Casa de Vidro: Projeto feito por pesquisadores do IAU foi aprovado pela Fundação Getty

 getty web

- Fundação Getty escolhe a Casa de Vidro de Lina Bo Bardi para programa Keeping it Modern 2016. O projeto de elaboração de um plano de gestão apoiado em levantamento técnico e documental das condições de preservação da casa e jardim foi escolhido para receber o apoio, ao lado de mais 8 edifícios modernos situados em vários países. A cooperação entre o IAU e o Instituto Bardi envolve professores e pesquisadores dos grupos Arqbras e Arqtec do IAU, da FZEA e da FAU.

O professor Renato Anelli, coordenador do projeto, destaca a importância para o IAU dessa parceria com o Instituto Bardi, a Fundação Getty e o Laboratório DIAPRem da Universidade de Ferrara para a aglutinação da capacidade existente em São Carlos de atuação na área de patrimônio histórico material, hoje dispersa em vários grupos de pesquisa. O trabalho em conjunto propiciará a oportunidade de troca de experiência entre pesquisadores das áreas de tecnologia das construções, teoria e história, projeto e paisagismo, podendo habilitar o IAU a novos planos na área de conservação de patrimônio histórico. O projeto durará 18 meses e será desenvolvido através de convênio entre o IAU e o Instituto Bardi.

O programa Keeping it Modern está na sua terceira edição e apoia a realização de planos de gestão e manutenção dos bens históricos, elaborados a partir de estudos técnicos especializados. Como nas edições anteriores, os projetos selecionados para receber o apoio são da mais alta importância arquitetônica.

Sede do Instituto Lina Bo e P. M. Bardi, a Casa de Vidro é a única brasileira entre obras de arquitetura moderna escolhidas nesta edição, que inclui pela primeira vez, obras na África e na ex-União Soviética.

A lista dos selecionado:

Casa de Vidro de Lina Bo Bardi (Brasil)
Villa E-1027 de Eileen Gray (França)
Biblioteca Infantil de Nickson e Borys (Gana)
Primeira Igreja Presbiteriana de Wallace Harrison (Connecticut, Estados Unidos)
Igreja Cristo Obrero de Eladio Dieste's (Uruguay)
Sevan Writers' Resort de Gevorg Kochar e Mikael Mazmanyan (Armenia)
Liverpool Metropolitan Cathedral de Sir Frederick Gibberd (Reino Unido)
Ateliê de Gautam Sarabhai (India)
Biblioteca Nacional de Kosovo de Andrija Mutnjakovic (Kosovo)

"A cada ano nós estendemos a abrangência global do Keeping it Modern, deixando claro que existe uma arquitetura moderna espalhada e distante, que merece ter sua conservação apoiada" diz Deborah Marrow, diretora da Fundação Getty. Referindo-se às obras de Lina Bo Bardi e Elian Grey, a diretora afirma que a Fundação está muito satisfeita em "reconhecer as realizações de duas mulheres extraordinárias, que estenderam as possibilidades da arquitetura moderna".

"Os projetos apoiados pelo Keeping it Modern foram selecionados não apenas pelo seu significado arquitetural, mas pelo seu potencial para servir como modelo, avançando novas soluções e padrões no campo da preservação como um todo", afirma Antoine Wilmering da Getty.

A Casa de Vidro foi escolhida pelo seu papel como precursora dos seus principais projetos públicos, de caráter altamente icônico, tais como o MASP e o SESC Pompéia. Projetada e construída entre 1950 e 1952, a casa serviu de residência ao casal Bardi até o final de suas vidas. Atualmente sede do Instituto fundado por eles para promover a arte e a cultura brasileiras, a Casa de Vidro encontra-se em bom estado de manutenção, mas necessita de estudos técnicos especializados preventivos, e de planejamento de gestão para evitar futuras intervenções emergenciais.

O Instituto Lina Bo e P. M. Bardi receberá da Fundação Getty a quantia de U$195.000,00 para o projeto elaborado em parceria com pesquisadores do IAU USP. A equipe coordenada pelo professor Anelli, também membro do Instituto Bardi, inclui especialistas em preservação de arquitetura e paisagismo, gestão de patrimônio histórico e engenheiros desenvolverá o plano de gestão da manutenção de toda a propriedade, composta pela casa, três anexos e uma área de sete mim metros quadrados de exuberante jardim com espécies tropicais. Especial atenção será dada aos efeitos da vegetação e seu ambiente húmido na conservação das construções e elementos paisagísticos. O projeto inclui um levantamento topográfico em 3D de todas as construções, terreno e vegetação, que permitirá aos engenheiros identificar potenciais deformações estruturais em pequena escala, possível causa de patologias construtivas que retornam recorrentemente após as várias manutenções realizadas. Os resultados serão compartilhados com pesquisadores e curadores de outras "casas de vidro", tais como as de Philip Johnson, Mies Van Der Rohe e Charles Eames nos Estados Unidos.

O projeto está estruturado em quatro tarefas que sob responsabilidade dos seguintes pesquisadores da Universidade de São Paulo:

Renato Anelli (Arbras e Instituto Bardi) : coordenação geral.
Ana Lúcia Cerávolo (Arqbras e Unicep): Coordenação Adjunta.
Aline Coelho Sanches Corato (Arqbras): Levantamento e sistematização de documentos históricos.
Marcio Minto Fabrício (Arqtec): Pesquisa e sistematização de desenhos do estado atual do conjunto em formatos digitais.
João Adriano Rossignolo (FZEA e PG IAU): Avaliação, diretrizes e plano de gestão e conservação dos edifícios.
Luciana Schenk (Arqbras): Avaliação, diretrizes e plano de gestão e conservação do paisagismo.

Supervisão e consultoria
Marcelo Suzuki (IAU), Beatriz M. Kühl (FAU) e Osny Pellegrino Ferreira (professor aposentado IAU).

Uma parte importante do projeto será o levantamento 3D das edificações, terreno e vegetação, coordenado pelo professor Marcello Balzani do Laboratório DIAPRem (Development of Integrated Procedures for Restoration of Monuments), Università degli Studi di Ferrara, Itália. Em agosto de 2015 o professor Balzani realizou uma palestra no IAU, onde apresentou sua metodologia de trabalho.

Link para o site da Getty - http://www.getty.edu/foundation/initiatives/current/keeping_it_modern/grants_awarded_2016.html