Trabalho do Projeto Rondon no Mato Grosso emocionou equipe do IAU-USP

rondon

"Por cada riso, lágrima, segundo e milésimo vivido com vocês. O Projeto Rondon me fez ver que lutar por um país melhor é um sonho possível, e fazê-lo ao lado de amigos torna tudo muito mais fácil. Não vou dizer adeus. Acredito que a vontade de se viver em um mundo diferente ainda vá nos reunir em algum lugar desse planeta todo errado no futuro". Esse depoimento emocionante foi postado no Facebook de Natasha Silva, aluna do curso de graduação do Instituto de Arquitetura e Urbanismo (IAU) da USP São Carlos, e revela toda a intensidade da experiência vivida no mês passado por ela e outros alunos da Universidade no Mato Grosso, acompanhados por dois pesquisadores do Instituto.

Liderados pelos professores do IAU Simone Vizioli e Marcel Fantin, oito alunos da USP São Carlos participaram entre os dias 10 e 26 de julho da Operação Bororos, do Projeto Rondon, que realizou em 15 municípios do estado de Mato Grosso atividades em projetos de integração social envolvendo a participação voluntária de estudantes universitários na busca de soluções que contribuam para o desenvolvimento sustentável de comunidades carentes e ampliem o bem-estar da população local.

Nesta região, situada no noroeste do MT, 30 equipes multidisciplinares atuaram divididas em duas por municípios. A equipe do IAU, ao lado da Unisul, atuou diretamente na cidade de Arenápolis, com população pouca acima dos 10 mil habitantes.

A coordenadora do grupo do IAU, Simone Vizioli, lembrou que a equipe foi a única do campus de São Carlos selecionada no edital do Projeto Rondon – Operação Bororos, ligado ao Ministério da Defesa. "O pessoal do Rondon faz um mapeamento preliminar sobre as cidades e regiões que necessitam do trabalho. Estive no último mês de abril, após a aprovação do nosso projeto, em Arenápolis, e conversei com representantes da sociedade para verificar se atividades que iríamos desenvolver estavam coerentes com as demandas locais", relatou Simone.

Além de Natasha Silva, participaram dos trabalhos no MT os estudantes Camile Pacheco e Isabela Pontello (as duas também do curso de Arquitetura e Urbanismo do IAU), Bruno Martello e Laura Message (ambos da Engenharia Ambiental da EESC); Guilherme Nicoleti (Mecatrônica da EESC); Matheus Lavratti e Tiago Morandini (os dois da Engenharia Aeronáutica da EESC).

Esta foi a segunda participação do IAU com equipes no Projeto Rondon. Trata-se de uma atividade de Cultura e Extensão e contou com apoio do Instituto. Simone destacou que a receptividade ao grupo de São Carlos foi fabulosa, com uma verdadeira lição de humanidade. "Os alunos levam o seu conhecimento, mas retornam com muito mais bagagem, com mais vivência de mundo. No fundo, é uma troca", ressalta a pesquisadora.

Essa percepção também é compartilhada pela aluna Isabela Pontello. "Acho que a vivência no Mato Grosso superou qualquer expectativa que poderia ter antes de chegar lá. Vivenciar uma realidade diferente da sua é uma forma única de aprendizagem e crescimento pessoal. Posso dizer que houve uma transformação em cada um de nós, rondonistas, a cada dia vivido intensamente no interior matogrossense", analisou a aluna do IAU.

Já a estudante Camile Pacheco fez uma pequena reflexão: "O que são 17 dias nos meus 24 anos? Talvez pareça pouco, mas o que realmente conta não é o tempo físico, é a intensidade, é a carga adquirida, o crescimento pessoal".

São três os do Projeto Rondon: o Ministério da Defesa é o responsável pela organização geral, logística, passagens aéreas entre outras atividades, enquanto a Instituição participa com o corpo docente e discente, apoiando com recursos para viabilizar o projeto proposto. Já o município assistido cuida do alojamento e da alimentação da equipe.

Várias oficinas foram realizadas naquele município, entre elas: astronomia, caderno "Cidade Enquadrada", Cine Rondon, confecção de brinquedos com material reciclável, noções básicas de conforto térmico, desinfecção de água, educação ambiental, mini curso de Excel, compostagem, fabricação de sabão com óleo de cozinha usado, planejamento familiar, modelos de papel, reciclagem de papel e segurança no trânsito.

A equipe do IAU informou que as oficinas que envolveram a reutilização de material descartado tiveram grande êxito. "Um dos problemas do município era o acúmulo de pneus e nesse sentido foram realizadas três oficinas: mobiliário, hora e parque infantil. As atividades encerraram-se na Praça da Independência, com um show de talentos com todos os participantes e a população local", explicou a coordenadora da equipe.

O Projeto Rondon foi retomado pelo Governo Federal em 2005 e tem por objetivos contribuir para a formação do universitário como cidadão; integrar o universitário ao processo de desenvolvimento nacional, por meio de ações participativas sobre a realidade do Brasil; consolidar no estudante brasileiro o sentido de responsabilidade social, coletiva, em prol da cidadania, do desenvolvimento e da defesa dos interesses nacionais; e estimular no aluno de curso superior a produção de projetos coletivos locais, em parceria com as comunidades assistidas.

A equipe do IAU disponibilizou um vídeo sobre as atividades na Operação Bororos no YouTube, no link abaixo: https://www.youtube.com/watch?v=0HykeHRhPGI

Imagem Cortesia - Equipe do IAU-USP na Operação Bororos, do Projeto Rondon.