Colóquio de pesquisa | Os limites da acumulação e os movimentos de resistência no território

coloquio os-limites-da-acumulacao web

- nos dias 16 e 17 de novembro de 2016, o Programa de pós-graduação do IAU-USP realizará o Colóquio de pesquisa: Os limites da acumulação e os movimentos de resistência no território, sob coordenação da professora Cibele Saliba Rizek.

O Colóquio busca debater pesquisas em andamento sobre as recentes e profundas transformações na estruturação das cidades e dos territórios urbanos expandidos, bem como a ação e reconfiguração dos agentes sociais neste campo de conflitos. A atividade contará com a participação de pesquisadores do grupo de pesquisa Distúrbio (UFRRJ e UERJ), pesquisadores da UFBA e da UFSCar e de outros campi da USP e de ainda pesquisadores de nosso Instituto.

Trata-se de uma atividade aberta ao público docente e discente do IAU e a outros pesquisadores interessados na temática. Sendo num formato de colóquio, busca apresentar as questões tratadas pelos diversos pesquisadores em suas áreas, trocar impressões sobre estes campos, aprofundar o debate metodológico e de perspectivas teóricas na abordagens de cada grupo e/ou pesquisadores.

O Colóquio será nos dias 16 e 17 de novembro de 2016, no Auditório do IAU e conta coma programação abaixo.

16 novembro (quarta-feira)
14h00 Abertura | Financeirização das cidades, gestão das emergências, racionalidade neoliberal e as políticas de subjetivação.
Cibele Rizek (IAU-USP) e Patrícia Birman (DS-UERJ)

Mesa 1 - 15h30 - Transformações no território: aspectos e leituras das transformações em curso.
1. Carly Machado (ICHS-UFRRJ) - Articulações entre a religião e o crime, e a pesquisa etnográfica num campo em mutação.
2. Vitor Fonseca (UFBa) - A constituição de sujeitos políticos em uma metrópole fora do eixo sudeste, um desafio teórico e de ação política.
3. Paulo Tavarez (FAU-USP) - Arquitetura da Violência: planejamento, terror de estado, e mudança climática

17 novembro (quinta-feira)
Mesa 2 - 10h00 - Movimentos sociais - As novas clivagens e abordagens de leituras no campo.
1. Patricia Birman (DS-UERJ) – Gestão da pobreza e seus gêneros: políticas públicas, emaranhados, tramas e apropriações no Rio de Janeiro
2. Fábio Bechara Sanchez (UFSCar) – Reconfiguração no campo dos movimentos sociais
3. Adriana Fernandes (ICHS-UFRRJ) - Pesquisa com e nas "margens": a rua no Rio de Janeiro.

14h30 Mesa 3 - Resistências, trabalho e conflito fundiário.
1. Jairo Salvador (Defensoria Pública) - Caso Pinheirinho em São José dos Campos
2. Alexandre Mandl (RENAP) – Trabalho e luta: a fábrica ocupada Flasko e Vila Soma
3. André Dal'Bó (IAU-USP) – Resistência e produção neoliberal do espaço
4. Joana Barros (IAU-USP) - Entre o ódio à democracia e a governamentalidade

17h00 Encerramento - Cibele Rizek

cartaz do evento