Menu fechado

O processo de autoavaliação do Programa se faz presente há pelos menos 11 anos e se fortalece com a institucionalização do Processo de Autoavaliação, designado como ‘Compromisso Coletivo do Programa de Pós-Graduação’ e com a formação de uma ampla ‘Comissão de Autoavaliação’.

Neste momento foram definidas as cinco etapas de trabalho do projeto de autoavaliação: (1) preparação / reformulação dos processos (instaurando o ‘Compromisso Coletivo da Pós-Graduação’ e a implementação de uma comissão mais ampla de autoavaliação), (2) implementação, (3) divulgação, (4) análise autocrítica e (5) balanço de resultados.

A primeira etapa foi definida e instaurada, em 2017, por meio do processo do ‘Compromisso Coletivo da Pós-Graduação’, conjuntamente com a comissão de autoavaliação, organizada pela Comissão de Pós-Graduação e institucionalizada, em 2019. A comissão é composta por nove membros: um da Comissão de Pesquisa, um da Comissão de Graduação, um egresso, dois discentes, um servidor, um docente externo ao Programa, além de um membro da Comissão de Pós-Graduação e o presidente da Comissão de Pós-Graduação.

A segunda etapa constou do estabelecimento de coleta e pré-análise de dados e informações em três Ciclos: Ciclo Semestral, Ciclo Anual e Ciclo Bienal:

  • Ciclo Semestral: análise de dados dos docentes, discentes e egressos, buscando compreender, por exemplo, sobre as disciplinas ministradas, os processos de ensino e aprendizagem; os Grupos/Laboratórios e Núcleos de Pesquisa; a internacionalização; a integração com a graduação e ensino médio; a integração com a Comissão de Pesquisa e Extensão; a inserção social; a nucleação; e o ambiente acadêmico;
  • Ciclo Anual: análise dos resultados sobre os docentes, discentes e egressos;
  • Ciclo Bienal: análise dos relatórios Sucupira, Portarias CAPES, Resoluções da Pró-Reitoria de Pós-Graduação, bem como bem como de relatórios de visitas de acompanhamento.

A terceira etapa foi definida como etapa de divulgação dos dados e das pré-análises das informações coletadas. Para tanto são realizadas semestralmente reuniões com docentes, discentes e egressos, com o objetivo de apresentar e analisar coletivamente os dados coletados do Programa. Complementarmente é feita uma avaliação por docentes, discentes e egressos por meio de questionários. Como exemplo, são abordados nas reuniões temas como: a forma de avaliação da CAPES e as novas perspectivas e formas de avaliação dos programas da Área a qual pertence o Programa; o diagnóstico dos triênios e quadriênio anterior e da fase do quadriênio vigente; a atualização e homogeneização dos Currículos Lattes de discentes e docentes; o balanço das atividades desenvolvidas e das atividades previstas e desejadas para o Programa; a interação entre as Comissões de Pós-Graduação, de Pesquisa, de Graduação e de Cultura e Extensão; a conexão das ações do Programa com relação aos Projetos Acadêmicos dos Docentes e do Instituto de Arquitetura e Urbanismo, bem como as análises gráficas dos dados.

A quarta etapa engloba o processo de análise autocrítica, com o objetivo de compreender o uso dos resultados para replanejar e implementar diversas ações em curto e médio prazo. Como exemplo deste processo, no final do primeiro período de implementação do processo de autoavaliação, foram assinaladas ações de aprimoramento, para melhor desenvolvimento do Programa, como por exemplo: a) aprimorar a política editorial do Programa, com ênfase nas ações necessárias para ampliação dos indicadores de internacionalização; b) definir um processo de acompanhamento da constituição de novas pesquisas pelos docentes do Programa, com ênfase para as ações necessárias para fortalecimento dos indicadores de integração Pós-Graduação, Graduação e Extensão, bem como de fortalecimento de impacto social e de internacionalização; c) aprimorar os critérios de composição de exames de qualificação e exames de defesa final de mestrado, doutorado e doutorado direto; d) aprimorar a articulação entre o Programa de Pós-graduação e os cursos de graduação com os quais o IAU se articula, além do curso de graduação em arquitetura e urbanismo tem-se o curso de engenharia civil e ambiental.

A quinta etapa corresponde às meta-avaliações, isto é, ao balanço sistemático do processo instituído de avaliação, iniciado em 2020, visando o aperfeiçoamento da qualidade do ensino, pesquisa, extensão e gestão institucional.

O processo de autoavaliação fortalece a cultura de avaliação no Programa. Os resultados de coleta de dados, as pré-análises e as análises dos dados sempre são compartilhados com os docentes, discentes e servidores do IAU, a fim de construir o que se designou de ‘Compromisso Coletivo da Pós-Graduação’. Os resultados do quadro do Programa são discutidos por cada um dos grupos e depois retorna ao Programa, para discussões coletivas, de modo a consolidar a avaliação geral e a construir as metas para o Programa. Criou-se, portanto, uma cultura participativa e transparente com vistas à definição dos planejamentos estratégicos.