-mercadoria" - orientador Tomas Antonio Moreira;

-Felipe Leme de Andrade - "Práticas Artísticas Críticas: a Ocupação Prestes Maia e a Batata precisa de você" - orientador Fábio Lopes de Souza Santos;

-Wellington de Aquino Traldi - "Estudo de formulações de concreto contendo agregados reciclados com baixo teor de cimento" - orientador Bruno Luís Damineli;

-Júlia Simmelink Clemente de Souza - "Arte e mercado: lógicas intempestivas - Banksy" - orientador Ruy Sardinha Lopes;

-Ana Luiza Vieira Gonçalves - "Transformações urbanas contemporâneas: regularização fundiária e resistência" - orientadora Cibele Saliba Rizek;

-Bianca Travaini Xavier Vieira - "Arquitetura hospitalar de Siegbert Zanettini: análise projetual de caso de estudo" - orientador Paulo Yassuhide Fujioka;

-Giovana Franco Albiero - "A Cidade nas Revistas de Engenharia do Início do Século 20" - orientadora Mirandulina Maria Moreira Azevedo;

-Giuliana Serrano Sperotto - "Housing first como programa público de habitação: o caso do município de São Paulo" - orientadora Eulalia Portela Negrelos;

-Breno Malheiros de Melo (autor), Juliana Campos Degenario Ribeiro (autor adicional), Julio Cesar Pedrassoli e Jeferson Cristiano Tavares (colaboradores) - "Projeto machine learning: utilização do classificador support vector machine (svm) e imagens sentinel-2 para o planejamento regional do circuito das águas paulista" - orientador Marcel Fantin;

-Mateus da Silva Barufi - "A obra de Adolf Franz Heep: composição formal e inserção urbana" - orientador Givaldo Luiz Medeiros;

-Leonardo Cesar Soares - "Representação em arquitetura e o conceito de montagem: um estudo sobre as colagens de Mies van der Rohe" - orientador Paulo César Castral.

Programa de Dupla Formação - Arquitetura e Urbanismo | Engenharia Civil

programa-dupla-formacao web

Os professores Jefferson Lins da Silva (Coordenador da CoC do curso de Engenharia Civil da EESC) e Fábio Lopes de Souza Santos (Presidente da Comissão de Graduação do IAU) convidam todos(as) os aluno(as) para a Apresentação do Programa de Dupla Formação IAU/EESC. No evento também ocorrerá a Apresentação do Edital 01/2021 do Processo Seletivo para o Programa e a Apresentação dos estudantes sobre a experiência adquirida junto ao Programa.

As apresentações ocorrerão na próxima quarta-feira, 09/12/2020, às 17 horas, no Postão Virtual do IAU.

Link: https://meet.google.com/kwd-gzeg-kex

Em relação ao processo seletivo, a(o) interessada(o) em participar deverá realizar sua inscrição a partir das 9 horas do dia 18 de março de 2021 até às 17 horas do dia 19 de março de 2021, por meio de formulário eletrônico disponibilizado na página da graduação do IAU:

https://www.iau.usp.br/graduacao/index.php/informacoes-academicas/programas .

Ao formulário de inscrição online deverão ser anexados os seguintes documentos:

. Atestado de matrícula
. Histórico escolar completo

Número de vagas: 5 (cinco)

Cartaz Dupla-formacao 02 web

Cartaz Dupla-formacao  web

10+35+50 - mesa 5 do "DEPOIMENTOS E TRAJETÓRIAS"

mesa5 web

_ Entre 2020 e 2021, o Instituto de Arquitetura e Urbanismo da USP comemora 50 anos do curso de pós-graduação, 35 anos do curso de graduação e 10 anos da fundação do IAU USP.

Na próxima quarta-feira, 2/12/2020, realizaremos a mesa 5 do "DEPOIMENTOS E TRAJETÓRIAS", na qual ex-alunos(as) apresentarão suas experiências sobre a atuação do arquiteto e do urbanista, no ensino.

Para acompanhar:

2/12/2020 (17:00h) – Mesa 05 – "IAU no Ensino".

Participantes: Ricardo Trevisan, formado em 1998, Thais Troncon Rosa e Elisângela de Almeida Chiquito, formadas em 1999, Fabiano Lemes de Oliveira, formado em 2000 e Carolina Margarido Moreira, formada em 2002.

Link do evento - https://www.iau.usp.br/transmissao

Para mais informações: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

mesa5 cartaz web

Resultado do Concurso de Ideias – Parque do Bicão

 resultado-parque-bicao web

_ Primeiro lugar:
PARQUE DO BICÃO - O parque como atividade de campo em educação ambiental
Marília Daniela Barbosa Silva (IAU - USP)
Luiza Di Lella Moura (EESC: Engenharia Ambiental)
Mayara Capistrano Costa Fook (IAU - USP)
Yeda Fadel Blascke (IAU - USP)
Tiago da Cunha Campos (IAU-EESC: Dupla formação Arquitetura e Civil)
Orientador – Manoel Rodrigues Alves (USP)
imagens do projeto

Segundo lugar:
PARQUE DO BICÃO - Leitura, Propostas, Resultados

Joao Vitor de Aquino Ferreira
João Batista Cavaroli Stivanin
Laura Vitória Trudes Gato
Welber Oliveira Ribeiro
Orientador – Renato Luiz Sobral Anelli (USP)
imagens do projeto

Terceiro lugar:
Guilherme Bublitz Soares
Ana Luiza Carvalho de Souza
Beatriz Pallone Santos
Gabriela Mazocco Pereira da Silva
Julia Maria Carmona Vendramim
Lana Maria Aragao Fermiano
Orientadora – Luciana Marcia Gonçalves (UFSCar)

Quarto lugar:
Gabriela Boniholi
Marina Balieiro Rodrigues
Guilherme Barros Maciel
Guilherme Fernandes Felix de Almeida
Gabriel Dalla Dea Machi Postal
Ana Eliza Rizziolli Martins
Orientadora – Rochele Amorim Ribeiro (UFSCar)

Quinto lugar:
BICÃO RE[NASCENTE]
Renato Atilio Sertori
Leonardo Seneme Ruy
Janderson Assandre de Assis
Leonardo Abdelnur Petrilli
Marcelo durci rodrigues
Brian Alves da Conceição
Orientadora – Camila Moreno de Camargo (USP)
imagens do projeto

https://unimedsaocarlosparquebicao.com.br/2020/11/25/resultado-do-concurso-de-ideias-parque-do-bicao/

A CIDADE COMO LOCAL DE APRENDIZADO - Educação ambiental a partir dos espaços verdes e de Infraestrutura Urbana
Alexey Carnizello
Beatriz Souza
João Rosa
Juliana Takara
Leonardo Soares
Orientador - Jeferson Cristiano Tavares (USP)
imagens do projeto

10+35+50_Sessão Especial do Ciclo de Cinema e Debate Urbanicidades 2020

urbanicidades2020 sessao-especial  web

_ No último evento do Ciclo de Cinema e Debate Urbanicidades 2020 realizaremos uma Sessão Especial que integra as atividades relativas às "Comemorações 10+35+50" do IAU-USP (50 anos do curso de pós-graduação, 35 anos do curso de graduação e 10 anos da fundação do Instituto).

Essa Sessão Especial do Urbanicidades exibirá "Fernando", filme de 2017. A escolha desta película pelo Urbanicidades deve-se a que uma de suas co-diretoras, Paula Vilela , é uma ex-aluna do IAU-USP. Paulinha estará presente conosco na Sessão e participará da mesa de debate, assim como outro dos diretores, Igor Angelkorte.

Sinopse: "Fernando" é um ator e professor de teatro que, aos 74 anos, é impelido a ser protagonista de si mesmo em uma experiência que borra as fronteiras entre o documental e o ficcional. Diante de um delicado problema no coração, ele segue uma vida repleta de amor pela arte, onde a educação surge como potente elemento transformador da realidade.

Sessão Especial Urbanicidades, "Fernando", 26 de novembro, 17:30h.

Transmissão pelo Canal do YouTube do IAU.

urbanicidades2020 sessao-especial cartaz web

#sosginasioibirapuera

sosginasioibirapuera web 

_ O Complexo Esportivo do Ibirapuera está ameaçado de extinção! A defesa deste patrimônio paulistano é também a defesa do espaço público, do direito à prática do esporte, do lazer e da memória da arquitetura brasileira. Você pode ajudar a impedir essa destruição, apoiando seu tombamento que será decidido pelo Condephaat no próximo dia 30/11.

Participe do abraço virtual!

Como fazer:

1. Copie o texto deste post e compartilhe
2. Peça para seus amigos fazerem a mesma operação.
3. Não esqueça de adicionar a hashtag #sosginasioibirapuera em todos os seus posts
4. Siga a hashtag #sosginasioibirapuera
5. Nossos posts serão veiculados pelos perfis da FAU USP - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (@fauusp); IAB SP - Instituto de Arquitetos do Brasil - São Paulo (@iabsp); Icomos-Brasil (@ICOMOSBRASIL)
6. Siga a hashtag #sosoginasioibirapuera
7. Multiplique essa mensagem
8. Assine a petição https://www.change.org/preservacao-ginasio-ibirapuera
9. Saiba mais:
https://www.uol.com.br/esporte/colunas/olhar-olimpico/2020/09/18/estado-quer-privatizar-ginasio-do-ibirapuera-mas-terreno-e-da-prefeitura.htm
https://www1.folha.uol.com.br/opiniao/2020/11/tristeza-e-indignacao.shtml
https://youtu.be/nEhbOhyYQPY
https://jornal.usp.br/radio-usp/defesa-do-complexo-do-ibirapuera-diz-respeito-ao-direito-ao-lazer-e-ao-esporte/

sosginasioibirapuera cartazes

Vidas Negras Importam

vidas-negras-importam

10+35+50_28º - Simpósio Internacional de Iniciação Científica e Tecnológica da USP - SIICUSP

 28-siicusp fase-iau web

_ Em sua 28ª edição, o Simpósio Internacional de Iniciação Científica e Tecnológica da USP – SIICUSP é um evento anual que tem como objetivo divulgar os resultados das pesquisas de iniciação científica e tecnológica realizadas por alunos de graduação da USP, bem como de outras instituições nacionais e internacionais. Visa também a contribuir para o desenvolvimento de competências necessárias à pesquisa acadêmica, promovendo a oportunidade de interação entre pesquisadores de todos os níveis e áreas, e fomentando a colaboração e a pesquisa multidisciplinar na Universidade.

Este ano temos 75 trabalhos inscritos, divididos em 25 sessões em 2 dias, 18 e 25 de novembro, e a participação de 14 instituições externas nacionais, além da USP.

Link da página do evento: https://www.iau.usp.br/siicusp/

Concurso Público de Títulos e Provas - Título de Livre-Docente junto ao Instituto de Arquitetura e Urbanismo da USP

 livre-docencia

_ Data do Concurso: Dias 19 e 20-11-2020 | Candidata: Profa. Lucia Zanin Shimbo

Comissão Julgadora:
Prof. Miguel Antonio Buzzar (Presidente) - IAU USP
Prof. Marcio Minto Fabricio - IAU USP
Prof. Prof. Adauto Cardozo - UFRJ
Prof. Prof. Everaldo Melazzo - UNESP
Prof. Prof. Jeroen Klink - UFABC

Quinta-feira (19-11-2020)

Live 1 -> 08h00
Youtube: https://youtu.be/hzC2P5V-CQw
Tópicos da Sessão 01:
- Abertura do concurso
- Ciência à candidata da agenda dos trabalhos
- Candidata toma conhecimento por escrito da lista de pontos para a prova escrita
- Apresentação do tema escolhido pela candidata para realização da prova pública oral de erudição
- Realização da prova pública oral de erudição
- Prova pública de arguição

Live 2 --> 15h30
Youtube: https://youtu.be/Zn8hF3TFliQ
Tópicos da Sessão 02:
- Defesa de texto intitulado: "O CONCRETO DO CAPITAL os promotores do valor imobiliário nas cidades brasileiras".

Sexta-feira (20-11-2020)

Live 1 -> 09h
Youtube: https://youtu.be/uzT1pBf0FzQ
Tópicos da Sessão 01:
- Sorteio do ponto da prova escrita.

Live 2 -> 14h30
Youtube: https://youtu.be/5-T8d9oaBYM
Tópicos da Sessão 02:
- Leitura da prova escrita pela candidata

Live 3 -> 17h00
Youtube: https://youtu.be/zCmFAxjvSuE
Tópicos da Sessão 03:
- Divulgação do quadro geral de notas e proclamação do resultado

Resultado das Eleições Discentes para os diversos Colegiados do IAU

 eleicao

_ Até às 17hs do dia 8 de outubro de 2020 serão recebidas, na Assistência Técnica Acadêmica, inscrições para eleição nos diversos colegiados do IAU. A Eleição será realizada no dia 12 de novembro de 2020, das 09h às 17h30min exclusivamente por meio de sistema eletrônico.

Eleição para os seguintes colegiados:

CONGREGAÇÃO
· 01 representante e respectivo suplente de Graduação
· 01 representante e respectivo suplente de Pós-Graduação

CONSELHO TÉCNICO-ADMINISTRATIVO (CTA)

· 01 representante e respectivo suplente de Graduação ou de Pós-graduação (o resultado desta representação será a soma dos votos computados das duas categorias)

COMISSÃO DE GRADUAÇÃO
· 01 representante e respectivo suplente de Graduação

COMISSÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO
· 01 representante e respectivo suplente de Pós-Graduação

COMISSÃO DE PESQUISA
· 01 representante e respectivo suplente de Pós-Graduação

COMISSÃO DE CULTURA E EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA
· 01 representante e respectivo suplente de Graduação

Segue abaixo, o cronograma do processo eleitoral:

EVENTO DATA
Período de inscrição individual ou por chapa de 23 de setembro de 2020
até às 17h do dia 19 de outubro de 2020
Divulgação do quadro dos candidatos cuja inscrição
tiver sido deferida será divulgado na página do IAU
21 de outubro de 2020
Envio de recursos contra o eventual indeferimento
de inscrição
23 de outubro de 2020
Divulgação da decisão sobre eventual recurso 30 de outubro de 2020
Sorteio para definição da ordem das chapas
no sistema de votação da USP
5 de novembro de 2020, às 14h
Eleição em fase única 12 de novembro de 2020, das 09h às 17h30min
(exclusivamente por meio de sistema eletrônico
de votação e totalização de votos)
Totalização dos votos e divulgação
na página da Unidade
13 de novembro de 2020
Envio de eventuais recursos relativos
à totalização dos votos
de 16 de novembro de 2020
até 18 de novembro de 2020


Portaria DirIAU_20_2020
Requerimento de Inscrição
Portaria DirIAU_20_2020_doe
Portaria dirIAU_22_2020_Comissão Eleitoral
Termo de Deferimento das Inscrições
Resultado das Eleições Discentes para os diversos Colegiados do IAU
Homologação do Resultado

Professora aposentada do IAU USP publica livro "Amaury de Medeiros e o Recife" pela Editora Intermeios

 livro profa-Telma web

_ A professora aposentada do IAU-USP, Telma de Barros Correia publica, pela Editora Intermeios, o livro "Amaury de Medeiros e o Recife: Arquitetura, Cidade e Higiene na Década de 1920".

Uma parte do conteúdo do livro foi publicada na forma de artigo no Anais do Museu Paulista, com o título "Gilberto Freyre e Amaury de Medeiros: tensões entre culto à tradição e messianismo sanitário (Recife, 1923-1926)". Caso se interessem, o link para acesso do volume da revista onde está o artigo é: Anais do Museu Paulista - Vol. 28/2020 - Portal de Revistas da USP

Resumo:

O livro "Amaury de Medeiros e o Recife: Arquitetura, Cidade e Higiene na Década de 1920", de autoria da professora aposentada do IAU-USP, Telma de Barros Correia, e publicado pela editora Intermeios, tem como temas centrais arquitetura neocolonial, reforma da habitação, jardins públicos, regionalismo e higiene. A aproximação a tais assuntos é feita a partir da atividade do médico sanitarista Amaury de Medeiros (1893-1928). A obra se centra no período entre fevereiro de 1923 e outubro de 1926, quando Amaury de Medeiros chefiou os serviços de higiene de Pernambuco e promoveu uma ampla reforma da saúde e da assistência médica no Estado. Na ocasião, contudo, o médico teve uma ação não menos relevante no plano do urbanismo e da arquitetura. Atuou de forma decisiva em um conjunto de realizações do governo estadual – dirigido por seu sogro Sergio Loreto – e municipal – dirigido por seu tio Antônio de Góes – que interferiram de forma profunda nas feições então assumidas pelo Recife. Dele partiram iniciativas de planos de urbanização de bairros, criação de praças e construção de prédios. Em mais de uma ocasião, não se satisfez com a iniciativa das ações e assumiu a elaboração de projetos, fixando padrões que foram, em alguma medida, seguidos pelas administrações estadual e municipal. Amaury foi responsável por algumas das construções mais notáveis erguidas no Recife em estilo neocolonial, pela arborização de ruas e criação de praças de desenho pitoresco e pelas obras de drenagem de lagoas e pântanos que permitiram a urbanização de Boa Viagem e do Derby e a expansão de vários outros bairros. Formulou e dirigiu uma das primeiras iniciativas nacionais de construção de casas populares por iniciativa do poder público: a fundação A Casa Operária. Criou a Cruz Vermelha Pernambucana, que deu início à construção da Maternidade do Derby. Quem conhece o prédio da FUSAM e a praça em frente, o conjunto de prédios neocoloniais dos hospitais da Tamarineira e Oswaldo Cruz, Boa Viagem e o Derby, pode avaliar o alcance do impacto de Amaury de Medeiros sobre a cidade. A ação de Amaury de Medeiros, através da fundação A Casa Operária, revela um vínculo importante entre as vilas operárias de fábrica e os conjuntos habitacionais criados pelo Estado. Se a produção de moradias por essa fundação foi limitada, seu vínculo com a posterior Liga Social Contra o Mocambo revela outra dimensão do impacto amplo de Amaury sobre o Recife. O médico foi, ainda, um dos seis membros fundadores do Centro Regionalista do Nordeste e participou de forma muito ativa dos dois eventos promovidos pela associação: a Semana das Árvores e o Primeiro Congresso Regionalista do Nordeste. No Rio de Janeiro e no Recife, Amaury de Medeiros esteve envolvido na formulação de projetos de reforma para o país, discutidos no âmbito da Associação Brasileira de Educação, do Clube dos Bandeirantes do Brasil, da Sociedade Brasileira de Higiene, da Associação Brasileira de Urbanismo, do Centro Regionalista do Nordeste e de sociedades médicas. Teve entre seus interlocutores influentes intelectuais, artistas e profissionais, entre os quais Gilberto Freyre, o jornalista Annibal Fernandes, o poeta Olegario Marianno, o urbanista Nestor de Figueiredo e os médicos Carlos Chagas, Clementino Fraga, Fernando Magalhães, Ulysses Pernambucano, Octavio de Freitas, Aggeu Magalhães e Alfredo de Moraes Coutinho.

capa e sumário do livro

livro profa-Telma imagens web

Legenda das Imagens:
. Grupo Escolar, cujo prédio foi projetado por Amaury de Medeiros.
. "Vila Operária Paz e Trabalho", construída pela fundação "A Casa Operária", sob a direção de Amaury de Medeiros.


7º Seminário Docomomo São Paulo - Programação

 7-docomomo web

_ 09 a 14 de novembro de 2020. O 7º Seminário Docomomo São Paulo tem como desafio dar continuidade aos dois seminário anteriores (organizados em colaboração com a FAU-UPM e com o IAU-USP, respectivamente), que foram muito bem sucedidos.

Como aqueles, o 7º é também resultado de um enorme trabalho coletivo que não teria sido possível sem o apoio de instituições tão sólidas e prestigiosas como as que vocês representam. Assim, ainda que de forma simples, pensamos que esse esforço está condensado na programação que anexamos para vosso conhecimento e divulgação.

Com um leque de atividades (palestras, mesa de homenagem, mesas de debates e de comunicações, além da realização da Assembleia Geral do Núcleo Docomomo São Paulo e as oficinas culturais), esperamos que este evento consiga evidenciar os enfoques (e as realizações) em prol da preservação, a documentação e a divulgação dos valores e obras do Movimento Moderno no Estado de São Paulo.Assim sendo, convidamos a todas e todos para participar das atividades durante a semana de 9 a 14 de novembro de 2020.

Programação completa

7 docomomo cartaz web

10+35+50_Palestra de Abertura do Jornadas LEAUC 2020

 LEAUC-2020 Jornadas palestra web

_ 05/11: 16hs Palestra de Abertura "Crono/cartografias da informação, um intercâmbio de conhecimentos

https://leauciauusp.wixsite.com/leauc-iauusp
facebook: @LaboratoriodeestudosLEAUC

O LEAUC - Laboratório de Estudos do Ambiente Contemporâneo convida a todos para palestra de abertura da 4ª Jornada Científica LEAUC, edição 2020. Tendo como tema de debate geral os métodos e narrativas do urbano contemporâneo, o professor Carlos Tapia (Escuela Técnica Superior de Arquitectura - Universidad Sevilha) abrirá o evento com a palestra "Crono/cartografias da informação, um intercâmbio de conhecimentos".

O objetivo desta palestra é promover uma troca de idéias sobre um pressuposto pré-determinado, que afirma que a representação é uma extensão da reflexão. Os 4 paradigmas científicos atuais serão colocados em jogo, e para a qual será feita uma tentativa de não diferenciar entre pesquisa e projeto, se isso for aceitável como pressuposto para os estudantes de pós-graduação aos quais o debate é dirigido.

A palestra será transmitida no canal oficial do IAU USP no Youtube, no dia 05/11 às 16h.

Esperamos por vocês!

LEAUC-2020 Jornadas palestra cartaz web

10+35+50_Jornada Científica LEAUC 2020

 LEAUC-2020 Jornadas web

Do urbano contemporâneo: métodos e narrativas

05/11: 16hs Palestra de Abertura / 06/11 (manhã e tarde): Mesas de Debates

https://leauciauusp.wixsite.com/leauc-iauusp

facebook: @LaboratoriodeestudosLEAUC

A Jornada Científica do LEAUC é parte dos eventos acadêmicos promovidos pelo Laboratório de Estudos do Ambiente Urbano Contemporâneo, no Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (IAU- USP). A Jornada tem como objetivo constituir-se enquanto espaço de interação e diálogo com pesquisadores (internos e externos ao IAU), estabelecendo assim um espaço de formação para os pesquisadores do grupo.

Ano a ano com dinâmicas distintas, suas edições anteriores debateram as relações urbanas e a produção do espaço contemporâneo. Para esta 4º edição, a Jornada Científica propõe uma discussão dos métodos de abordagem e narrativa dos processos urbanos contemporâneos, sob o título "Do urbano contemporâneo: métodos e narrativas".

Em 2020 o grupo vem tratando de procedimentos metodológicos e narrativas de processos de produção e de práticas socioespaciais da cidade contemporânea. Essa temática, comum à todas as pesquisas em desenvolvimento, em seus diversos estágios, busca compreender como cada método científico se aplica, contribui e é reproduzido em cada pesquisa individualmente, de modo a explorar possibilidades e construir um repertório comum para todos os pesquisadores do grupo. Dada à possibilidade de interação em meio digital, dinâmica restritiva e ao mesmo tempo libertária trazida ao centro das questões acadêmicas em 2020, propõe-se, este ano, contar com a participação de pesquisadores de 3 grupos distintos na construção do evento.

A programação da Jornada Científica de 2020 contará com uma palestra de abertura, a ser realizada no dia 05 de novembro, às 16hs, pelo Professor Carlos Tapia (Escuela Técnica Superior de Arquitectura - Universidad de Sevilla), "As Cronocartografias da Informação" – palestra essa a ser transmitida on-line pelo canal do IAU USP no YouTube.

Na continuidade, no dia 06 de novembro serão realizadas duas mesas, com a apresentação de questões das pesquisas dentro da temática proposta. As mesas serão abertas para a participação dos pesquisadores convidados, no intuito de ocasionar um espaço de formação e troca de experiência para as pesquisas em andamento.

Nas mesas, com a participação de dois debatedores (um convidado externo e um convidado interno do IAU), considera-se uma fala desses convidados seguida de apresentações sintéticas das pesquisas tendo em vista a temática do evento, as quais serão comentadas pelo professor. Tendo em vista o caráter enriquecedor do espaço proposto, em 2020 o LEAUC também convidará outros pesquisadores para apresentarem suas pesquisas. A sugestão feita é que cada professor das mesas tragam um de seus orientandos ou pesquisadores com quem trabalham para participar do evento, visando fomentar as discussões e fortalecer a troca entre os grupos, no todo. Ao final de cada mesa, ainda, ocorre um debate entre todos os pesquisadores participantes do evento, visando ampliar o escopo da discussão.

Cronograma do evento

Cartaz do evento

Novo Portal de Serviços Computacionais da USP

 portal-servicos-usp   web

_ Já está disponível para toda a comunidade USP o novo Portal de Serviços!!!

Você pode acessar o Portal pelo link: portalservicos.usp.br ou, caso prefira, use: olimpo.usp.br ou portal.usp.br. Utilize seu usuário e sua senha única, a mesma utilizada atualmente para acessar os sistemas corporativos.

Lembre-se: a partir do mês de dezembro esta será sua única forma de acessar as funções dos sistemas USP.

Na página inicial do Portal, clique em "Faça um tour pelo novo portal", para conhecer a funcionalidade disponível. Com o novo Portal, você vai acessar os serviços acadêmicos e administrativos da USP em uma visualização rápida e personalizada, com menu integrado por funções, lista de tarefas pendentes, busca e localização dos serviços por palavra-chave.

Caso encontre algum erro ou tenha alguma dificuldade para usar o novo Portal, clique em "Tire suas dúvidas", na página inicial.

texto da reportagem do Jornal USP

vídeo do lançamento do evento 

Superintendência de Tecnologia da Informação (STI)
Universidade de São Paulo (USP)

10+35+50_IAU.USP em Casa - Ciclo de Palestras (11) - Diálogos

 IAUUSPEMCASA 11 web

_ 28 de outubro, 17h - youtube.com/iauusp - Gênero e Raça na produção contemporânea de Arquitetura e Cidade

As mulheres são maioria entre estudantes e profissionais formados em Arquitetura e Urbanismo. Ainda assim, são muitos os desafios que se colocam às mulheres em seu exercício profissional e em seu desenvolvimento acadêmico. Aos desafios relacionados às questões de gênero no campo da arquitetura e urbanismo, somam-se outros que expõem a inequidade também racial. Tais questões vêm sendo cada vez mais expostas e debatidas, mas ainda requerem difusão e representação. Neste contexto, procuraremos discutir a importância de se lançar uma perspectiva feminina (e feminista) sobre as relações que envolvem a produção contemporânea de Arquitetura e Cidade, bem como tratar da necessária representatividade de gênero e raça no âmbito deste campo atuação profissional e acadêmica em um cenário marcado por complexas desigualdades sociais, como é o caso brasileiro.

 

Gabriela Leandro Pereira (UFBA/Gaia) - Professora da Faculdade de Arquitetura da UFBA, arquiteta e urbanista formada pela UFES. Mestre e doutora pelo PPGPAU/FAUFBA, onde integra o Grupo de Pesquisa Lugar Comum (PPGAU/FAUFBA), no qual coordena o Grupo de Estudos Corpo, Discurso e Território. Seus trabalhos versam sobre narrativas, histórias, memórias e epistemologias produzidas sobre a cidade e seus apagamentos, aproximando-os do debate étnico-racial e de gênero. Foi Vencedora do Prêmio de Teses da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional (2017), com trabalho intitulado "Corpo, discurso e território: Cidade em disputa nas dobras da narrativa de Carolina Maria de Jesus". É também integrante da Coletiva Terra Preta.


Sabrina Fontenele - Arquiteta e urbanista, com mestrado e doutorado pela FAU-USP, onde realizou pesquisas publicadas sobre arquitetura, cidade e preservação. Finalizou em 2019 a pesquisa de pós-doutorado na Unicamp quando redigiu um livro com apoio da Fapesp que trata de habitação, gênero e modernidade. Autora dos livros "Edifícios modernos e o traçado urbano no Centro de São Paulo" (2015) e "Restauro da Faculdade de Medicina da USP: estudos, projetos e resultados" (2013), além de vários capítulos de livro e artigos. Foi pesquisadora do Centro de Preservação Cultural da USP (2012-2018), onde atuou como editora científica da Revista CPC e como curadora da exposição "Tempo das Construções" (2013-2014). Desde 2018 é professora na Escola da Cidade onde também é Coordenadora de Pesquisa do Conselho Científico. Diretora de Cultura do Instituto dos Arquitetos do Brasil – Departamento São Paulo onde atua como responsável pelos projetos relacionados ao acervo do órgão, programação cultural e editorial (2020-22) e como curadora residente da 13ª. Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo.

 

Diana Helene Ramos - Desde 2004, atua junto a diferentes movimentos sociais de mulheres, moradia e trabalho em São Paulo, Rio de Janeiro e Alagoas. Foi esta atuação, na prática, que deu subsídios para realização da sua monografia de graduação, sua dissertação de mestrado e seu doutorado, premiado pela Capes em 2016 como melhor tese na área do Planejamento Urbano e Regional. Criou em 2013, o blog FeminismUrbana, para debater gênero e cidade. Aprofundou os estudos interseccionais de gênero durante seu pós-doutorado na UQAM (Canadá), em 2017, e no IPPUR/UFRJ, em 2018. Atualmente, é professora do curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Alagoas e da Pós-graduação em Tecnologia para o Desenvolvimento Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro, onde pesquisa e leciona sobre planejamento urbano, urbanismo, paisagismo, identidade, cultura e tecnologia, com enfoque nos estudos interseccionais e decoloniais.

 

Camila Camargo - Arquiteta Urbanista. Pós Doutoranda junto ao Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (bolsista pelo Programa Nacional de Pós-Doutorado - PNPD/CAPES). Pesquisadora do SAGEMM IAU (Social activities, gender, markets and mobilities from below - Latin America) e do LEAUC (Laboratório de Estudos do Ambiente Urbano Contemporâneo). Docente da Universidade Paulista (UNIP Araraquara). Atuou em cargos técnico-políticos em prefeituras de cidades médias do interior de São Paulo, dirigindo departamentos de planejamento e mobilidade urbana, e de projetos e orçamentos voltados a rede de equipamentos públicos urbanos. Atuou como docente em cursos de arquitetura e urbanismo de instituições de ensino privadas desta mesma região e em cargo temporário junto ao curso de Arquitetura e Urbanismo do IAU USP. Doutorado (IAU USP, 2016) e Mestrado (EESC, 2010) enfocando políticas públicas habitacionais e formas de moradia precária na cidade contemporânea. Focos de pesquisa: políticas públicas habitacionais, movimentos de moradia, regulação urbana, reestruturação produtiva e territorial.


IAUUSPEMCASA 11 cartaz web

10+35+50_IAU.USP em Casa - Ciclo de Palestras (12) - Diálogos

Divulgação-IAU-EMCASA 12   web 

_ 11 de novembro, 17h - youtube.com/iauusp - IAU: Projetos Estudantis de Destaque em Concursos

Contest for BRICS Young Leaders - O concurso foi organizado pelo comitê nacional de pesquisas do BRICS e teve como objetivo mobilizar jovens líderes, pesquisadores e especialistas a propor soluções para problemas enfrentados pelos BRICS. Os concorrentes dos cinco países poderiam participar enviando um artigo científico, projeto ou pesquisa que abarcasse um dos seguintes eixos: contribuição para o desenvolvimento dos BRICS; promoção do papel dos BRICS no cenário geopolítico internacional; cooperação na era digital. Os finalistas do concurso foram selecionados para compor a comissão dos seus respectivos países na BRICS International School, onde por uma semana tiveram contato com especialistas dos temas abordados e auxílio para implementação dos seus projetos ou continuação das suas pesquisas.

O projeto foi submetido dentro do eixo de cooperação na era digital, porém entende-se que ele também se encaixa como contribuição ao desenvolvimento dos BRICS.

Intitulado "Participatory methodologies and technological tools for urbanization of precarious settlements: a bridge between BRICS urban actors", o projeto de Marcelo Fernandez propôs a elaboração de uma plataforma digital que permitia atores urbanos dos BRICS compartilharem suas experiências com metodologias de projetos participativos para urbanização de assentamentos precários, fortalecendo a própria atuação local através de cooperação internacional.

Aluno responsável: Marcelo Fernández Baca dos Santos, turma 2016

 

Urban Greenhouse Challenge - Promovido pela Wageningen University, Holanda, o concurso teve como proposta a concepção de um projeto de edifício para produção de alimentos utilizando diferentes tecnologias, esse integrado a um projeto paisagístico do Parque Marina Bay Park em Dongguan, na China.

Além do projeto arquitetônico e de paisagem, o grupo também desenvolveu um modelo de negócios, um front end para aplicativo, uma criptomoeda e um plano prevendo o impacto social do projeto. Entre 53 equipes, o grupo de alunos do IAU ficou em 6º lugar, recebendo o prêmio Golden Clog, pelos vlogs realizados durante o concurso mostrando o desenvolvimento do projeto e discutindo sobre a questão do futuro da alimentação.

Integrantes do grupo: Ana Victória Silva Gonçalves (IAU 4º ano); Beatriz Alcântara (IAU 4º ano); Camilla Grande Degaspari (ESALQ 4º ano); Gabriel Coneglian Barbosa (ESALQ 4º ano); Guilherme Baldessin (IAU 5º ano); Ingridth Sarah Hopp (IAU 3º ano); Matheus Motta Vaz (IAU 5º ano); Natalia Jacomino (IAU 5º ano); Juliana da Mata Santos (IAU formada em 2020)

Professores Orientadores: Luciana Bongiovanni M. Schenk (IAU), Jorge Munaiar Neto (EESC), Brunno da Silva Cerozi (ESALQ)

Colaboradores: André Daher, Fabio Rodrigues, Felipe Vergili Sgarbossa (EESC), Givaldo Luiz Medeiros (IAU), Lucia Zanin Shimbo (IAU), Pietro Faleiros (EESC), Rosane L. Chicarelli Alcantara (UFSCar), Sindélio Henrique Lima, Tomaz Lotufo. Bitcoin Descomplicado, Escola Cripto.

 

Concurso Ousadia, promovido pelo Ibracon - Dentre os concursos organizados pelo IBRACON, o Concurso Ousadia propõe como atividade a concepção de um projeto básico adotando o concreto como componente estrutural, prevendo também uma intervenção urbanística no seu entorno a fim de requalificar o ambiente de maneira coerente e, ao mesmo tempo, ousada. Respeitando o contexto local do projeto a ser inserido, o desafio pretende desenvolver a competência dos alunos na concepção de projetos arrojados; contribuir para o entrosamento entre estudantes de arquitetura e de engenharia civil; aprimorar os conhecimentos da tecnologia do concreto e enaltecer a paisagem urbana.

Desde a primeira participação em 2016, a equipe da ECON (Equipe de Concreto - USP São Carlos), vem garantido o pódio no Congresso Brasileiro de Concreto (CBC) que ocorre anualmente: 2016 (1º lugar), 2017 (3º lugar), 2018 (2º lugar) e 2019 (1º lugar). A atividade extracurricular conta com alunos da arquitetura e urbanismo e da engenharia civil, os quais desenvolvem estudos e projetos na área de tecnologia de concreto e suas aplicações, trabalhando o ano todo para competir nas 5 das cinco categorias de concursos técnicos estudantis promovidas pelo Congresso. A atual equipe de 2020 também está concorrendo ao novo concurso, e o resultado sairá em início de 2021.

O projeto desenvolvido pela equipe teve como desafio projetar, detalhar e calcular uma passarela padrão para rodovias federais aplicável a todo território nacional. A solução apresentada pela ECon foi uma viga em "I" de alma treliçada, que conformava um módulo a ser replicado para atender os três diferentes vãos – pista simples (15m), pista dupla sem canteiro central (23m) e com canteiro (12+6+12m). Com isso, o próprio desenho estrutural foi o produtor do espaço da passarela onde as pessoas transitam. Esse desenho determinou a forma dos pilares, criando uma linguagem em toda a passarela. A proposta foi feita em concreto armado, sendo as peças pré-moldadas, para facilitar a replicabilidade.

Segundo a prancha de apresentação do projeto, "a conciliação das questões estruturais e arquitetônicas trouxe esbelteza à estrutura. Como o ponto chave para vencer o vão da passarela está na altura da viga, que neste caso é a conformadora do projeto, o elemento desafiador foi visto como solução transformando limites em potencialidades".

Integrantes do grupo: Gabriel Francisco dos Santos (EESC), Gabriel Henrique Dalevedo Viana (EESC), Gabriel Passos (EESC), Giovanna Jacomelli (EESC), Isabela Okada Marquez (IAU), Lucas Modotte Bernardo (EESC), Luccas Gouvêa de Melo (IAU), Marcio de Oliveira Jr. (EESC), Maria Luisa do Santos Vasconcellos (EESC), Matheus Motta Vaz (IAU), Michele Higa (EESC), Nicholas Picin Casagrande (EESC), Rafael Sanches Mercadante (EESC), Rafaela Fernanda Mendonça Gomes (EESC), Sophia Da Rosa Siviero (IAU), Vinícius Viccino Granato (IAU).

Professores Orientadores: - Luis Espallargas Gimenez (IAU), Ricardo Carrazedo (EESC), Simone Helena Tanoue Vizioli (IAU)

 

Divulgação-IAU-EMCASA 12 cartaz web

Mesa da lançamento do segundo número da Revista POSTO68

 revista-posto68 web

_ O corpo editorial da Revista POSTO68 convida a todas e todos para a mesa da laçamento do segundo número da revista, que será realizado no sábado, 24 de outubro, às 16h, em nosso perfil no YouTube.

Este segundo número, com o tema "Transgressão latina: a prática da decolonialidade", é composto de materiais submetidos por meio de chamada aberta, textos escritos pelo corpo editorial da revista, entrevistas e textos escritos por autores convidados. A mesa de lançamento contará com a presença dos membros do corpo editorial, da professora Amanda Saba Ruggiero (IAU-USP) e da estudante Luany Marques (cursa Relações Internacionais na UFRJ e representará a iniciativa de pesquisa e extensão "Debates Pós-Coloniais e Decoloniais")

Reforçamos que versão impressa está disponível com exemplares limitados, podendo ser adquiridos através do link https://linktr.ee/posto68. Também estão disponíveis um pôster exclusivo e um calendário. Ressaltamos que esses valores são válidos somente até hoje, dia 16/10, quando encerrarmos a pré venda. Além da versão impressa, a revista também estará disponível nas plataformas Medium e Issuu, após a mesa de lançamento.

YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCPIZjbuP3BRggVbaEjk9yXw/?guided_help_flow=5.
Instagram: https://www.instagram.com/revistaposto68/?hl=en.

Esperamos poder contar com a presença e a contribuição de todas e todos!

Um abraço do corpo editorial da POSTO68.

revista-posto68 cartaz web

10+35+50_Urbanicidades 2020 - Cidades brasileiras: narrativas, imaginários e limiaridades

urbanicidades 22out web

_ A sessão do dia 22/10 do ciclo de cinema Urbanicidades vai exibir o filme "As Filhas da Chiquita" às 17h30. O filme integra uma série de três ciclos semestrais de cinema intitulada "Cidades brasileiras: narrativas, imaginários e limiaridades". A proposta da série é apresentar curtas, filmes e documentários que abordam culturas urbanas regionais brasileiras a partir de seus próprios registros cinematográficos. Para a seleção das películas, a curadoria considerou o retrato da produção e representações do imaginário da cidade e de seus territórios culturais e espaciais no Brasil.

"As Filhas da Chiquita" retrata a bicentenária procissão do Círio de Nazaré - maior romaria católica do brasil e uma das maiores do mundo - e sua convivência com a Festa da Chiquita, o mais tradicional encontro gay da amazônia que ocorre há 28 anos no mesmo dia, na mesma hora e na mesma rua. Em 2004, o IPHAN incluiu a festa da chiquita no processo de tombamento do Círio como Patrimônio Imaterial da humanidade, dando início a uma grande polêmica: afinal, a Festa da Chiquita faz parte do círio?

endereço: youtube.com/user/iauusp

urbanicidades 22out cartaz web

 

Eleição do representante e respectivo suplente dos servidores Técnico-Administrativos junto à Congregação do IAU

 eleicao

_ A eleição para a escolha de 1 (um) representante e respectivo suplente dos servidores Técnico-Administrativos junto à Congregação do IAU, será realizada, em uma única fase, das 9 horas do dia 25 de novembro de 2020 até às 17 horas do dia 26 de novembro de 2020, exclusivamente por meio de sistema eletrônico de votação e totalização de votos.

As candidaturas serão registradas individualmente no período de 16 a 20 de novembro de 2020, formuladas através de requerimentos dirigidos ao Diretor do IAU, e enviados à Assistência Técnica Acadêmica do IAU, através do e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo..

O mandato do servidor eleito, bem como de seu suplente é de 1 (um) ano, admitindo-se recondução, e terá início em 13/12/2020.

Requerimento de Inscrição

Portaria DirIAU 23/2020

10+35+50_Urbanicidades 2020 - Cidades brasileiras: narrativas, imaginários e limiaridades

urbanicidades 20out web

_ A sessão do dia 20/10 do ciclo de cinema Urbanicidades vai exibir o filme "Ribeirinhos do asfalto", que integra uma série de três ciclos semestrais de cinema intitulada "Cidades brasileiras: narrativas, imaginários e limiaridades". A proposta da série é apresentar curtas, filmes e documentários que abordam culturas urbanas regionais brasileiras a partir de seus próprios registros cinematográficos. Para a seleção das películas, a curadoria considerou o retrato da produção e representações do imaginário da cidade e de seus territórios culturais e espaciais no Brasil. "Ribeirinhos do asfalto", a ser exibido no dia 20/10, às 17h30, ganhador de cinco prêmios, apresenta a jovem Deisy, que gostaria de morar na grande cidade de Belém. Moradora da ilha do Combu, do outro lado do rio, Deisy se encontra isolada da cidade que costuma contemplar a distância. O filme retrata a cultura ribeirinha por meio de uma história de ficção, cujo enredo é permeado por duas realidades próximas e, ao mesmo tempo, distantes, a de Belém e a da Ilha do Combu.

endereço: youtube.com/user/iauusp

urbanicidades 20out cartaz web

 

Manifesto da Faculdade de Educação USP

manifestacao faculdade-educacao  web

_ Manifesto da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo pela imediata revogação do Decreto No. 10.502, de 30 de setembro de 2020

Reconhecer os centenários processos de discriminação de pessoas com deficiência, termo que abarca também as pessoas usuárias de saúde mental, faz-se urgente num país que viveu décadas de ditadura civil-militar, cujo projeto de Estado relativo a esse setor da população foi nada mais que delegar à filantropia a proposição de ações pontuais, em espaços segregados.

Ao longo da trajetória histórica da Educação Especial no Brasil, percebe-se a hegemonia de instituições especializadas no país. Somente no século XXI, institui-se sob forma de política nacional, a proposição da educação especial sob o marco da educação inclusiva. Fruto de um trabalho intenso, protagonizado por vários atores sociais, com destaque às pessoas com deficiência, a legislação brasileira passou a garantir-lhes o direito incontestável à educação e a assegurar a matrícula na classe comum, de caráter inclusivo, visando garantir seus direitos à aprendizagem. A definição do público-alvo da Educação Especial: pessoas com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades/superdotação consolida um conjunto de estudantes que têm seus direitos garantidos.

Acompanhando os debates e tratados internacionais, que reafirmam o compromisso com "não deixar nenhum/a aluno/a para trás", o Brasil, por meio de suas políticas públicas e com o empenho dos profissionais da área da educação, vem buscando qualificar o trabalho da escola pública no que tange às propostas inclusivas seja por meio da oferta de formações ou de recursos.

Nesse sentido, a educação inclusiva passou a ser um princípio constitucionalmente assegurado e uma conquista histórica para o Brasil, inclusive colocando o país numa posição de destaque em nível internacional. Acompanhando os debates e tratados internacionais, que reafirmam o compromisso com "não deixar nenhum/a aluno/a para trás", o Brasil, por meio de suas políticas públicas e com o empenho dos profissionais da área da educação, vem buscando qualificar o trabalho da escola pública no que tange às propostas inclusivas seja por meio da oferta de formações ou de recursos.

Forte indicativo desse compromisso explicita-se na promulgação do Decreto 6.949, de 2009, que homologa a Convenção sobre os direitos das pessoas com deficiência, conferindo-lhe status de emenda constitucional. A publicação do Decreto n. 10.502, de 30 de setembro de 2020, pretende instituir uma política que se autodenomina inclusiva e equitativa, entretanto, impulsiona a criação e manutenção de escolas e classes especiais como serviços especializados, o que caracteriza retrocesso que impactará fortemente na escolarização das pessoas com deficiência, que hoje têm chegado à educação superior como resultado da sinergia de esforço dos últimos anos, bem como fruto do investimento de políticas educacionais na perspectiva da educação inclusiva.

O Decreto 10.502/2020 já nasce obsoleto e em franca oposição às evoluções democráticas alcançadas nos debates internacionais, posto basear-se em concepções e formas de organização do sistema educacional que entram em frontal contradição com os marcos legais brasileiros, com destaque à a Constituição Federal (CF/1988) e da Convenção sobre os direitos das pessoas com deficiência (ONU, 2007) e a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Lei 13.146/2015). O referido decreto é um mecanismo de desresponsabilização do Estado quanto ao direito à educação, aos seus deveres de investimento na manutenção e desenvolvimento de uma escolarização pública e com garantia de uma permanência igualitária e de qualidade.

A Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo reitera seu compromisso com a educação pública, gratuita, estatal, laica, inclusiva, de qualidade socialmente referenciada. Assim, manifesta-se pela imediata revogação do Decreto No. 10.502/2020.

Não admitimos retrocesso!

Classe e escola especial não é inclusão!

Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo

fonte: http://www4.fe.usp.br/manifesto-da-faculdade-de-educacao-da-universidade-de-sao-paulo-pela-imediata-revogacao-do-decreto-no-10-502-de-30-de-setembro-de-2020

10+35+50_Coletivos estudantis de cultura e extensão do IAU-USP: quadro atual e perspectivas

coletivos-estudantis web

_ Reunião aberta da CCEx com alunos de graduação e pós-graduação do IAU.

Encontro aberto, com alunos de graduação e de pós-graduação, cujo objetivo é a construção de uma ampla discussão acerca dos coletivos estudantis de cultura e extensão do IAU, bem como de outras atividades já existentes (SAAU, Café com pesquisa, Semanau, Posto 68, Projeto Rondon, equipes de concursos etc).

Local: Postão Virtual - meet.google.com/kwd-gzeg-kex

Data: 14/10 14h

coletivos-estudantis cartaz web

10+35+50_IAU.USP em Casa - Ciclo de Palestras (10) - Diálogos

 iau-usp-em-casa 10 web

_ 14 de outubro, 17h, com Karin Maria Soares Chvatal (IAU USP), Anderson A. Ubices de Moraes (UFSCar) e Marieli Azoia Lukiantchuki (UEM), acesso pelo link: youtube.com/iauusp

A COVID-19 E O USO DE ESPAÇOS INTERNOS: VENTILAÇÃO E SALUBRIDADE DO AR 

A ventilação dos ambientes internos apresenta duas principais funções: proporcionar conforto térmico aos usuários, principalmente em regiões de clima quente e úmido, que corresponde a grande parte do território brasileiro e proporcionar a melhoria da qualidade do ar, fato que ganhou significativa importância nesse momento que estamos vivenciando, com a pandemia da COVID-19. Há fortes evidências que indicam a possibilidade da transmissão do vírus pelo ar, e a ventilação é apontada como um importante elemento para reduzir o potencial de contaminação. Diante disso, surgem questões sobre como melhorar a qualidade do ar interno dos edifícios existentes, bem como dos futuros projetos? O que deve ser observado nos ambientes condicionados artificialmente? E nos edifícios de saúde? Como estabelecer um plano de retomada das atividades presenciais visando a qualidade do ar interno? Pretendemos trazer alguns elementos que possam contribuir para um melhor entendimento das diferentes estratégias de ventilação e suas implicações, da relação entre qualidade do ar e eficiência energética, da complexidade das questões envolvidas, das muitas dúvidas ainda existentes e da distância muitas vezes encontrada entre a teoria e a prática da construção e da manutenção dos edifícios, principalmente no Brasil.


Karin Maria Soares Chvatal é professora livre-docente do Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo. Pertence ao Grupo de Pesquisa Tropicus (Grupo de Pesquisa em Conforto, Energia e Ambiente Construído). É Presidente da Comissão de Pesquisa do IAU e coordenadora do Laboratório de Conforto Ambiental (LCA). Possui Doutorado em Engenharia Civil pela Universidade do Porto, Portugal e Mestrado e Graduação em Engenharia Civil pela UNICAMP.

ROSSI, MICHELE MARTA ; OLIVEIRA FAVRETTO, ANA PAULA ; GRASSI, CAMILA ; DECAROLIS, JOSEPH ; CHO, SOOLYEON ; HILL, DAVID ; SOARES CHVATAL, KARIN MARIA ; RANJITHAN, RANJI . Metamodels to Assess the Thermal Performance of Naturally Ventilated, Low-Cost Houses in Brazil. In.: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0378778819303056?via%3Dihub
BRUGNERA, R. R. ; ROSSIGNOLO, J. A. ; MATEUS, R. ; CHVATAL, K. M. S. . Escritórios de planta livre no Brasil: o impacto de diferentes soluções de fachada na eficiência energética. In.: https://www.scielo.br/pdf/ac/v19n3/1678-8621-ac-19-03-0295.pdf


Anderson Antonio Ubices de Moraes é professor é professor adjunto na Universidade Federal de São Carlos. Possui graduação em Engenharia Mecânica e doutorado na área térmica e fluidos pela Escola de Engenharia de São Carlos-USP. Atualmente é pós doutorando no Instituto de Arquitetura e Urbanismo junto ao grupo TROPICUS.

LEITE, L.M.; MORAES, S.C.J.; ALVES, A.B.C. G.; MORAES, A.A.U. de. Desenvolvimento de Banco de Dados para Programa SOL-AR a Partir de Dados Climáticos INMET 2016. In: http://wipex.scl.ifsp.edu.br/ocs/index.php/wipex/4wipex/paper/viewFile/245/114
MORAES, A. A. U. de; GUIDETTI, G. E. C. B. ; ALVES, A. B. C. G. . AVALIAÇÃO DO CONSUMO ENERGÉTICO DE DOIS SISTEMAS DISTINTOS DE CLIMATIZAÇÃO EM UM RESTAURANTE NA CIDADE DE UBERABA-MG VIA ENERGY PLUS. In.: http://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/rbcti/article/view/3261


Marieli Azoia Lukiantchuki é professora adjunta da Universidade Estadual de Maringá. Possui Graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Estadual de Maringá, mestrado em Arquitetura e Urbanismo pela Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo - EESC/USP e Doutorado em Arquitetura e Urbanismo pelo Instituto de Arquitetura e Urbanismo de São Carlos da Universidade de São Paulo - IAU/USP, com período sanduíche no Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC). Atualmente também é professora do Programa Associado de Pós Graduação em Arquitetura e Urbanismo UEM / UEL e coordenadora do grupo de pesquisa ProArq_Tec da UEM.

LUKIANTCHUKI, Marieli Azoia; SHIMOMURA, A. P.; MARQUES, da silva F. ; CARAM, Rosana Maria . Wind tunnel and CFD analysis of
wind-induced natural ventilation in sheds roof building: impact of alignment and distance between sheds. International Journal of
Ventilation, p. 1-22, 2019. In.: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/14733315.2019.1615219
LUKIANTCHUKI, Marieli Azoia; SHIMOMURA, A. P. ; MARQUES, da silva F. ; CARAM, Rosana Maria . Influência do número de sheds e da distância horizontal entre eles no desempenho da ventilação natural. AMBIENTE CONSTRUÍDO (ONLINE), v. 18, p. 161-176, 2018. In.: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1678-86212016000100083&lng=en&nrm=iso


iau-usp-em-casa 10 cartaz web 

Estamos em casa, mas estamos juntos!
#iau.usp.emcasa

10+35+50_Urbanicidades 2020 - Cidades brasileiras: narrativas, imaginários e limiaridades

urbanicidades 2020 evento2 web

_ O Urbanicidades dá início em outubro de 2020 a uma série de três ciclos semestrais de cinema intitulada "Cidades brasileiras: narrativas, imaginários e limiaridades". A proposta da série é apresentar curtas, filmes e documentários que abordam culturas urbanas regionais brasileiras a partir de seus próprios registros cinematográficos. Para a seleção das películas, a curadoria considerou o retrato da produção e representações do imaginário da cidade e de seus territórios culturais e espaciais no Brasil.

O documentário a ser exibido no dia 08/10, às 17h30, traz Luiz Braga como representante emblemático de um movimento de fotografia que existe no estado do Pará. Seu trabalho constitui-se pela busca incessante de uma linguagem que traduz o imaginário profundo da vida amazônica com olhar de conhecedor, não de visitante. O filme registra não só o trabalho do fotógrafo, mas também uma outra realidade paraense e sua riqueza cultural amazônica.

Link para transmissão: https://youtu.be/Bd_G2bSV9p8

Cada sessão oferece a exibição da película seguida de um debate entre convidados. Serão oferecidos certificados para aqueles que estiverem presentes em ao menos três das sessões de cada ciclo.

Urbanicidades-Para-Lugares-do-Afeto web

 

10+35+50_Palestra Nuove Tecnologie e Cultural Heritage: gestione 2.0

palestra-nuove- web

_ em 08 de outubro de 2020, as 10h, será realizada a palestra "Nuove Tecnologia e Cultural Heritage: gestione 2.0" com Alfonso Ippolito e Martina Attenni, ambos da Università La Sapienza di Roma.

As inscrições para acesso ao meeting será feita pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. até dia 6 de outubro.

A palestra será proferida em italiano.

 

palestra nuove folder web

10+35+50_Urbanicidades 2020 - Cidades brasileiras: narrativas, imaginários e limiaridades

urbanicidades 2020 web

_ O Urbanicidades dá início em outubro de 2020 a uma série de três ciclos semestrais de cinema intitulada "Cidades brasileiras: narrativas, imaginários e limiaridades". A proposta da série é apresentar curtas, filmes e documentários que abordam culturas urbanas regionais brasileiras a partir de seus próprios registros cinematográficos. Para a seleção das películas, a curadoria considerou o retrato da produção e representações do imaginário da cidade e de seus territórios culturais e espaciais no Brasil.

No documentário a ser exibido no dia 06/10, às 17h30, a cena tecnobrega de Belém do Pará é retratada por meio de entrevistas com artistas pobres que gravam em estúdios de fundo de quintal. O documentário traz a relação entre o tecnobrega, também conhecido por tecnomelody, e a popularização da tecnologia a partir do final da década de 90 e discute a cadeia econômica que permeia essa produção. Gravado entre os anos de 2006 e 2009, mostra como esse estilo musical se associou à pirataria para criar uma rede de distribuição alternativa ao modelo proposto pelas grandes gravadoras. As entrevistas trazem falas de ídolos das aparelhagens, enormes sistemas de som que realizam festas itinerantes pelos bairros mais pobres da cidade, e que completam as cenas do documentário.

O evento será transmitido do canal do IAU-USP no YouTube (http://www.youtube.com/iauusp) e também aberto à participação pelo Google Meet ( https://meet.google.com/xwe-qpoc-moz )

 

urbanicidades 2020 cartaz web

Aluno do IAU tem projeto entre os finalistas do concurso BRICS International School

projeto-aluno-iau brics terceirolugar web

_ O projeto do aluno Marcelo Fernández Baca dos Santos, do curso de arquitetura e urbanismo do IAU, está entre os finalistas do concurso BRICS International School e agora está representando o Brasil junto com outros pesquisadores brasileiros.

Atualização: com a conclusão do programa e divulgação do resultado final da competição no dia 10/out/2020, o projeto do aluno Marcelo F. B dos Santos foi premiado com o TERCEIRO LUGAR.

Segue a descrição do concurso e do projeto:

O concurso faz parte da "BRICS International School" que foi comunicada pela Divulgação nº 122 / 2020 - Informe AUCANI. A BRICS International School é um programa científico e educacional único organizado pela Rússia, no papel de presidente atual do grupo BRICS, que visa treinar jovens especialistas em estudos do BRICS em campos políticos, econômicos, humanitários e outras áreas relevantes de interação nos cinco países – Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. Ao longo desse programa os participantes irão receber mentoria, palestras e aulas magnas de especialistas internacionais nos mais diversos campos de cooperação entre os BRICS.

Para a seleção dos participantes, foi elaborado um concurso internacional chamado "Contest for BRICS Young Leaders" onde jovens dos cinco países apresentaram projetos, pesquisas ou artigos científicos sobre a situação dos BRICS na geopolítica internacional e possíveis soluções para os problemas de desenvolvimento apresentados pelo grupo. Os melhores projetos são classificados para a fase final do concurso, onde concorrem a bolsas e prêmios, e os autores são convidados a participar do BRICS International School.

Para participar do concurso, o aluno elaborou o projeto "Participatory methodologies and technological tools for urbanization of precarious settlements: a bridge between BRICS urban actors", onde propõe uma plataforma digital para que atores urbanos dos BRICS possam compartilhar suas experiências com metodologias de projetos participativos para urbanização de assentamentos precários, fortalecendo a própria atuação local através de cooperação internacional.

Marcelo foi selecionado entre os finalistas do concurso e agora está representando o Brasil junto com outros pesquisadores brasileiros na BRICS International School. Ao final do programa, dia 10 de outubro, serão divulgados os vencedores definitivos do concurso.

projeto-aluno-iau bricks cartaz web

Aluno do IAU é premiado com o terceiro lugar em concurso internacional

projeto-aluno-iau brics terceirolugar web

_ O projeto do aluno Marcelo Fernández Baca dos Santos, do curso de arquitetura e urbanismo do IAU, ficou entre os finalistas do concurso BRICS International School, representando o Brasil junto com outros pesquisadores brasileiros.

Com a conclusão do programa e divulgação do resultado final da competição no dia 10 de outubro de 2020, o projeto do aluno Marcelo F. B dos Santos foi premiado com o TERCEIRO LUGAR.

Segue a descrição do concurso e do projeto:

O concurso faz parte da "BRICS International School" que foi comunicada pela Divulgação nº 122 / 2020 - Informe AUCANI. A BRICS International School é um programa científico e educacional único organizado pela Rússia, no papel de presidente atual do grupo BRICS, que visa treinar jovens especialistas em estudos do BRICS em campos políticos, econômicos, humanitários e outras áreas relevantes de interação nos cinco países – Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. Ao longo desse programa os participantes irão receber mentoria, palestras e aulas magnas de especialistas internacionais nos mais diversos campos de cooperação entre os BRICS.

Para a seleção dos participantes, foi elaborado um concurso internacional chamado "Contest for BRICS Young Leaders" onde jovens dos cinco países apresentaram projetos, pesquisas ou artigos científicos sobre a situação dos BRICS na geopolítica internacional e possíveis soluções para os problemas de desenvolvimento apresentados pelo grupo. Os melhores projetos são classificados para a fase final do concurso, onde concorrem a bolsas e prêmios, e os autores são convidados a participar do BRICS International School.

Para participar do concurso, o aluno elaborou o projeto "Participatory methodologies and technological tools for urbanization of precarious settlements: a bridge between BRICS urban actors", onde propõe uma plataforma digital para que atores urbanos dos BRICS possam compartilhar suas experiências com metodologias de projetos participativos para urbanização de assentamentos precários, fortalecendo a própria atuação local através de cooperação internacional.

projeto-aluno-iau bricks cartaz web

10+35+50_Seminário "Entre Tempos e Faces da Política"

 DIVULGACAO web

_ a ser realizado em três encontros: 21/09, 25/09 e 02/10/2020, das 14h às 16h.

O Seminário pretende comunicar e discutir pesquisas desenvolvidas ou em desenvolvimento sob supervisão/ coordenação da Prof. Titular Cibele Rizek (IAU USP), com o objetivo de iluminar e discutir questões contemporâneas que envolvem determinados aspectos ou modulações do processo de reestruturação produtiva e territorial sob dominância financeira, e revisão dos modos de figuração das desigualdades e da pobreza no Brasil.

Os encontros serão transmitidos no canal do IAU USP no Youtube (http://www.youtube.com/iauusp) e o chat estará aberto para perguntas ao término das apresentações. Durante a transmissão disponibilizaremos formulário on line para emissão de certificados de participação.

1o Encontro - 21-09  (cartaz)
2o Encontro - 25/09 (cartaz)
3o Encontro - 02/10 (cartaz)

DIVULGACAO cartaz web

10+35+50_IAU.USP em Casa - Ciclo de Palestras (9) - Diálogos

009 IAUUSPEMCASA 30-09 web

_ 30/09 18h, com Maria Arminda N. Arruda (FFLCH USP), Cibele Rizek (IAU USP), Miguel Buzzar (IAU USP) e David Sperling (moderador IAU USP) - acesso ao encontro pelo Youtube www.youtube.com/iauusp

O PL 529/2020, enviado à ALESP pelo Governador João Doria, em vias de ser voltado, tem uma extensão incomum: atinge em cheio as universidades estaduais paulistas – responsáveis dentro do quadro brasileiro de ciência e tecnologia, por parte significativa da pesquisa e da produção de conhecimento no Estado de São Paulo e no país – e a Fundação de Amparo à Pesquisa (FAPESP), além de extinguir 10 empresas e fundações públicas (entre as quais CDHU, EMTU entre outras). Nas instituições de ensino e pesquisa esses cortes na forma de confisco do que seria incorretamente identificado como recursos não utilizados, não por acaso, coincidem com os ajustes orçamentários que promoveram o encolhimento e sucateamento dos órgãos nacionais de fomento à pesquisa ( CAPES e CNPq). O conhecimento científico – enaltecido anteriormente de modo instrumental e midiático, agora é frontalmente atacado pelo Governo do Estado de São Paulo.

O conjunto das medidas aponta para um horizonte de desmonte do Estado e das políticas públicas, mesmo em um momento de crise sanitária, causada pela pandemia do Covid 19, no qual a atuação do Estado é fundamental. A lógica neoliberal não reconhece as necessidades sociais e nos obriga a reflexão e ação em defesa dos parcos direitos conquistados e das políticas de alcance verdadeiramente público. Esta mesa redonda soma–se a todas iniciativas contrárias ao PL 529, uma luta que, certamente, não se encerra nesse episódio, seja qual for o desfecho de momento.

 

Maria Arminda Do Nascimento Arruda. É Mestre, Doutora e Livre-Docente em Sociologia pela USP. É professora titular de Sociologia da USP desde 2005. Atualmente é Diretora da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. Pesquisadora sênior do Instituto de Estudos Sociais e Políticos de São Paulo. Sua área de investigação compreende pesquisas no âmbito da sociologia da cultura; história social dos intelectuais, da literatura e das artes; sociologia da comunicação de massas; teoria sociológica.
ARRUDA, M. A. N.. A política cultural: regulação estatal e mecenato privado. In.: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-20702003000200007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt, acessado em 23/09/2020.

Cibele Saliba Rizek. Professora Titular do Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo. Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (1972), mestrado em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1988) e doutorado em Sociologia pela Universidade de São Paulo (1994). Atualmente é professora do Programa de Pós Graduação em Arquitetura e Urbanismo do IAU/ Universidade de São Paulo e pesquisadora do Centro de Estudos dos Direitos da Cidadania, também da Universidade de São Paulo.
RIZEK, C. S.. Um mosaico macabro: modulações contemporâneas sobre trabalho, moradia e violência de Estado. https://fase.org.br/wp-content/uploads/2020/02/Revista-Proposta-129-Web.pdf, acessado em 23/09/2020.

Miguel Antonio Buzzar. Professor Livre Docente/Associado do Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (São Carlos). Mestrado em estruturas ambientais urbanas pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo USP (1996) e doutorado em estruturas ambientais urbanas pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo USP (2002). Diretor do Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo - IAU USP (2016-2020).
BUZZAR, M. A.; CORDIDO, M. T. R. L. B. Plano de ação (page), e a arquitetura moderna. In.: http://periodicos.puc-campinas.edu.br/seer/index.php/oculum/article/view/4127/3022, acessado em 23/09/2020.

 

pl520 web

DOCOMOMO Brasil - Núcleo São Paulo

 docomomo web

_ carta sobre alterações no CONPRESP, enviada aos Exmos. Sr. Bruno Covas – Prefeito de São Paulo, e Sr. Hugo Possolo - Secretário Municipal de Cultura.

Web-séries Núcleo de Direitos Humanos USP – São Carlos

 webseries 2   web

_ Quarta-feira, dia 30 de setembro, 17:00 hs

Saúde mental, vida acadêmica e dificuldades psicológicas associadas à epidemia de COVID 19, com:

Taís Bleicher (Departamento de Psicologia da UFSCAR)
Andrés Eduardo Aguirre Antúnez (Escritório de Saúde Mental da USP)
Equipe APOIA-USP (Serviço de Atenção Psicossocial da USP de São Carlos).

Link de acesso ao webinar: https://meet.google.com/kxh-qvkr-vtq

POSTER 2 web

Resultado - Seleção de bolsistas sala pro-aluno 2020 - 2021

sala-pro-aluno web

_ Resultado Seleção - Bolsistas pro-aluno do IAU - 2020 - 2021

Informamos a relação de candidatos selecionados para compor o quadro de bolsistas da Sala Pró-Aluno do IAU em 2020:

1. Ailin Feng Chang
2. Isabella Sabrina Fernandes dos Santos
3. Thais de Miranda
4. Sabrina Dantas Lopes
5. Mayara Bandeira Macedo

Os candidatos abaixo listados ficarão em lista de suplentes para o caso de surgirem vagas neste período:

1. Vitoria Elise da Silva Machado
2. Sabrina Helena de Freitas
3. Tainara Gabriela de Oliveira Silva

INSCRIÇÃO PRORROGADA até 26/10 - Seleção de candidatos(as) ao curso de Mestrado e Doutorado para ingresso em 2021

 processo-pos-2021 web

_ A Coordenação do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo do Instituto de Arquitetura e Urbanismo da USP informa que foi publicado o Edital para seleção de candidatos(as) ao curso de Mestrado e Doutorado para ingresso em 2021.

As inscrições ocorrerão de 07/09 a 30/09/2020 (ATENÇÃO: A Coordenação do PPGAU IAU informa que o prazo de inscrição no Processo de Seleção para Ingresso no Curso de Mestrado e Doutorado foi prorrogado até 26/10/2020). Em breve será publicado o novo cronograma do processo.

Neste ano a prova escrita e as arguições ocorrerão a distância.

O edital está disponível no site do Programa: https://www.iau.usp.br/posgrad/index.php/pt-br/processo-seletivo/processo-seletivo-2021

Edital

Cartaz

Diretores do Campus USP São Carlos manifestam-se contra o Projeto de Lei 529

 manifestacao diretores web

_ Seguem os links para acesso ao vídeo.

Drive: https://drive.google.com/file/d/1Wzqa3gvcVXS6vCLgTrWIXtmiLkjc9RxM/view?usp=sharing
Youtube: https://www.youtube.com/watch?v=Fy2Fankaw_w

Aluno do IAU é premiado com o segundo lugar em concurso nacional

aluno-premiado concurso-plasma-unicamp web

_ O aluno do quarto ano do Curso de Arquitetura e Urbanismo do Instituto de Arquitetura e Urbanismo da USP, Ricardo Costa Pinto, foi premiado com o segundo lugar no concurso nacional organizado pelo grupo Plasma da Unicamp.

O concurso consiste na elaboração de um parklet para a área externa de um novo espaço que será construído pelo grupo. Esse espaço, o Espaço Plasma, é um espaço maker e de coworking que será aberto 24 horas por dia, 7 dias por semana, onde todos os membros da comunidade acadêmica poderão trabalhar juntos e compartilhar computadores, impressoras 3D e outros equipamentos de fabricação digital.

Equipe:

- Ricardo Santhiago (Arquitetura - IAU-USP)
- Gabriel Faria (Arquitetura - PUC-Camp)
- Laura Ré (Eng. Civil - Unicamp)

Posição: 2° lugar

concurso-plasma-unicamp 02 web

Memorial do Projeto: O Parklet Tudunutetu, assim como seu nome sugere, possui como grande partido a fixação de todas as suas estruturas essenciais na cobertura, a qual é estruturada por vigas de MLC. Dessa forma, cria-se grande permeabilidade visual aliada à ideia de leveza, passando a ilusão de que partes do projeto flutuam. A partir do conceito plástico, foi empregada a solução de tirantes metálico tubulares, os quais possuem como grande trunfo a possibilidade de se passar a instalação elétrica por estes, dessa forma, as fiações e iluminações passam despercebidas aos olhos do usuário. A paleta de cores basea-se em tons terrosos e acinzentados, com emprego de madeira exposta (tratada com stain) de forma a criar uma atmosfera agradável e aconchegante. A disposição de espaços e mobiliários é bastante flexível, permitindo diverosos usos que vão além da mera recreação e descanso ao estudo e trabalho, constituindo um ambiente diverso e adequado à vida universitária que fervilha ao seu redor.

imagens do projeto

10+35+50_Mesa redonda “Olhares sobre Economia Popular e Solidária – Política, Organização e Planejamento”

 mesa-redonda olhares-cruzados web

_ No dia 17 de setembro, às 18h (BRT), será realizada a mesa redonda "Olhares sobre Economia Popular e Solidária – Política, Organização e Planejamento".

O evento se propõe a estabelecer um diálogo entre as experiências brasileiras e argentinas relacionadas ao tema, explorando abordagens complementares e temas relacionados.

Link para o material de divulgação: https://www.facebook.com/events/2841446436075183/

Palestrantes:

- Johanna Maldovan Bonelli – Graduada em Sociologia e Doutora em Ciências Sociais pela Universidade de Buenos Aires (ARG). Pesquisadora do Conselho Nacional de Pesquisa Científica e Técnica do Centro de Inovação do Trabalhador (CITRA-CONICET/UMET). Professora da Universidade Nacional Arturo Jauretche (UNAJ) e Professora da Universidade de Buenos Aires (UBA).

- Cecilia Anigstein – Graduada em Sociologia pela Universidade de Buenos Aires, Mestre e Doutora em Ciências Sociais pela Universidade Nacional de General Sarmiento - UNGS. Pesquisadora e professora da Universidade Nacional de General Sarmiento. Trabalha com o movimento sindical argentino e latino-americano e alternativas para o desenvolvimento.

- Reynaldo Sorbille – Engenheiro de produção e mestre em economia, foi gestor de políticas públicas de fomento à Economia Solidária nos municípios de São Carlos e Araraquara (BR) e membro da Rede Nacional de Gestores de Políticas Públicas de Economia Solidária.

- Ari Moura – Presidente do Instituto Carlos Matus de Ciências e Técnicas de Governo (BR), Ari é consultor internacional com vasta experiência nos processos de governo e planejamento em ambientes complexos.

O evento será a aula inaugural da nova disciplina "Instrumentos de política e planejamento: um olhar integrado sobre programa e administração de projetos no campo da economia solidária", oferecida pelo Instituto de Arquitetura e Urbanismo de São Carlos (IAU-USP) em parceria com o Instituto Carlos Matus de Ciências e Técnicas de Governo (ICMatus).

O evento será transmitido ao vivo através do canal do IAU-USP no Youtube: youtube.com/iauusp

mesa-redonda olhares-cruzados cartaz web

10+35+50_Abertura de inscrições para o 28º SIICUSP, organizado pelo IAU

28 siicusp iau web

_ Convidamos os alunos de graduação a participarem do 28º SIICUSP – SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA USP, organizado pelo IAU. O período de inscrições é de 14/09 a 30/09.

O evento irá ocorrer de forma remota nos dias 18 e 25/11/2020, no período da tarde. Mais informações em www.iau.usp.br/siicusp , onde se encontram as instruções para elaboração do resumo.

28 siicusp iau

Eleições dos representantes docentes e respectivos suplentes - CG e CCex IAU USP

 eleicao

_ Apresentamos as portarias que regulamentam as eleições dos representantes docentes e respectivos suplentes para as Comissão de Graduação (CG) e Comissão de Cultura e Extensão Universitária (CCEx) do IAU.

As eleições serão realizadas, em uma única fase, das 9 horas do dia 22 de outubro de 2020 até às 17 horas do dia 23 de outubro de 2020, exclusivamente por meio de sistema eletrônico de votação e totalização de votos.

As inscrições serão registradas, mediante vinculação (titular e suplente), nos termos do artigo 221, item I, do Regimento Geral da USP, e deverão ser efetuadas por meio de requerimento dirigido ao Diretor do IAU e enviado à Assistência Técnica Acadêmica do IAU, através do e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo., no período de 15 a 16 de outubro de 2020, das 9 às 12 horas e das 14 às 17 horas.

Conforme o artigo 5º das portarias, cada eleitor votará em apenas uma chapa.

PortariaDirIAU_17_2020_Eleição_CG_IAU

PortariaDirIAU_18_2020_Eleição_CCEx_IAU

Requerimento de Inscrição 

Manifesto de Repudio ao Projeto de Lei 529/2020, aprovado pela Congregação do IAU

manifestacao repudio-pl529 web

_ A Congregação do Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo vem a público manifestar seu repúdio ao Projeto de Lei 529/2020 enviado pelo governador João Doria à Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, no dia 13 de agosto.

As medidas propostas pelo governo de São Paulo incitam a perguntar o que foi feito do elogio à ciência do governo paulista, utilizado como contraponto às posições do Governo Brasileiro no combate à pandemia da COVID-19? O que teria levado à transformação do elogio à ciência em vigoroso ataque à continuidade da pesquisa científica, o que teria conduzido o elogio permanente ao que se entende como ciência a ser utilizado como arma num jogo concorrencial de oposição política circunstancial entre o Governador João Dória e o Presidente J. M. Bolsonaro?

A verdade é que foi a dinâmica dessa concorrência que levou a esse elogio pontual "à ciência" sem que os processos e mecanismos que produzem o conhecimento fossem considerados ou respeitados. Elogiava-se de modo pontual e circunscrito a ciência dentro de uma dinâmica instrumental, restrita a um jogo de poder que opôs episodicamente uma posição política de procedimentos mais previsíveis dentro do jogo eleitoral e governamental à nova postura radicalmente autoritária, fortemente miliciarizada que tomou conta do poder central do país. Como indicam os processos em curso, tanto o projeto de Governo do Estado de São Paulo, com seu extenso programa de privatizações, quanto as propostas e medidas do Governo Federal, marcadas por um desrespeito flagrante aos resultados, instituições e procedimentos de pesquisa, obedecem a uma mesma racionalidade. Essa racionalidade atravessa as proposições que presidem o Projeto de Lei 529/2020, enviado em 13 de agosto à Assembleia Legislativa, que se debruça supostamente sobre o ajuste das contas do Estado, impactadas pela pandemia e por um projeto continuamente reposto de austeridade, também conhecido como austericídio.

Assim, o PL529 representa um ato político desastroso para o Estado de São Paulo que deixará de oferecer um conjunto de serviços imprescindíveis à sociedade em função da extinção das várias instituições. Sua eventual aprovação eliminará de uma só vez uma estrutura construída em quase um século e que garantiu proeminência social, cultural e operacional e capacitação técnica e administrativa à gestão pública paulista. Esse projeto, enviado à ALESP pelo Governador João Doria, que solicitou regime de urgência em sua votação, tem uma extensão incomum, já que extingue de uma só vez 10 empresas e fundações públicas (entre as quais CDHU, EMTU entre outras). Se o mesmo procedimento for adotado quando da extinção da Empresa Paulista de Planejamento Metropolitano S.A. – EMPLASA (em 2019), as áreas de atuação dessas empresas não conhecerão nenhuma continuidade ou substituição de atribuição por outros órgãos. Trata-se assim da proposta de extinção pura e simplesmente tanto das entidades como de seus serviços. O projeto se estende e ainda atinge em cheio as universidades estaduais paulistas – responsáveis dentro do quadro brasileiro de ciência e tecnologia, por parte substantiva da pesquisa e da produção de conhecimento no Estado de São Paulo e no país – além da Fundação de Amparo à Pesquisa (FAPESP) responsável direta pelo financiamento à pesquisa no âmbito de seu polo paulista. Esses cortes na forma de confisco do que seria incorretamente identificado como recursos não utilizados, ou "superávit financeiro", coincidem com os ajustes orçamentários que promoveram o encolhimento e sucateamento dos órgãos nacionais de fomento à pesquisa ( CAPES e CNPq).

A suposição de superávit financeiro diz respeito a reservas necessárias para a gestão da pesquisa e dos gastos com a educação que não obedecem, assim como a pandemia da COVID 19, ao calendário fiscal oficial. São recursos necessários inclusive para a continuidade de pesquisas estreitamente relacionadas ao controle e ao combate da crise sanitária que tem na atividade da comunidade universitária uma ancoragem e um desenvolvimento centrais.

Além de um ataque à produção do conhecimento científico, enaltecido anteriormente de modo instrumental e midiático, o Governo do Estado de São Paulo oferece aos funcionários públicos – reiteradamente culpabilizados pelo desequilíbrio fiscal, sistematicamente cassados como parte de um projeto de reordenamento político e econômico – um aumento das contribuições previdenciárias e um Plano de Demissão Incentivada.

Assim, se fosse possível acreditar no elogio à ciência, seria necessário deduzir que a proposição desconhece os procedimentos e esforços de pesquisa como práticas cotidianas de trabalho de comunidades científicas viabilizadas e congregadas pelas universidades e financiadas pela FAPESP. A par de um suposto desconhecimento, em si mesmo grave e significativo para o Governo de um Estado que é um centro da economia do país, ficou claro que um mesmo projeto de desmontagem e sucateamento perpassa as medidas propostas pelo governo federal assim como as proposições do Governo estadual, desfazendo as rixas que envolviam a aposta espetacularizada na ciência, na produção do conhecimento.

Uma mesma racionalidade econômica e política brutal atravessa as duas posições - a estadual e a federal: a proposição contínua e permanente não apenas de desmontagem e privatização, mas de reordenamento econômico e político sob a égide transversal da hegemonia dos capitais privados, sob a forma de transformação e aprisionamento do Estado, ele mesmo continuamente tomado pela dinâmica de uma gestão gerencial imersa na lógica concorrencial de mercado. Aplicada ao ensino superior, essa lógica se desenha de forma avessa à universidade pública, gratuita, inclusiva e de excelência ancorada na dinâmica conjunta de ensino, pesquisa e extensão. Mais uma vez os funcionários públicos, inclusive aqueles das empresas declaradas em extinção, assim como os professores dedicados ao ensino, pesquisa e extensão, bem como, os servidores técnico-administrativos têm pela frente uma luta pela preservação das entidades de pesquisa, das empresas públicas, das universidades estaduais, de preservação de um horizonte de defesa dos interesses públicos, ancorados na ideia e nas práticas do bem comum.

São Carlos, 02 de Setembro de 2020

texto para download

10+35+50_IAU.USP em Casa - Ciclo de Palestras (8) - Diálogos

 dialogos web

_ 09_setembro 17h00 - youtube.com/iauusp

Partindo-se do entendimento da Paisagem como "a materialização histórica da relação dinâmica entre os elementos e sistemas naturais e fabricados", é preciso relacionar seus atributos sociais, culturais, funcionais e ambientais, de forma sistêmica e transdisciplinar. Refletir sobre a pandemia e Paisagem, é também refletir sobre as desigualdades expressas no território, buscando articular políticas públicas e projetos potencialmente transformadores. Ana Cecília A. Campos (PUC-Campinas)

Por que planejar com a paisagem? Longe de ser algo novo, esse campo disciplinar relacionado à Arquitetura da Paisagem se funda ainda em finais do século XIX com essa expectativa: promover a infraestrutura para as cidades em crescimento, ao mesmo tempo em que tira partido dessa ação para promover lugares de preservação, encontro, lazer e saúde. A atualização desse ideário passa pela utilização de novas tecnologias e estratégias de pesquisa que incluem as pessoas e suas expectativas, desejos, apropriações. A paisagem se torna assim um lugar que aporta diferentes ações e reflexões, numa reunião fecunda que mira a vida unindo técnica, estética e ética. Luciana Bongiovanni Martins Schenk (IAU USP e ABAP):

O século XX testemunhou uma gama ambiciosa de projetos de planejamento para novas capitais ao redor do mundo. Embora esses projetos fossem motivados por condições políticas, econômicas e geográficas diferentes, muitos deles compartilhavam um entusiasmo pela paisagem como entendimento da urbe. As críticas, bem documentadas e geralmente aceitas do planejamento moderno, consideram muitos desses projetos como fracassos em termos sociais, ambientais e culturais. Muitas dessas capitais planejadas são hoje paisagens metropolitanas, projetos em reconfiguração, construídas a partir das memórias de migrantes, das parcelas mais desfavorecidas da população que flanam nos grandes espaços de representação ou às suas margens, para além das áreas projetadas originalmente.

O urbanismo modernista, ao desenhar e planejar novos assentamentos a partir do esboço, definiu a paisagem como um meio de resolver problemas sanitários, novos meios de transporte e formas de moradia. Em tempos de pandemia global, as questões higienistas do ideário moderno que estavam localizadas como parte da historiografia, ressurgem como problemática emergente. Em uma investigação interdisciplinar sobre as reivindicações históricas de planejamento, o status atual e a sua apropriação social, foca-se no estudo de Brasília, construída em 1960, tombada em 1987 pela UNESCO e metrópole em expansão com quase 4.000.000 de habitantes. Luciana Sabóia (UnB)

Ana Cecília A. Campos (PUC-Campinas) - Docente da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da PUC Campinas e pesquisadora do LAB-QUAPÁ da FAUUSP. Integra a Rede Nacional de Pesquisa QUAPÁ-SEL, tendo participado dos Projetos Temáticos de Pesquisa sobre Sistemas de Espaços Livres e Urbanização contemporânea no Brasil (2007-2018). Com escritório próprio, atua em projetos de edificações, paisagismo e gerenciamento de obras.

Textos da Convidada:

MACEDO, S. S. ; GONÇALVES, F. M. ; CAMPOS, A. C. M. A. ; MEYER, j. ; QUEIROGA, E. F. ; CUSTÓDIO, V. ; SAKATA, Francine ; DEGREAS, H. N. ; LEMOS, I. S. ; COELHO, L. L. ; HYRIE, M. ; PEGORARO, R. L. ; REGUEIRA, T. ; TÂNGARI, V. R. ; DONOSO, V. . Os sistemas de espaços livres na constituição da forma urbana brasileira: transformações e permanências - século XXI. In: 8ª Conferência da Rede Lusófona de Morfologia Urbana. PNUM 2019 - Forma Urbana e Natureza, 2019, Maringá, PR. PNUM 2019 Anais. Maringá, PR: UEM/UEL de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo, 2019. v. 1. p. 1635-1645. Em: https://pnum2019.wixsite.com/maringa ou https://drive.google.com/file/d/1EOn_hl8MYyS7Cw7XI8quuBpI8RRL4TOi/view

DEGREAS, H. N. ; CAMPOS, A. C. M. A. . As ruas de lazer na cidade de São Paulo: políticas públicas e apropriação. In: PNUM 2018. A Produção do Território: Formas Processos, Desígnios, 2018, Porto, Portugal. PNUM 2018. A Produção do Território: Formas Processos, Desígnios. Livro de Actas. Porto: Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto, 2018. v. 2. p. 702-714.

Acesso em: https://pnum.arq.up.pt/wp-content/uploads/docs/PNUM2018_ACTAS_v3.13.pdf

Luciana Sabóia (UnB) - Arquiteta e urbanista (1997), estuda relações sobre paisagem, cultura e apropriação social em cidades planejadas do século XX. Professora da Universidade de Brasília (2010), doutora em Teoria e História da Arquitetura e do Urbanismo pela Universidade Católica de Louvain, na Bélgica (2009). Recebeu menções em concursos (IAB-DF, 2015; IAB-SP, 2016) e também como orientadora (Ópera Prima, 2013; NAB/IAB-DF, 2015). É pesquisadora PQ2 do CNPq e pesquisadora visitante no Office for Urbanization na Harvard Graduate School of Design, em Cambridge, EUA (2017). Foi vice-diretora (2015- 2019) e desde 2019 está como coordenadora do Programa de Pós-graduação da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo – UnB.

Textos da convidada:

SABOIA, L. Narrar por Paisagens: habitar imaginários, reconhecer memórias, representar tessituras. In: Paola Berenstein Jacques; Margareth da Silva Pereira. Josianne Cerasoli (Org.). Nebulosas do pensamento urbanístico: tomo III - modos de narrar. 1ed.Salvador: EDUFBA (prelo)

SABOIA, L.. Arquitetura, Vazio Moderno e Espaço Social. PARANOÁ (UNB), v. 16, p. 51-62, 2016

https://periodicos.unb.br/index.php/paranoa/article/view/11594

Luciana Bongiovanni Martins Schenk (IAU USP e ABAP):

Graduada em Arquitetura e Urbanismo pela FAU USP e em Filosofia pela FFLCH USP é docente da Graduação e Pós Graduação, IAU - USP. É presidente nacional da ABAP, Associação Brasileira de Arquitetos Paisagistas, gestão 2018- 2020. Mestre e Doutora pela USP é lider conjunta do Grupo de Pesquisa YBY - Estudos Fundiários, Políticas Urbanas, Produção do Espaço e da Paisagem. É uma das coordenadoras do GTPU, Grupo de Trabalho de Planejamento dos Parques Urbanos de São Carlos, SP e coordenadora do núcleo São Carlos da rede QUAPÁ-SEL, Quadro do Paisagismo no Brasil.

Textos da professora coordenadora:

SCHENK, L., & LIMA, M. C. (2019). O Método Cartográfico no projeto da Arquitetura da Paisagem. Risco Revista De Pesquisa Em Arquitetura E Urbanismo (Online), 17(2), 26-40. https://doi.org/10.11606/issn.1984-4506.v17i2p26-40 http://www.revistas.usp.br/risco/article/view/151355/156162

008 IAUUSPEMCASA 09-09 web

Sobre a Abertura das Comemorações 10+35+50 e o Colóquio Jorge O. Caron

coloquio-caron site-iau web

_ O Colóquio Jorge Caron, ocorrido em 25 e 26 de agosto de 2020, abriu as comemorações do biênio celebrando os 10 anos do Instituto de Arquitetura e Urbanismo, 35 anos do seu curso de graduação e 50 anos do seu programa de pós-graduação. Realizado de modo remoto, reuniu ex-colegas, ex-alunas e ex-alunos, docentes e alunas e alunos atuais do IAU. O evento permitiu, mesmo em tempos de distanciamento social, revigorar laços de proximidade, afinidade e identidades, ao mesmo tempo que refletir sobre a trajetória profissional - ou parte dela, pelo menos - de Jorge Caron, reunindo depoimentos relevantes e quase sempre marcados pelo afeto e carinho dos que com ele conviveram.

Na mesa de abertura das celebrações, o Diretor do IAU, Prof. Joubert Lancha, mencionou as comemorações e os eventos, palestras, debates e exposições a serem realizados, iniciando com o Colóquio sobre Caron, e também lembrou do "Projeto Memória do IAU", ora em elaboração, que vem registrando depoimentos e levantando documentos da história dos cursos de pós-graduação e graduação em arquitetura e urbanismo do IAU.

Jorge Caron foi um profissional polivalente - arquiteto, educador, cenógrafo, designer, cineasta, artista plástico -, cujo legado amplo e diverso foi revisitado, contextualizado e debatido ao longo do Colóquio. Em sua fala na mesa de abertura, o Vice-Diretor do IAU, Prof. Miguel Buzzar relembrou a atuação política de Caron junto ao Sindicato dos Arquitetos de São Paulo, em meados dos anos 1970, enquanto o Reitor, Prof. Vahan Agopyan, destacou seu perfil interdisciplinar tão almejado para o profissional deste século.

O Colóquio foi uma excelente oportunidade para homenagear o docente que dedicou parte importante de sua trajetória profissional ao ensino de arquitetura, com as comemorações sendo abertas no auditório cujo interior ele redesenhou e que hoje tem seu nome. O Prof. Carlos Roberto Monteiro de Andrade, do IAU-USP – idealizador e organizador do Colóquio, juntamente com a Profa. Amanda Saba Ruggiero, também do IAU –, fez a abertura do Colóquio, retomando a importância do arquiteto, educador e humanista que foi Caron, assim como seu espírito "beatnik", ao lado da viúva de Caron, arquiteta e designer Suely Russo Paes de Barros, que lembrou com carinho do ex-companheiro.

A Profa. Amanda Saba Ruggiero, em sua palestra de abertura, apresentou um panorama da obra e do legado profissional de Jorge Caron, em uma perspectiva histórica, apontando os diversos temas, aspectos e relações, alguns dos quais seriam abordados ao longo do Colóquio. O debate sobre o Desenho no Ensino de Arquitetura teve na fala dos arquitetos e professores Paulo Castral, do IAU e Paulo Von Poser, da escola da Cidade e também artista-plástico, um rico diálogo acompanhado pela análise de desenhos de figurinos, cenários e móveis de Caron.

Na quarta-feira, 26 de agosto, pela manhã, a Profa. da FAU-USP, Mônica Junqueira de Camargo, recuperou o contexto da formação de Jorge Caron, desde o espaço do edifício da FAU-USP na Rua Maranhão, com seu ateliê integrado, passando pela cultura arquitetônica paulistana dos anos 1960, com marcada presença de Carlos Millan, dentre outros. Destacou ainda o envolvimento de Caron na criação de novos cursos de arquitetura, em que a cidade constitui seu principal laboratório de ensino. Já o Prof. Luis Espallargas Gimenez, do IAU-USP, abordando o tema da torre, fez um histórico desse elemento arquitetônico, indo da Torre de Babel às atuais torres de telecomunicações, passando por Eiffel, Mies, Tátlin, BBPR, Lucio Costa, em um quadro bastante rico do tipo, para se debruçar com maior atenção sobre o projeto da Torre da TV Cultura na Cidade de São Paulo, projetada por Caron, e que é um importante marco na paisagem da capital paulista.

croquis caron web

Torre da Tv Cultura na capital de São Paulo. Croquis de Jorge O. Caron.

Ainda nessa manhã de quarta, o arquiteto José Carlos Serroni, responsável por vários projetos cenográficos e professor da "SP - Escola de Teatro", enfatizou o experimentalismo de Caron com seus figurinos e cenários, e seu caráter múltiplo como artista e como cenógrafo, chamando a atenção para seus desenhos nesse campo, sintéticos e precisos. Prof. Paulo Roberto Masseran, da FAAC-UNESP, retomou a tese de doutorado de Jorge Caron, "Território do Espelho - a arquitetura e o espetáculo teatral", defendida junto à FAU-USP em 1994. Dela Masseran retomou a observação de Caron, de que quando o teatro começa, a arquitetura desaparece, a par os campos expressivos distintos da arquitetura e do teatro.

A tarde do dia 26 foi iniciada com os depoimentos dos professores João Marcos de Almeida Lopes e Eulalia Portela Negrelos, recuperando a memória do curso de Arquitetura e Urbanismo da Faculdade de Belas Artes, em São Paulo, experiência concebida e implementada por Caron. O Prof. João Marcos destacou o papel das atividades de extensão que o curso manteve até seu fechamento autoritário e brusco pela própria mantenedora, em 1986, interrompendo uma experiência pedagógica renovadora e que teve ressonâncias importantes no ensino de arquitetura e urbanismo em São Paulo. Tendo trabalhado junto ao Laboratório de Habitação - assim como Eulalia, então como aluna -, João Marcos ressaltou algumas realizações desse laboratório, que levou alunos e professores para as periferias urbanas, e não apenas como observadores, e cujas atividades formaram uma geração de assessores técnicos de movimentos populares por habitação. A Profa. Eulalia, em um depoimento saudoso e emotivo, recordou a estrutura das disciplinas do curso e seus docentes, parte dos quais bem jovens, mas também muitos com larga experiência profissional, que alcançaram uma sintonia pedagógica rara, que se fazia no espaço do edifício projetado por Ramos de Azevedo e Domiziano Rossi para sediar o Liceu de artes e Ofícios, e também em seus arredores em plena Luz.

Na última mesa do Colóquio, os professores Azael Rangel Camargo, um dos criadores do curso de arquitetura do IAU, já aposentado, e também Manoel Rodrigues Alves, também do IAU, trouxeram seus depoimentos pessoais assinalando as contribuições que Caron deu para o curso de arquitetura e urbanismo ao qual ele se vinculou a partir de 1987 até seu falecimento em 2000. Caron aí atuou de modo intenso, repropondo a ideia do ateliê integrado, colaborando com projetos de arquitetura para o campus de São Carlos, como o do Portal da Área 1, junto à marginal do Tijuco Preto, formulando a proposta de um novo curso, de Design – infelizmente não implementado –, concebendo a disciplina de Paisagismo como campo disciplinar específico da arquitetura. Em sua fala o Prof Azael também historiou a criação do curso de arquitetura e urbanismo em 1985, então junto à EESC, e o ingresso de Caron como docente especial devido sua experiência profissional consagrada. O Prof. Manoel, ao encerrar seu depoimento, relembrou os últimos dias de seu colega e também amigo, emocionando a muitas e muitos, com vivas lembranças.

Com o Colóquio Jorge O. Caron espera-se não apenas ter contribuído para a divulgação de sua obra, trazendo depoimentos e reflexões sobre a mesma, suscitando novos estudos a respeito, mas também termos homenageado um colega cuja trajetória profissional foi exemplar e profundamente criativa, engajada politicamente e com explícito compromisso social, em uma perspectiva crítica, humanista e transformadora.

Amanda Saba Ruggiero
Carlos Roberto M. de Andrade

foto torre caron

Torre da Tv Cultura na capital de São Paulo. Projeto de Jorge O. Caron. Foto: Fernando Atique.

10+35+50_Feira USP e as Profissões - Edição Digital

logo-feira-digital web

_ USP e AS PROFISSÕES dias 03 e 04 de setembro.

Site Feira das Profissôes:
https://uspprofissoes.usp.br/profissoes/arquitetura-e-urbanismo-sao-carlos/
https://uspprofissoes.usp.br/

A USP, O IAU, O ARQUITETO URBANISTA

A UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO (USP) é uma das mais importantes e conceituadas universidades públicas do Brasil e da América Latina. Reconhecida nacional e internacionalmente pela sua produção tecnológica e científica, a USP está entre as 150 melhores instituições de ensino e pesquisa do mundo, com uma história de mais de oitenta anos marcada pela busca constante de excelência.

Como parte dessa comunidade, o INSTITUTO DE ARQUITETURA E URBANISMO (IAU), destaca-se pelo alto nível acadêmico em ensino, pesquisa e extensão nos níveis de graduação e pós graduação. Na graduação em Arquitetura e Urbanismo, o IAU tem como objetivo formar arquitetos e urbanistas qualificados, comprometidos com as demandas estruturais da sociedade, dotados de uma perspectiva crítica e participativa frente aos problemas que a realidade impõe.

Para isso, o IAU proporciona o aprendizado de uma diversidade de saberes teórico-práticos, que permite o exercício da profissão de arquiteto e urbanista em diversos campos de atuaçãocomo na concepção de edificações e conjuntos arquitetônicos, na elaboração de propostas de desenhos urbanos e paisagísticos, na coordenação, planejamento, direção e execução de obras, além de estudos ambientais e territoriais. Além disso, a formação no IAU partilha de uma visão de futuro imbuída de grande responsabilidade social, econômica e ambiental, favorecendo o exercício profissional àqueles interessados em conhecer e explorar os modos de produção, ocupação e uso do espaço construído, em suas dimensões estéticas e técnicas, bem como os aspectos históricos, sociais e culturais envolvidos em sua realização.

Como ingressar no curso?

A graduação em Arquitetura e Urbanismo do IAU oferece 45 vagas, para um curso em período integral, com cinco anos de duração. O ingresso é feito anualmente por meio de vestibular realizado pela FUVEST. A partir de 2017, buscando ampliar a diversidade dos alunos ingressos no curso, o IAU aderiu ao SISU, com parte das vagas reservadas a alunos que fizerem o ENEM.

O Curso do IAU

Em um ambiente aberto à reflexão e à participação, o IAU valoriza a busca constante pelo conhecimento, a formação de profissionais com uma visão crítica e participativa, atento ao lugar a ser ocupado pelo arquiteto urbanista nas transformações do mundo contemporâneo. O conteúdo curricular abrange um amplo leque de áreas de conhecimento: artes, teoria e história da arquitetura e urbanismo, tecnologia, dimensões ambientais e a elaboração de projetos arquitetônicos e urbanísticos. Ao longo do curso, a investigação teórico-crítica associa-se à experimentação plástica e espacial, combinadas a atividades em laboratórios, viagens didáticas, palestras, além de pesquisa e estágio.

Permanência Estudantil

A USP mantém programas de apoio e permanência estudantil para alunos com comprovada demanda sócio-econômica, disponibilizando alojamento e alimentação nos diversos campi universitários. Além disso, atividades de monitoria, iniciação científica e pesquisa oferecem bolsas para alunos de baixa renda e com bom desempenho acadêmico.

Intercâmbio Acadêmico

O IAU atribui uma grande importância as atividades extracurriculares. Todos os anos são realizadas viagens didáticas para várias cidades brasileiras, colocando os alunos em contato direto com temas, questões e objetos trabalhados ao longo do curso. Além disso, mantém uma sólida política de internacionalização, com dezenas de convênios com instituições de ensino fora do Brasil viabilizando a mobilidade discente por universidades na América Latina, Europa e EUA. Ao mesmo tempo, o IAU promove o intercâmbio com professores e pesquisadores convidados através de palestras que aproximam a formação acadêmica da reflexão e da prática contemporâneas.

Infra-estrutura do Instituto

O IAU dispõe de espaços qualificados que ampliam as possibilidades de formação e aprendizagem do futuro arquiteto urbanista. São salas de aula, ateliês, laboratórios, biblioteca adequados a reflexão teórica e experimentação prática, como os laboratórios de fabricação digital com impressoras 3D, cortadora a laser, fresadora digital, laboratórios de informática e de áudio e vídeo, laboratório de modelos e maquetes, etc.

Contato

IAU - Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo
Endereço: Avenida Trabalhador São-Carlense, 400 - Centro
13566-590 - São Carlos - SP – Brasil

Links de interesse

SITE FEIRA DAS PROFISSÕES:
https://uspprofissoes.usp.br/profissoes/arquitetura-e-urbanismo-sao-carlos/

SITE IAU: https://www.iau.usp.br
YOU TUBE: https://www.youtube.com/user/iauusp
FACEBOOK: https://www.facebook.com/iau.usp
INSTAGRAM: https://www.instagram.com/iauusp/?hl=pt-br

 

Web series: Núcleo de Direitos Humanos USP São Carlos

webseries web

_ Quarta-feira, dia 02 de setembro, 17:00 hs - Os limites da liberdade de expressão: censura e responsabilidade de fala no ambiente acadêmico, com Roberto Montanari Custódio, Especialista em Direito e Processo Civil pela Escola Superior da OAB.

Link de acesso ao webinar:

https://meet.google.com/iqe-jjjr-vwz

Relatos Profissionais – Depoimentos e Trajetórias

memoria-iau relatos web 

_ No âmbito do biênio comemorativo dos 10+35+50 e do Projeto Memória, o IAU está organizando cinco mesas de depoimentos com ex-alunos(as) - de 1985 a 2019 - com a finalidade de registrar a visão do profissional formado pelo IAU USP e sua inserção nos mais diversos meios profissionais.

. 23/09/2020 (17:00h) - Mesa das Trajetórias com ex-alunos 01 - IAU na Fundação do curso
. 07/10/2020 (17:00h) – Mesa das Trajetórias com ex-alunos 02 - IAU no Escritório
. 21/10/2020 (17:00h) - Mesa das Trajetórias com ex-alunos 03 - IAU na Gestão Pública
. 10/11/2020 (17:00h) - Mesa das Trajetórias com ex-alunos 04 - IAU nas Interfaces
. 02/12/2020 (17:00h) - Mesa das Trajetórias com ex-alunos 05 - IAU no Ensino

Link do evento - https://www.iau.usp.br/transmissao

 

memoria-iau relatos banner

Resultado do Edital 003/2020

 pesquisa

_ De acordo com o Edital 003/2020 – Apoio Financeiro para Inscrição em Congressos Científicos Nacionais ou Internacionais, a proposta contemplada com auxílio financeiro foi:

Beatriz Kopperschmidt de Oliveira: Aluna de Graduação
Título do artigo a ser apresentado: Walter Benjamin e German Lorca: Fotografia e Percepção da Paisagem Nome do supervisor ou orientador: Prof. Dr. Paulo César Castral
Título do evento científico: XII SIIU – Seminário Internacional de Investigação em Urbanismo

Homologação das inscrições do Edital CPq/IAU 003/2020

 pesquisa

_ De acordo com o Edital 003/2020 - Programa de Apoio Financeiro para Inscrição em Congressos Científicos Nacionais ou Internacionais da Comissão de Pesquisa do Instituto de Arquitetura e Urbanismo, informo abaixo, a inscrição homologada:

Beatriz Kopperschmidt de Oliveira: Aluna de Graduação
Título do artigo a ser apresentado: Walter Benjamin e German Lorca: Fotografia e Percepção da Paisagem Nome do supervisor ou orientador: Prof. Dr. Paulo César Castral
Título do evento científico: XII SIIU – Seminário Internacional de Investigação em Urbanismo

Comunicado CPq/IAU 002/2020

Comunico que as inscrições dos alunos de graduação Laura Hiilesmaa e Leonardo Chieppe Carvalho, ambos orientandos da Professora Simone H. T. Vizioli, com o artigo "Comparative study of the photogrammetry process in different hardware", foram indeferidas, de acordo Edital 003/20 - Das disposições Gerais - 1.5 "O artigo deve ter sido aceito para apresentação no congresso e se referir a pesquisa desenvolvida ou em desenvolvimento sob orientação de docente ou pós doutorando do IAU, no caso de alunos de graduação, ou sob supervisão de docente do IAU, no caso de pós-doutorandos" e Da Inscrição - 2.2.3 "Documento que comprove o aceite do artigo para apresentação no congresso"

Posse oficial da Diretoria do IAU (2020-2024)

posse 02 web

_ No dia 25 de agosto de 2020 a nova Diretoria do IAU USP foi empossada oficialmente. A cerimônia contou com a presença do Magnífico Reitor da Universidade de São Paulo Prof. Vahan Agopyan; do excelentíssimo Vice-Reitor prof. Antônio Carlos Hernandes e do Senhor Secretário Geral prof. Pedro Vitoriano de Oliveira; do vice Diretor do IAU Prof. Miguel Buzzar e da Sra. Silvia Pereira Bonassa cerimonialista da reitoria.

Realizada no Auditório Paulo de Camargo do IAU, foi transmitida ao vivo pelo canal do IAU no Youtube.

Reportamos aqui o texto do discurso de posse proferido pelo prof. Joubert Lancha.

A Diretoria do IAU agradece a participação de todos os funcionários técnico-administrativos envolvidos na produção desse evento.

Abaixo, algumas das imagens da cerimônia:

posse-diretoria-iau-20-20 web

fotos-03-a-08 web

  

Processo Seletivo IAU - Atac 07/2020 - RESULTADO

processo-seletivo-docente

_ O Instituto de Arquitetura e Urbanismo (IAU) da USP, em São Carlos, está com inscrições abertas para processo seletivo para contratação de um docente temporário para a área de Projeto de Arquitetura e Urbanismo. O professor selecionado, que deve possuir o título de doutor, terá jornada de 12 horas semanais e salário de R$ 1.918,72. O período de inscrições é de 25 de agosto a 23 de outubro de 2020.

A contratação será por prazo determinado e vigorará a partir da data do exercício até 31 de dezembro de 2020, com possibilidade de prorrogações, desde que a soma dos períodos não ultrapasse dois anos.

As inscrições serão recebidas exclusivamente pela internet até às 23:59 hs do dia 23 de outubro por meio deste link: https://uspdigital.usp.br/gr/admissao.

Para participar, os interessados devem ainda apresentar requerimento dirigido ao diretor do IAU contendo dados pessoais. Todos os detalhes sobre prazos, provas e demais documentações necessárias podem ser consultados no edital do processo seletivo.

EDITAL IAU-ATAC 07_2020_DOE

Processo Seletivo - Professor Contratado Nível III - dia 1
https://youtu.be/uQmlqU2uRVU

Processo Seletivo - Professor Contratado Nível III - dia 2
https://youtu.be/FZfwT_ERKFU

Processo Seletivo - Professor Contratado Nível III - dia 3
https://youtu.be/XNjsCqSoFB8

Resultado Final/Classificação do processo seletivo para a seleção de 1 (um) docente por prazo determinado como Professor Contratado, Nível III - Edital IAU ATAc 07/2020:

Candidato (a) Classificação
Mariana F P Rial
Camila Moreno de Camargo
Maisa Fonseca de Almeida
Mayra Simone dos Santos
Maristela da Silva Janjulio
Catharina Christina Teixeira
Priscila Maria Penalva Partel

Cancelamento do Edital de Processo Seletivo IAU Atac 02/2020

processo-seletivo-docente

_ Em atendimento à Resolução USP 8002/2020, que define procedimentos para a realização de provas de processos seletivos e a necessidade de adoção de medidas adicionais, de caráter temporário e emergencial, de prevenção de contágio pela COVID-19 (Novo Coronavírus Sars-CoV-2), a Congregação do IAU, na sua 106a, reunião, aprovou o cancelamento do Edital IAU ATAc 02/2020, relativo ao Processo Seletivo para contratação de Professor Temporário.

10+35+50_Abertura das Comemorações 10+35+50. Colóquio Jorge Caron ( 25 e 26/8)

 coloquio-caron site-iau web

_ No Biênio 2020/2021 comemora-se os 10 anos da criação do IAU USP, os 35 anos do Curso de Arquitetura e Urbanismo da USP em São Carlos e os 50 anos do Programa de Pós Graduação em Arquitetura e Urbanismo, também, na USP em São Carlos. Abrindo as comemorações o IAU promove o Colóquio Jorge Caron nos dias 25 e 26 de agosto.

ver programação completa

link do evento - https://www.iau.usp.br/transmissao

O Colóquio sobre a atuação profissional do arquiteto, artista e professor Jorge Caron tem como objetivo rever e discutir suas ideias e realizações em campos diversos, da arquitetura cenográfica ao ensino de arquitetura e urbanismo, passando por sua produção arquitetônica stricto sensu, da qual destaca-se a torre da TV Cultura em São Paulo, marco na paisagem urbana paulistana, mas também o Monumento aos Mortos na 2ª Guerra Mundial, na mesma cidade.

caron-banner 001

foto do cartaz: Paulo Ceneviva.

Jorge O. Caron nasceu em Caseros na Argentina, viveu na cidade de São Paulo e em São Carlos. Ingressou como aluno na FAU-USP em 1958 e formou-se em 1965. Profissional versátil, atuou no teatro, cinema, arquitetura, design e ensino. Integrante de um ambiente político cultural ativo, também participou de organizações de classe profissional. A homenagem por meio do Colóquio Jorge Caron visa resgatar o perfil de um arquiteto engajado social e politicamente, comprometido com uma visão transformadora e coletiva, impregnada de utopia e alinhada a uma perspectiva humanista. Intelectual combativo e acadêmico crítico, sua produção textual diversificada apresenta análises aguçadas, às vezes irônica e quase sempre propositiva. Elaborou planos diretores de cidades e campus universitário, projetos residenciais, de edifícios empresariais, de teatros, escolas, igrejas, mobiliários, figurinos, bem como projetos de cenografia e cenotécnicos. Problematizou o espaço teatral em dimensões históricas e espaciais em sua tese de doutorado defendida na FAU-USP em 1996. Como docente orientou trabalhos de graduação, iniciação científica e mestrado. Trabalhou junto aos arquitetos Luís Saia, Abelardo de Souza, Vilanova Artigas, Paulo Mendes da Rocha, Maurício Tuck Schneider, em projetos como o Plano Diretor de Goiânia, o projeto do Conjunto Zezinho Magalhães Prado, em Guarulhos-SP (1968), o Pavilhão Oficial do Brasil para a Expo 70 em Osaka. Na década de 1970 coordenou o plano diretor do campus da UNESP em Botucatu (SP) tendo projetado edifícios de laboratórios, salas de aula e biblioteca, e um conjunto de residências na cidade. Em São Paulo, fez os projetos da sede empresarial da Enterpa e do estúdio de gravação Frame Cinevídeo. No cruzamento das Avenidas Dr. Arnaldo e Sumaré, desenhou a elegante Torre de Transmissão da TV Cultura. Enquanto professor elaborou cursos de cenografia, arquitetura e design (Universidade Federal do Pará, UFPA-1967, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo de Santos, FAUS-1976/79, Universidade de Franca, UNIFRAN-1980/81). Formulou uma proposta inovadora de ensino de arquitetura e urbanismo junto à Fundação Escola Belas Artes de São Paulo (FEBASP,1974-84), que buscava aproximar os alunos da realidade, despertando-os para práticas sociais, por meio de ricas experiências de extensão universitária. Em 1988, tornou-se professor da EESC-USP, em São Carlos, junto ao antigo Departamento de Arquitetura e Urbanismo, hoje IAU, onde foi coordenador do curso (1989-90) e permaneceu até o final de sua vida, dedicando-se integralmente ao ensino de arquitetura e urbanismo, e atividades de pesquisa e extensão universitária. Dentre os projetos desenvolvidos na USP por Jorge Caron, ressaltamos o interior do auditório da EESC, com capacidade para 250 pessoas, reformulado internamente, em sua homenagem nomeado Anfiteatro de Convenções Jorge Caron. Percorrer a trajetória de Jorge Caron, resgatando sua produção intelectual, artística e arquitetônica, contextualizando-a em uma geração de arquitetos paulistas de orientação multidisciplinar e politicamente engajada, também procura valorizar a memória coletiva do próprio curso de arquitetura e urbanismo do IAU, alimentando debates e proposições em torno do ensino da arquitetura e do urbanismo para uma cidade democrática.

foto caron pb
 Jorge O. Caron (1936-2000). Acervo IAU-USP. Autor da foto: Wanderley Bailoni

10+35+50_Posse Oficial da Nova Diretoria do IAU

 convite posse web

_ Convidamos toda comunidade para a posse da Nova Diretoria do IAU no dia 25/08, às 10h:30, através do link: iau.usp.br/transmissao

convite dir web

Edital de apoio finaceiro - Congressos Científicos Nacionais e Internacionais

pesquisa

A Comissão de Pesquisa do Instituto de Arquitetura e Urbanismo (CPQ-IAU) da Universidade de São Paulo (USP), Campus de São Carlos, torna pública a abertura de inscrições para o processo de seleção de propostas para concessão de auxílio financeiro para inscrição em congressos científicos nacionais ou internacionais para pós-doutorandos e alunos de graduação orientados por professores do IAU. As inscrições das propostas para o Processo de Seleção ocorrerão no período de 11/08/2020 a 21/08/2020.

Edital 003-20

Ficha de Inscrição

Homologação do Edital CPq/IAU 002/2020

 pesquisa

_ De acordo com o Edital 002/2020 - Apoio Financeiro para Tradução de Artigos Científicos da Comissão de Pesquisa do Instituto de Arquitetura e Urbanismo, informamos abaixo, as inscrições homologadas:

- Prof. Dr. Paulo César Castral, Ana Laura Assumpção e Gabriel Braulio Botasso com o artigo "Fenômeno, percepção e arquitetura: experiências por meio do desenho a mão livre".
- Prof. Dr. Marcio Minto Fabrício, prof. Ricardo Codinhoto (Universidade de Bath - Reino Unido) e Leticia Mattaraia com o artigo "Estrutura para classificação de desmontagem aplicadas em modelos BIM.

Comunicado

Informamos, que a inscrição do artigo "Proposta de framework para implementação de BIM em empresa construtoras e incorporadoras" do aluno Tito Ceci de Sena em coautoria com o prof. Márcio Minto Fabricio, foi indeferida por esta Comissão, tendo em vista que de acordo com o Edital 002/20 - Das disposições Gerais - 1.3- Será aceita para inscrição apenas 01 (uma) proposta por docente, a qual deve se referir a apenas 01 (um) artigo individual ou em coautoria.

10+35+50_IAU.USP.EMCASA - Homenagem a Professora Sarah Feldman

iau-usp-em-casa sarah-feldman web

_ Esta edição do IAU EM CASA acontece juntamente com a programação da semana da pós graduação do PPGAU IAU USP e homenageia a Profa. Assoc. Sarah Feldman. A sessão será acompanhada pelo Prof. Dr. Jeferson Cristiano Tavares, cujo doutorado foi orientado pela professora e será mediada pelo presidente da Comissão de Pós Graduação, Prof. Dr. Tomás Moreira.

iau-usp-em-casa sarah-feldman

VI SEMANAU _ abertura será dia 17.08.2020

 VI-SEMANAU-banner web

_ VI SEMANAU - SOBREVIVER E PROJETAR FRENTE AO COLAPSO AMBIENTAL E URBANO

A comissão da semana acadêmica convida a todos a participar da VI SEMANAU. Neste ano, devido às condições provocadas pela pandemia, a SEMANAU terá um formato diferente. Primeiramente, todas as atividades ocorrerão de forma remota, via lives no youtube. Em nossas redes sociais, serão divulgadas mesas e palestras com a temática SOBREVIVER E PROJETAR FRENTE AO COLAPSO AMBIENTAL E URBANO. Segundo, a semana ocorrerá durante um mês, com atividades distribuídas ao longo das semanas.

Apesar de não ser o melhor formato, vimos na possibilidade dos meios remotos a saída para não deixarmos de discutir esse assunto tão em pauta por meio da nossa querida semana. Além disso aproveitamos a oportunidade para espraiar as atividades para além da comunidade do IAU e da Universidade. Todas as mesas e palestras serão gravadas e disponibilizadas no canal da SEMANAU no youtube, e nossa data de abertura será dia 17/08.

Em breve anunciaremos mais detalhes em nossa página no Facebook e Instagram!

Segue o link com o texto da temática:
https://docs.google.com/document/d/1i8qixOWZAH2qcr_J9VRk9Vv0MWUQkwRqbh8u5UDp164/edit?usp=sharing

Divulgamos abaixo todos os convidados já confirmados para VI SEMANAU e queremos ressaltar também que todas as mesas terão início às 18hs. Esperamos que, com horários fixos, todos possam se programar de forma mais tranquila. Lembrem-se que a SEMANAU ocorrerá de forma online, e é um evento aberto totalmente gratuito, então compartilhem com todos que tiverem interesse em somar com essa discussão tão importante e tão atual.

semanau mesas-e-convidados web

Comissão organizadora da VI SEMANAU.

Edital de apoio financeiro para tradução de artigos científicos da comissão de pesquisa do IAU

 edital-pub

_ A Comissão de Pesquisa do Instituto de Arquitetura e Urbanismo (CPQ-IAU) da Universidade de São Paulo (USP), campus de São Carlos, torna pública a abertura de inscrições para o processo de seleção de propostas para concessão de auxílio financeiro para tradução de artigos científicos para docentes do IAU. As inscrições das propostas para o Processo de Seleção ocorrerão no período de 03 a 12 de agosto de 2020.

Edital

Ficha de inscrição